Inicio Como aprender e falar inglês online e de graça – do zero à fluência

Como aprender e falar inglês online e de graça – do zero à fluência

Como aprender e falar inglês online e de graça – do zero à fluência

Aprender a falar em inglês é essencial para todo estudante e profissional no mundo contemporâneo. Falar o idioma abre diversas portas na carreira e por isso brasileiros costumam optar por ele na hora de aprender uma segunda língua. Por ser um idioma internacional, há vários recursos acessíveis pelo computador ou celular que permitem estudar inglês em casa e sem gastar nada, para aprender desde as primeiras palavras até adquirir fluência.

Nesse texto, vamos apresentar as melhores dicas de como aprender inglês de graça e algumas ferramentas de idiomas, apps, sites e canais que você pode utilizar para começar a estudar ou aperfeiçoar seu conhecimento da língua.

Inscrições abertas para curso online e gratuito para fazer pós-graduação no exterior

O inglês é o primeiro dos 6 idiomas mais importantes para brasileiros que querem estudar fora. Aulas tradicionais com acompanhamento de um professor costumam ser a melhor maneira de aprender idiomas. Mas nem todo mundo tem tempo ou dinheiro para se matricular em um curso regular. Felizmente, com a internet, não frequentar um curso tradicional não impede que qualquer pessoa possa aprender a falar inglês.

Também reunimos uma série de dicas de Alberto Costa, um examinador dos exames de Cambridge English Language Assessment com especialização em treinamento de professores (PRINSELT) do College of St. Mark & St. John em Plymouth, Reino Unido. Além disso, ele também esteve à frente de iniciativas de treinamento e formação continuada de professores de inglês e de consultoria acadêmica.

Leia também: O que significa ter inglês fluente? Qual é a definição de “fluência”?

Atenção: esse é um texto longo e didático, que pode ser reutilizado muitas vezes durante seus estudos. Por isso, montamos o índice a seguir para facilitar que você encontre a ferramenta que está procurando. Confira:

Estudar inglês online e de graça

Nível iniciante

Nível intermediário

Nível avançado

Leia também: Os 6 idiomas mais importantes para brasileiros que querem estudar fora

Aprender idiomas em casa

Caso você esteja aprendendo um novo idioma em casa, há algumas formas de potencializar seu aprendizado. Confira aqui algumas dicas de como melhorar o rendimento dos seus estudos em casa. De acordo com o CEO do Duolingo, por exemplo, estudar mais devagar é a maneira de aprender uma língua mais rápido (sim! veja aqui). Além disso, também há maneiras de usar o padrão internacional como base na hora de estruturar seus estudos.

Caso você esteja escolhendo qual idioma estudar, acesse nossas páginas com dicas para outras línguas:

9 dicas para estudar idiomas em casa
Como aprender inglês online e de graça;
Como aprender idiomas de graça com o Duolingo
Como aprender Francês online e tirar o certificado de fluência;
Como aprender Espanhol online e tirar o certificado de fluência;
Os melhores cursos e apps para aprender alemão online de graça.

Leia também: Tudo que você precisa saber sobre intercâmbio de inglês nos Estados Unidos

 

 

Ferramentas para os níveis iniciante e intermediário

Duolingo

O Duolingo é um dos aplicativos mais populares para aprender novas línguas, e não é à toa. Ele é bem leve de baixar e super fácil de usar, e ele oferece um monte de opções de línguas para todos os níveis diferentes. Inglês não é exceção: você pode usar o Duolingo tanto para começar a aprender inglês do zero quanto para treinar temas mais avançados.

Uma das principais vantagens do Duolingo é que ele fica no celular, e por isso você consegue estudar inglês de graça praticamente onde quiser. Se você quiser estudar no trem ou no ònibus, por exemplo, ele tem até um modo que desabilita os exercícios de fala. Não é o ideal, porque você acaba não treinando a pronúncia, mas pelo menos você não vai receber um monte de olhares estranhos de pessoas no transporte público.

E por ficar no seu celular, ele também pode ser configurado para te mostrar notificações e lembretes de que você precisa estudar. Notificações podem ser chatas, mas nesse caso é bem importante. Isso porque o próprio CEO do Duolingo já declarou que os usuários do app que se saem melhor nos estudos não são aqueles que estudam por duas horas de vez em quando, mas os que usam por cinco a quinze minutos todo dia.

Quiz Your English

Outro aplicativo legal para estudar inglês de graça é o Quiz Your English. Ao contrário do Duolingo, que tem um viés mais educativo, o Quiz Your English tem mais cara de jogo mesmo. E também diferente do Duolingo, que é só para você estudar sozinho, esse aplicativo permite que você estude com amigos ou outrass pessoas na internet.

Se você já jogou algum jogo como o Perguntados, vai saber como funciona. Você e outro jogador precisam responder a uma série de perguntas corretamente. No final, quem acertar mais perguntas é o vencedor. O app tem outros aspectos mais lúdicos, como um placar com a pontuação de todos os usuários e uma moeda que você pode usar para comprar itens no jogo.

Mas, ao mesmo tempo, o lado educativo dele é bem forte, permitindo que você veja exatamente o que você errou. Você também consegue selecionar tópicos específicos para jogar, o que pode ajudar a orientar os estudos.

English in Brazil by Carina Fragozo

Se você gosta de assistir a vídeos no YouTube, provavelmente vai gostar bastante do canal da Carina Fragozo. Ele se chama English in Brazil by Carina Fragozo, e traz um monte de vídeos legais que acabam sendo também um ótimo recurso para estudar inglês de graça.

Mas os vídeos dela raramente são aulas mais tradicionais de inglês. Ela até tem uma série de vídeos de inglês básico, e alguns outros que são mais focados em questões gramaticais. Mas, no geral, ela te ensina inglês falando sobre situações específicas, como frases para usar no supermercado ou no aeroporto, ou traduzindo letras de músicas famosas em inglês.

Os vídeos são bem divertidos e tem uma visão mais ligada ao cotidiano. Então mesmo que você não entenda quase nada de gramática e ache essa parte muito chata, é bem provável que você aprenda bastante com o canal dela. E por ser um recurso audiovisual, você consegue ouvir bem a pronúncia das palavras.

 

Ferramentas para os níveis iniciante intermediário e avançado

Cambridge Learning English

No site da Cambridge Assessment English, que é a organização responsável por exames como o CAE e o CPE, há uma série de atividades gratuitas para você estudar inglês. Elas ficam localizadas na seção “Learning English”, e cobrem uma série de assuntos, desde vocabulário e gramática mais básica até pontuação e temas mais avançados.

Um ponto interessante é que você consegue filtrar as atividades disponíveis de acordo com o nível de proficiência que você já tem segundo o quadro comum europeu de referência. Então se você souber que já está no nível B1, pode procurar por exercícios voltados especificamente para esse nível. Mas se você não souber também, é possível separar por básico, intermediário e avançado mesmo.

Cada atividade tem uma breve descrição do que você precisa fazer, e uma estimativa do tempo que ela leva. E esse tempo geralmente fica entre cinco e dez minutos, então você consegue estudar mesmo que você não tenha muito tempo. E você não precisa nem fazer login no site para poder acessar os exercícios.

Teste oral de inglês de Cambridge

Outra ferramenta legal para estudar inglês de graça é um teste oral de inglês online. Funciona exatamente como a parte “speaking” de uma prova de certificado: você recebe um tema, e precisa falar um pouco sobre ele em inglês, para que o seu domínio da variante falada da língua possa ser avaliado.

Mas como o teste é online, você não precisa falar com ninguém além do seu computador. O próprio sistema consegue entender o que você disse e te dar um feedback no final, avaliando o seu desempenho de acordo com o quadro comum europeu. Ele também te diz o que você consegue fazer com esse nível de inglês, como pedir comida em um restaurante, apresentar trabalhos acadêmicos ou participar de reuniões de negócios.

A única desvantagem é que você precisa fazer o teste a partir de um computador – por enquanto, ele ainda não funciona no celular. E o teste tem mais ou menos 15 minutos de duração e precisa ser feito todo de uma vez. Mas, ao menos, no final, você já vai saber em quais pontos precisa trabalhar em termos de conversação.

Write And Improve

O Write And Improve é uma ferramenta ótima para quem quer treinar o writing, a seção de redação que geralmente é cobrada nas provas de inglês. A plataforma oferecec uma série de exercícios de escrita, que vão desde coisas como “escrever um convite para seu vizinho jantar na sua casa” até temas complexos como “escrever um relatório sobre sua participação em uma feira de negócios”.

A grande sacada é que você pode fazer todos esses exercícios na própria plataforma, e receber um feedback quase imediato sobre o seu desempenho. A plataforma consegue avaliar gramática e vocabulário, apontando falta de pronomes, erros de ortografia, palavras pouco usadas e frases com problemas de sintaxe, por exemplo.

Depois de receber o feedback, você consegue corrigir o texto e reenviá-lo. E você também consegue estudar inglês de graça sem login. Mas se você criar um perfil, vai conseguir acompanhar seu desempenho ao longo do tempo em um gráfico que avalia como você está em relação ao quadro comum europeu de referência. Então se você precisa atingir o nível B2, por exemplo, essa plataforma pode te mostrar exatamente o que está faltando.

Leia também: Como melhorar a pronúncia em inglês: 6 dicas e 5 recursos para treinar o speaking 

Google Word Coach

Se você tem um celular e consegue acessar o Google, você já tem acesso a uma ferramenta para estudar inglês de graça! Trata-se do Google Word Coach, um recurso do buscador que te ajuda a aprender inglês por meio de exercícios simples e rápidos, que você consegue configurar para o seu nível de domínio do idioma.

Para acessá-lo, basta pesquisar por “Google Word Coach”, ou “Word Coach”, na versão mobile da ferramenta de buscas. O Google então te fará perguntas relativamente simples de vocabulário. Ele pode pedir, por exemplo, que você identifique quais são as melhores traduções em português para palavras em inglês (e vice-versa). Ou ainda, que você escolha, entre duas imagens, qual delas tem mais a ver com uma determinada palavra em inglês. A imagem abaixo ajuda a dar uma ideia:

Word Coach, recurso do Google para estudar inglês de graça

O buscador consegue manter um registro do seu avanço conforme você usa por mais tempo o recurso. E se ele perceber que você está acessando com regularidade o Word Coach, ele começará a mandar notificações para o seu dispositivo, com o objetivo de te lembrar de treinar o inglês!

 

 

Para o nível iniciante

 

Aprenda novos idiomas assistindo Netflix

Desenvolvida para o Google Chrome, a extensão Language Learning with Netflix – ou “Aprendendo um Idioma com a Netflix”, em tradução livre – é uma das ferramentas gratuitas mais completas para impulsionar o aprendizado de novas línguas, tanto para iniciantes quanto para quem deseja ampliar o vocabulário e aperfeiçoar seus conhecimentos.

Como funciona?

Uma vez instalada no Chrome, a extensão Language Learning with Netflix exibe duas legendas simultâneas, enquanto você assiste seus filmes e séries preferidos: uma no idioma nativo do usuário e a outra na língua que deseja estudar.

É possível, ainda, ouvir uma legenda de cada vez e controlar a velocidade de reprodução, assim como pausar automaticamente o vídeo após uma fala, para que haja tempo suficiente para ler ou reler a frase dita. Há ainda um dicionário pop-up, que sugere as palavras mais importantes para você aprender.

Além das legendas, o plugin apresenta diferentes traduções de frases e diversos sinônimos, que facilitam a compreensão da linguagem coloquial usada no dia a dia, como gírias e expressões particulares de cada idioma. Através dessa funcionalidade, é possível comparar a escrita entre os dois idiomas, a estrutura das frases e expandir o vocabulário.

 

5 dicas para se manter motivado estudando inglês (ou outro idioma)

*Do colunista, Alberto Costa:

1. Comece devagar e identifique seu nível

O primeiro passo é entender o quanto você domina do idioma: se você é iniciante, básico, intermediário, avançado ou fluente. Isso depende de uma série de fatores, principalmente do quão profundo é o seu contato com o inglês. Quando estamos cientes disso fica mais fácil diminuir a afobação e começar aos poucos. Busque notícias na internet, por exemplo, sempre priorizando as que estão mais perto do seu nível. Ou então, que tal reler um conto infantil que você já conhece a história, mas dessa vez em inglês

Assim, é possível desenvolver a assimilação das mensagens ao traçar paralelos com o que já se conhece sobre o tema. Também pode ser útil estar acompanhado por um dicionário ou aplicativo de celular que ajude na contextualização de palavras desconhecidas, evitando a desistência ao barrar com palavras ou expressões desconhecidas. Conforme a leitura vai se desenvolvendo, essa situação fica mais natural e, então, entende-se que é preciso estar apto a alcançar uma compreensão global dos textos.

2. Anote tudo!

Ler é um processo ativo e para que isso se torne um hábito é preciso treinar os pontos de mais dificuldade. Durante o exercício da leitura, anote palavras cujos significados você quer aprender, expressões desconhecidas que se repetem com frequência, novos vocabulários, assuntos sobre os quais você quer se aprofundar nos argumentos mais comuns e até mesmo outras dificuldades que sentir ao longo do processo. Isso estimula um contato ampliado com o idioma, potencializa os estudos, reflete na habilidade da gramática e ajuda a progredir mais rapidamente, uma vez que as anotações ficarão registradas para futura consulta e não será necessário começar “do zero” toda a vez que for ler um texto sobre o mesmo tema.

3. Evite usar o dicionário a todo instante

Apesar de o dicionário bilíngue ser um bom aliado em momentos que as palavras não fazem muito sentido, não se torne totalmente dependente daqueles que te entregam a tradução. Sempre que possível, opte pelos dicionários monolíngues, que estimulam o entendimento por meio do seu contexto usando frases de exemplo. Além de descobrir o significado do termo procurado, eles reservam outros ensinamentos como sinônimos e conjugação, por exemplo.

4. Pratique a leitura em diferentes mídias

Nossa leitura é diferente de acordo com o tipo de texto que estamos em contato. Alguns requerem mais profundidade, como um livro acadêmico, por exemplo. Outros pedem mais dinamismo, como as notícias do dia-a-dia. Ou seja, treine as diferentes “modalidades”. Fugindo dos mais convencionais, não se esqueça das letras de música, legendas de filmes e séries e quadrinhos. Esse exercício nos ensina aspectos como velocidade, raciocínio lógico e noção espacial.

5. Utilize técnicas de leitura para melhorar a fluência e compreensão

Existem algumas formas de fazer com que a leitura seja mais fluida, compreendendo em poucos segundos os pontos principais de um texto. Uma dessas técnicas é o scanning, que consiste em fazer uma “varredura” do texto buscando compreender de forma geral sobre o que ele fala e quais são as principais ideias que expõe. Existe também o skimming, que tem como objetivo destacar alguns pontos do material de leitura, identificando informações específicas encontradas no texto. Ambas não só ajudam a melhorar a leitura em inglês como também a aprimorar o conhecimento da língua inglesa em geral e diminuir a angústia por não conhecer 100% das palavras usadas no material.

6. Leve o aprendizado para o dia-a-dia

Durante a leitura em inglês comece a reparar um pouco mais no que você aprende. Veja como tal palavra ou expressão aparece em diferentes contextos e tente traçar relação entre seu significado e a maneira que foi utilizada nos conteúdos. Com isso, ficará mais evidente seu processo evolutivo ao perceber que consegue lembrar-se sem precisar olhar no dicionário.

Sabe quando você está interessado em alguma coisa e começa a reparar mais nela em todo lugar? É a mesma coisa com inglês! Uma das coisas mais legais é pegar um livro novo, por exemplo, e perceber que você consegue entendê-lo porque aprendeu aquela determinada expressão ou palavra no livro anterior. Quanto mais você ler, melhor vai desenvolver essa habilidade. Faça tudo no seu tempo e lembre-se que resultados lentos são bem melhores do que nenhum resultado.

 

4 dicas para melhorar sua escrita

*Do colunista, Alberto Costa:

#1 Pratique diariamente

A prática leva à perfeição. Parece clichê, mas é a pura verdade! Veja o caso da ortografia de palavras que geram confusão na escrita, em função do som da pronúncia. Por exemplo, language, que acaba escrito como ‘leanguage’ por causa da fonética. Ou, então, das que possuem ou não consoantes dobradas, como em writing, different e opportunity, que viram ‘writting’, ‘diferent’ e ‘oportunity’.

Uma aliada para assimilar a forma correta é a memória visual, uma das nossas inteligências. Ou seja, quanto mais aparecerem no nosso campo de visão, as chances de utilizá-las da forma correta aumentam. Então, como fazer isso? Comece aos poucos. Que tal anotar a lista de compras do supermercado em inglês ou mesmo sua programação de tarefas diárias? Tente imaginar aquele e-mail ou mensagem de texto que vai enviar para alguém também em inglês. Tudo isso vai contribuir para você memorizar a escrita de palavras que usa no dia a dia. Pequenos feitos se tornam hábitos e são eles que fazem o uso constante algo natural e motivador.

#2 Ferramentas online podem auxiliar (e muito)

A gramática não é algo extremamente simples, nem quando falamos do nosso idioma materno. Então, é normal que ela seja também objeto de muitas dúvidas para quem está no processo de aprendizado de um novo idioma. Para apoiar o exercício da escrita em inglês, utilizar recursos online é uma boa alternativa.

Você pode contar com o auxilio de um tradutor, como o da Google, por exemplo, para tirar dúvidas pontuais de uma construção de frase. Com um dicionário online, como o Cambridge Dictionary, para checar não apenas pontos de gramática, mas também para entender o significado das palavras que está escrevendo. Ou ainda utilizar uma plataforma mais robusta que atua diretamente na correção dos conteúdos, como o Write&Improve. A ferramenta é gratuita e analisa a redação dos usuários para retornar uma avaliação sobre a gramática e o vocabulário. Você escolhe o tema, escreve seu texto no idioma e submete ao sistema que em segundos dá um feedback do que pode ser melhorado.

#3 A leitura também é prática para a escrita

leitura constante em outro idioma permite adquirir conhecimento de diferentes aspectos do inglês, como colocações, expressões idiomáticas, phrasal verbs e conectores. Além disso, também propicia uma maior familiarização com a sintaxe do inglês escrito. Outro benefício é desenvolver a noção de formação de palavras. Por exemplo, quando você repara em diferentes prefixos e sufixos como em sensible, (in)sensitive, senseless, sensor, sensitise, sensory, sensuous, sensual.

Esse exercício serve, ainda, para reparar em como os escritores ou autores estruturam parágrafos, argumentações e respostas. Também ajuda a pensar no leitor-alvo e na variedade de estrutura gramatical e vocabulário que se empregam, para repetir quando for a sua vez de produzir algo.

#4 Não tenha pressa

Como já dissemos outras vezes aqui, a pressa é inimiga da perfeição. Não adianta se afobar e achar que não vai conseguir aprender assim que as primeiras dificuldades forem encontradas. A persistência é importante e só com muito treino e paciência é que o idioma se tornará familiar e prazeroso. Mas uma coisa é certa: no fim das contas, todo esse esforço é recompensado!

 

15 palavras que sempre causam confusão em inglês

latter = last of two things mentioned (o/ a último/ a de dois)
later = 
a time in the future or following a previous action (mais tarde)

loose = opposite of tight (solto, frouxo, largo)
lose =
 to be unable to find something (perder algo que se possui)

considerable = rather large amount or degree (considerável) 
considerate =
 thoughtful, polite (educado, atencioso)

advise = (verb) act of giving an opinion, counsel (aconselhar)
advice =
 (noun) opinion given to someone, counseling (conselho)

dessert = the final course of a meal, usually something sweet (sobremesa)
desert =
 a hot, dry place (deserto)

hard = difficult (difícil, duro)
hardly =
 (adverb) barely, scarcely (mal)

costume = clothing, typical style of clothes (roupa, fantasia, vestuário)
custom = a practice that is traditionally followed by a particular group of people (costume)
Customs = Duties or taxes imposed on imported and, less commonly, exported goods. The governmental agency authorized to collect these duties. (Alfândega; impostos e taxas sobre importações)

Confira exercícios neste link (disponível aqui).

 

Nível intermediário

 

6 dicas para melhorar sua habilidade de leitura

*Do colunista, Alberto Costa:

1. Comece devagar e identifique seu nível

O primeiro passo é entender o quanto você domina do idioma: se você é iniciante, básico, intermediário, avançado ou fluente. Isso depende de uma série de fatores, principalmente do quão profundo é o seu contato com o inglês. Quando estamos cientes disso fica mais fácil diminuir a afobação e começar aos poucos. Busque notícias na internet, por exemplo, sempre priorizando as que estão mais perto do seu nível. Ou então, que tal reler um conto infantil que você já conhece a história, mas dessa vez em inglês

Assim, é possível desenvolver a assimilação das mensagens ao traçar paralelos com o que já se conhece sobre o tema. Também pode ser útil estar acompanhado por um dicionário ou aplicativo de celular que ajude na contextualização de palavras desconhecidas, evitando a desistência ao barrar com palavras ou expressões desconhecidas. Conforme a leitura vai se desenvolvendo, essa situação fica mais natural e, então, entende-se que é preciso estar apto a alcançar uma compreensão global dos textos.

2. Anote tudo!

Ler é um processo ativo e para que isso se torne um hábito é preciso treinar os pontos de mais dificuldade. Durante o exercício da leitura, anote palavras cujos significados você quer aprender, expressões desconhecidas que se repetem com frequência, novos vocabulários, assuntos sobre os quais você quer se aprofundar nos argumentos mais comuns e até mesmo outras dificuldades que sentir ao longo do processo. Isso estimula um contato ampliado com o idioma, potencializa os estudos, reflete na habilidade da gramática e ajuda a progredir mais rapidamente, uma vez que as anotações ficarão registradas para futura consulta e não será necessário começar “do zero” toda a vez que for ler um texto sobre o mesmo tema.

3. Evite usar o dicionário a todo instante

Apesar de o dicionário bilíngue ser um bom aliado em momentos que as palavras não fazem muito sentido, não se torne totalmente dependente daqueles que te entregam a tradução. Sempre que possível, opte pelos dicionários monolíngues, que estimulam o entendimento por meio do seu contexto usando frases de exemplo. Além de descobrir o significado do termo procurado, eles reservam outros ensinamentos como sinônimos e conjugação, por exemplo.

4. Pratique a leitura em diferentes mídias

Nossa leitura é diferente de acordo com o tipo de texto que estamos em contato. Alguns requerem mais profundidade, como um livro acadêmico, por exemplo. Outros pedem mais dinamismo, como as notícias do dia-a-dia. Ou seja, treine as diferentes “modalidades”. Fugindo dos mais convencionais, não se esqueça das letras de música, legendas de filmes e séries e quadrinhos. Esse exercício nos ensina aspectos como velocidade, raciocínio lógico e noção espacial.

5. Utilize técnicas de leitura para melhorar a fluência e compreensão

Existem algumas formas de fazer com que a leitura seja mais fluida, compreendendo em poucos segundos os pontos principais de um texto. Uma dessas técnicas é o scanning, que consiste em fazer uma “varredura” do texto buscando compreender de forma geral sobre o que ele fala e quais são as principais ideias que expõe. Existe também o skimming, que tem como objetivo destacar alguns pontos do material de leitura, identificando informações específicas encontradas no texto. Ambas não só ajudam a melhorar a leitura em inglês como também a aprimorar o conhecimento da língua inglesa em geral e diminuir a angústia por não conhecer 100% das palavras usadas no material.

6. Leve o aprendizado para o dia-a-dia

Durante a leitura em inglês comece a reparar um pouco mais no que você aprende. Veja como tal palavra ou expressão aparece em diferentes contextos e tente traçar relação entre seu significado e a maneira que foi utilizada nos conteúdos. Com isso, ficará mais evidente seu processo evolutivo ao perceber que consegue lembrar-se sem precisar olhar no dicionário.

Sabe quando você está interessado em alguma coisa e começa a reparar mais nela em todo lugar? É a mesma coisa com inglês! Uma das coisas mais legais é pegar um livro novo, por exemplo, e perceber que você consegue entendê-lo porque aprendeu aquela determinada expressão ou palavra no livro anterior. Quanto mais você ler, melhor vai desenvolver essa habilidade. Faça tudo no seu tempo e lembre-se que resultados lentos são bem melhores do que nenhum resultado.

 

Ferramenta online e gratuita corrige e revisa redações em inglês

A plataforma Write&Improve (disponível aqui), ferramenta do Cambridge English Language Assessment, se propõe a fazer exatamente isso: correção de redações em inglês. Trata-se de uma ferramenta online dentro da qual é possível escolher um tema, escrever um texto em inglês sobre ele e receber um feedback em segundos com melhorias sobre gramática e vocabulário.

Como funciona o Write & Improve

O exercício é interativo e permite escolher entre elaborar redações em inglês no nível iniciante (que conta com temas como e-mail de apresentação e descrição da vida cotidiana); intermediário (com temáticas mais aprofundadas, como reportar um problema de extravio de mala para a companhia aérea ou discorrer sobre o que acontece quando não há uma boa conexão com a internet); ou ainda avançado (em que são exigidas construções mais complexas como uma carta de candidatura ou uma análise sobre um serviço).

Quando o texto estiver pronto, basta clicar no botão para enviar e, em segundos, o conteúdo aparece corrigido em uma tela ao lado com uma avaliação geral e dicas sobre pronomes faltantes, palavras pouco usadas ou grafias e construções incorretas.

A partir das análises, o usuário pode refazer sua redação e submeter à correção novamente. O progresso é acompanhado em um gráfico que contabiliza a quantidade de vezes que o conteúdo foi reescrito e sua evolução em termos de nível, que segue os parâmetros internacionais do Quadro Comum Europeu de Referência para Línguas (CEFR), que categoriza o domínio em níveis que vão do A1, considerado básico, até o C2, correspondente à proficiência plena. 

 


Podcasts em inglês

Podcasts são uma ótima maneira de aprender outro idioma e, ao mesmo tempo, informar-se sobre assuntos do seu interesse. Com isso em mente, há vários programas que focam no público que não domina aquela língua e, por isso, usa um vocabulário mais simples e uma cadência mais lenta na fala. E se você quer estudar inglês de graça, temos algumas sugestões de podcasts para você!

Podcast “Histórias em Inglês”, do Duolingo

As novas mudanças acontecem após o podcast “Histórias em Inglês” (disponível aqui), lançado em julho, alcançar o primeiro lugar entre os aplicativos mais baixados da categoria educação no primeiro semestre de 2021, após três semanas do lançamento.

De acordo com a empresa, a iniciativa é o primeiro podcast criado e produzido exclusivamente para o mercado brasileiro. Além disso, o Brasil é um dos três maiores mercados do Duolingo no mundo.

ESL Podcast

O ESL Podcast ensina vocabulário voltado às mais diversas situações, sempre focado em English as a Second Language (daí a abreviação ESL!). Tudo falado de maneira mais lenta e com vários exemplos. Dá para aprender como “pedir esclarecimentos em uma reunião de negócios”, ou explorar o vocabulário necessário para “fazer compras no supermercado”.  Para acessar o conteúdo completo, é preciso desembolsar 15 dólares ao mês.

Leia também: Conheça os melhores podcasts para aprender inglês e outros quatro idiomas

NPR

Já os podcasts da NPR (National Public Radio, dos Estados Unidos) são elogiados por falantes nativos e estudantes de inglês. E há temáticas para todos os gostos. Se o estudante quer saber mais sobre cinema, literatura e filosofia, talvez uma boa pedida seja o Fresh Air, comandado por Terry Gross. As entrevistas com Meryl Streep e outros nomes de peso valem cada segundo — e ainda ajudam a ganhar prática no idioma.

Outro podcast que atraiu ouvintes do mundo todo é o podcast Serial. São duas temporadas de podcasts para aprender inglês, contando histórias não-ficcionais, divididas em 12 episódios cada. Na primeira edição, os produtores se debruçaram sobre a morte da estudante Hae Min Lee — e a produção viralizou desde então, em 2014. Para ter uma ideia, o sucesso foi tanto que um dos episódios, isoladamente, chegou a 80 milhões de acessos.

 

Para o nível avançado

 

Roteiro de estudos para ter fluência em inglês estudando (só) pela internet*

A partir de 15 minutos de estudo por dia, os resultados virão, segundo disse Rosângela Souza, sócia-diretora da Companhia de Idiomas, a EXAME.com. Confira o roteiro diário que ela indicou para quem já tem nível intermediário de domínio:

1. Segunda-feira: Ouça um curso ou uma palestra cujo assunto seja do seu interesse. Portais como TED e Coursera podem ser boas fontes.

2. Terça-feira: Fale com alguém no idioma. Uma conversa de 30 minutos já é suficiente para destravar o inglês.

3. Quarta-feira: leia notícias em inglês. Começar por notícias de que o contexto você já conhece é mais indicado caso tenha dificuldades de vocabulário.

4. Quinta-feira: estude gramática. O livro “English Grammar In Use” é um dos mais usados pelos estudantes.

5. Sexta-feira: ganhe repertório de palavras. A dica é contextualizar em frases novas palavras e termos que surgiram ao longo da semana. Aposte no uso de dicionários recomendados pelos professores.

6. Sábado: pegue a letra de uma música de que você já conhece e gosta. O objetivo é verificar vocabulário, estrutura e pronúncia.

7. Domingo: assista a um filme com som original em inglês prestando atenção à estrutura, palavras e pronúncia do idioma. Escolher legendas em inglês pode ser uma boa pedida.

*Este texto foi originalmente publicado na EXAME.com

 

Como melhorar pronúncia e vocabulário

Segundo a coordenadora acadêmica da Cultura Inglesa em São Paulo, Catarina Pontes, para falar melhor é importante entender aqueles sotaque e as suas peculiaridades. “Na Inglaterra, por exemplo, muitas das propagandas têm a ver com a pronúncia. Então se você não sabe como dizer aquela palavra você não vai entender aquela piada”, argumenta ela.

Catarina também comenta sobre erros comuns de brasileiros falando inglês – como, por exemplo, colocar uma vogal no final das palavras – e como evitá-los.  “Uma tendência que vejo em alunos que estão em nível intermediário é de usar sempre as mesmas escolhas lexicais. E daí vem este sentimento de que não sai daquele nível”, observa ela.

Confira nos vídeos abaixo e saia do intermediário!

 

Como melhorar a leitura

De acordo com a coordenadora acadêmica da Cultura Inglesa São Paulo, Catarina Pontes, quanto maior a exposição da pessoa à cultura da língua, maior vai ser a chance de ela perceber estas “sutilezas” que não estão exatamente nas palavras.

Uma boa forma de aumentar esta exposição é passar dos livros adaptados – que possuem um vocabulário simplificado – aos originais. “Até o mais clássico de todos, Shakespeare, tem desde obras que são para adolescentes (…) até os originais.” Na playlist abaixo, Catarina dá dicas de livros e autores que podem ser boas experiências de aprendizado, ao mesmo tempo que uma leitura leve e divertida.

Além disso, Catarina também dá dicas de como melhorar a sua habilidade escrita e deixar de depender do corretor automático. Confira:

 

Dicas para alcançar fluência em inglês

A boa notícia é que é possível adquirir fluência sem, necessariamente, viajar ou investir em um curso caro. A exposição ao idioma é a grande chave, segundo Catarina Pontes, Coordenadora Acadêmica da Cultura Inglesa em São Paulo. Segundo ela, é possível inserir o idioma no seu cotidiano e, mais importante que isso, é preciso organizar as informações a que está tendo acesso para conseguir aplicá-las no seu dia a dia. “Isso vai te ajudar a chegar mais próximo do inglês falado de verdade, não o inglês do livro ou de curso”, alerta.

Nesta websérie de três capítulos, Catarina vai explicar como melhorar sua pronúncia, fala e escrita em inglês, além de dar dicas para utilizá-lo melhor no ambiente de trabalho e no cotidiano.

Quer sair do intermediário? Vem com a gente!

 

 

5 apps de idiomas para conversar com falantes nativos

Tentamos achar apps que fossem tão acessíveis quanto possível. Ou seja: que oferecessem bons recursos mesmo no plano gratuito, e que estivessem disponíveis tanto para Android quanto para iOS. Assim, você pode estudar idiomas estrangeiros com falantes nativos sem gastar nada, e onde você estiver! Confira:

Tandem

O Tandem se descreve como uma “Comunidade de intercâmbio de idiomas”. Ele foi destacado pela loja de aplicativos do Google como um dos melhores apps de 2017, e é usado por falantes de mais de 160 idiomas diferentes — incluindo algumas linguagens de sinais.

Ele funciona de maneira simples: você faz um perfil, conta quais idiomas fala e que línguas gostaria de aprender. Com base nisso, você pode encontrar outros usuários que tenham algo a te ensinar, e que possam aprender com você! Vocês trocam mensagens, e o app tem uma série de recursos que facilitam a revisão e a correção de ortografia e gramática. Disponível para Android e iOS.

Leia também: 10 ferramentas para estudar inglês de graça 

HelloTalk

De maneira semelhante, o HelloTalk também permite encontrar pessoas que falam outros idiomas para te ensinar, ao mesmo tempo em que você as ensina a sua língua. Ele se diferencia por alguns recursos que o tornam um pouco mais semelhante a uma rede social, com possibilidade de compartilhar vídeos, fotos e mensagens.

Além de conversar com nativos por texto (e contar com recursos de correção), também é possível papear por áudio e vídeo, o que ajuda quem quer treinar a pronúncia. Há ainda jogos e podcasts que oferecem maneiras diferentes de praticar a língua estrangeira com falantes nativos. Ele também está disponível para Android e iOS.

Slowly

Você sabe o que é um “pen pal”? Essa expressão era usada para designar amigos que trocam cartas entre si sem se conhecer pessoalmente. O Slowly tenta trazer essa experiência para o mundo digital. Ele não é, em si, um app de aprender idiomas, mas permite falar com nativos de qualquer lugar do mundo, e pode ser particularmente interessante para quem quer treinar o inglês, já que o idioma é muito falado no mundo.

A ideia é que você crie um avatar, com apelido e data de aniversário e selecione alguns interesses. É interessante notar que há opções como “feminismo”, “LGBT” e “deficiências”. Com base nessas informações, o aplicativo escolhe pessoas ao redor do mundo com as quais você pode se comunicar. Disponível para Android e iOS.

Airtripp

Assim como outros apps dessa lista, o Airtripp também funciona como uma espécie de rede social que tem o aprendizado de idiomas como centro. Você pode criar um perfil, postar postar mensagens, fotos, e vídeos, e conversar com usuários de outros países. Ele também tem uma ferramenta de tradução de mensagens que pode auxiliar no aprendizado.

A pesquisa por outros usuários pode ser feita por interesses ou por país de origem. Um diferencial do app é que ele permite a troca de “presentes virtuais” entre os usuários. Esses presentes podem ser amontoados e, eventualmente, trocados por passagens aéreas para o país que você deseja visitar. Disponível para Android e iOS.

Busuu

O Busuu tem um aspecto mais tradicional de aplicativo de idiomas. Assim como o Duolingo, ele oferece aulas que o estudante pode fazer pelo celular para conhecer e praticar uma língua estrangeira. Mas ele também incentiva que os estudantes interajam entre si, e por isso permite conversas entre usuários.

Nesse aspecto, o Busuu tem a vantagem de ter uma comunidade de mais de 100 milhões de usuários pelo mundo. São 12 idiomas oferecidos na plataforma, incluindo português, inglês e os idiomais mais falados da Europa, Ásia e Oriente Médio. Ele está disponível para Android e para iOS.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia