Inicio Tudo sobre estudar no Uruguai

Tudo sobre estudar no Uruguai

0
Tudo sobre estudar no Uruguai
Plaza Independencia, Montevideo

Muito procurado por turistas por suas paisagens, com belas praias, ruas arborizadas e construções charmosas, o Uruguai também oferece possibilidades de estudo interessantes. Com um modelo de ensino superior bem diferente do brasileiro, é possível fazer graduação em universidades públicas, sem a necessidade de passar pelo vestibular para ser aceito. De maneira geral, aliás, educação de qualidade é uma referência do país vizinho da região sul brasileira, já que o Uruguai foi o primeiro país  da América do Sul a promover a gratuidade do ensino primário.

O Estudar Fora mostra o que é preciso para estudar por lá. Confira!

Breve histórico do Uruguai: direitos civis

Com população de aproximadamente 3,5 milhões de habitantes (dentre os quais, cerca de 15,5 mil são brasileiros), o Uruguai é o segundo menor país da América do Sul, tendo sido colonizado por espanhóis. A democracia foi consolidada em seu território nos anos 1980, após mais de uma década de ditadura, sendo que o Uruguai, nos anos seguintes, passou a ser o pioneiro em liberdades individuais em seu continente:

# Em 1907, autorizou o divórcio, por reivindicação de ativistas uruguaias
# Em 1915, estabeleceu a jornada de trabalho de oito horas diárias
# Em 2007, aprovou a união civil entre pessoas do mesmo sexo – permitindo, dois ano depois, a adoção de crianças por casais homoafetivos
# Em 2012, legalizou o aborto (embora, nesse caso, não tenha sido o primeiro país da América Latina a fazê-lo, já que Cuba foi o pioneiro)
# Também em 2012, no governo do presidente José “Pepe” Mujica, legalizou a maconha

Além disso, no Uruguai, Igreja e estado são oficialmente separados, o que assegura constitucionalmente a liberdade religiosa. Em termos econômicos, é um dos países mais desenvolvidos da América do Sul, tendo alcançado, em 2017, o 15º ano ano consecutivo de crescimento, com o aumento do PIB (Produto Interno Bruto) registrado no ano de 2,7%, chegando a US$ 56,16 bilhões.

O ensino superior uruguaio

Para ingressar em uma universidade uruguaia, não é necessário fazer vestibular. Isso mesmo! Como existem vagas para todos (tanto nas universidades públicas, quanto nas particulares), não há impedimento para matrícula. Mas o fator de inclusão também pode gerar algum incômodo, já que, principalmente nos primeiros meses de curso, as salas de aula costumam ficar lotadas, com cerca de 300 alunos nos cursos mais concorridos (Medicina, por exemplo).

Documentação exigida 

Para estudantes estrangeiros, caso a intenção seja fazer algum curso rápido no país, não é necessário ter passaporte ou visto. Já para cursos com duração acima de 90 dias, geralmente é obrigatório comprovar residência no país, de mais de três anos. Esse procedimento é exigido especialmente nas instituições públicas.

Quem quer ingressar em uma universidade uruguaia e ainda não cumpriu o período de residência pode tentar entrar com um pedido junto à instituição de interesse, que será avaliado pelos responsáveis.

Para ingressar em qualquer faculdade (pública ou particular) é preciso revalidar o ensino médio no CES (Consejo de Educación Secundaria), o que exige que alguns documentos sejam protocolados no país de origem do aluno estrangeiro e, depois, no Uruguai. Para alguns cursos, pode ser que o estudante tenha que cursar determinadas disciplinas a fim de que diploma possa ser reconhecido. Geralmente, todas as informações necessárias para estrangeiros constarão no site da instituição de interesse, mas outros detalhes sobre revalidação podem também ser obtidos na página do CES e também no site da Embaixada do Uruguai no Brasil.

Principais universidades uruguaias

UdelaR (Universidad de la República)

Fundada em 1833, a universidade, autônoma, é a mais importante do Uruguai e a única cujo ensino é público, oferecendo diversos programas, desde extensão universitária até pós-graduação. A estrutura compõe catorze faculdades, sendo mais conhecidas as dos cursos de Medicina, Direito, Engenharia, Arquitetura e a Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação.

Todas as informações sobre formas de ingresso na UdelaR – incluindo detalhes sobre o curso de espanhol que é oferecido a alunos de fora – podem ser obtidas aqui. Entretanto, é importante destacar que, apesar de ser uma instituição pública, os cursos de pós-graduação (especialização, mestrado ou doutorado) são pagos.

UdelaR
Universidad de la República (UdelaR) / Crédito: Wikimedia Commons

Universidad Católica del Uruguay (UCU)

Fundada em 1985 e com cerca de 10 mil alunos, é a mais antiga universidade privada do Uruguai, tem 6 faculdades (Ciências da Saúde, Ciências Empresariais, Ciências Humanas, Direito, Engenharia e Tecnologia, Odontologia) e 22 departamentos. A admissão de alunos internacionais se dá de três formas:

# Convênios bilaterais: são acordos firmados com universidades do exterior, que podem transferir os alunos para a UCU caso estes sejam selecionados em seu programa de intercâmbio. No Brasil, instituições como a PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais, além de UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) são participantes do convênio bilateral (veja outras instituições aqui).
# ISEP: o International Student Exchange Program oferece a opção a alunos de universidades parceiras do programa de estudar na UCU, com possibilidade de bolsa de estudos. A FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) é uma delas.
# Processo “Free Movers”: é o processo que ocorre por meio de faculdades que não se encaixem nas opções acima. Pela opção de mobilidade livre, é possível cursar um semestre na UCU, mediante pagamento de cerca de 2,2 mil dólares (valor do semestre), além de 400 dólares de matrícula. O processo de admissão pode ser consultado aqui.

A Universidad Catolica oferece ainda um curso de espanhol de duas semanas para estudantes estrangeiros, no valor de 300 dólares (250, caso a inscrição seja feita antecipadamente). Para alunos aceitos por meio de convênio bilateral ou “Free Mover”, as aulas são gratuitas.

Universidad Montevideo

Inaugurada em 1986, essa universidade também é católica e privada, e conta com os departamentos de Ciência e Economia de Gestão, Direito, Comunicação, Humanidades e Engenharia, além da uma escola de negócios e do centro de Ciências Biomédicas. Os alunos estrangeiros, assim como no caso da Universidad Catolica, podem ingressar por meio de um programa de intercâmbio ou do processo “Free Movers”. As informações podem ser obtidas na página de estudantes internacionais.

Universidad ORT

Estabelecida em 1942, a ORT Uruguai já foi considerada a 10ª melhor da América Latina pelo ranking Times Higher Education, em 2008. Com cinco faculdades (Administração e Ciências Sociais, Arquitetura, Comunicação e Desenho, Engenharia e Educação) e mais de 11 mil alunos, conta com programas de graduação, pós-graduação e cursos técnicos para estudantes vindos de fora. As informações constam na página de admissões internacionais da instituição.

Universidad de La Empresa (UDE)

Criada em 1998, a universidade conta com cerca de 5 mil estudantes em mais de 60 programas das seguintes faculdades: Ciências Empresariais, Ciências Jurídicas, Ciências da Educação, Ciências Agrárias, Desenho e Comunicação, Engenharia e Ciências da Saúde. A instituição oferece diversos programas de intercâmbio estudantil para graduação, com universidades de vários países (entre eles, o Brasil). Funciona de maneira semelhante ao processo da Universidad Catolica, em que é possível cursar um semestre na Universidad de la Empresa. Todos os detalhes sobre o ingresso de alunos de fora podem ser consultados na página de Relações Internacionais da UDE.

Custo de vida no Uruguai

A moeda oficial do Uruguai é o peso uruguaio, mas é comum que também seja utilizado o dólar americano. Esse, inclusive, é um detalhe essencial a se considerar: itens como imóveis, eletroeletrônicos, automóveis e até pagamento salarial costumam ter preços em dólar. Ou seja: o custo de vida é alto. Por outro lado, o vizinho do sul do Brasil é muito reconhecido por sua qualidade de vida, o que se reflete nas condições salariais de quem vive por lá: o salário mínimo (referente a 2018) é no valor de 13.430 mil pesos (o equivalente a 1.545 reais ), enquanto a média salarial é de aproximadamente 16 mil pesos uruguaios.

A boa notícia para estudantes brasileiros é que há possibilidades de auxílio financeiro. Exemplo disso são as bolsas do Grupo Santander para estudar no Uruguai, sendo a principal delas a bolsa Ibero-Americana, cujo foco são os alunos de graduação que desejam se aperfeiçoar por meio de um intercâmbio em um dos nove países participantes. A ajuda costuma cobrir despesas como transporte, acomodação e alimentação durante todo o período no exterior.

 

Foto: Praça Independência, em Montevidéu/ Crédito: Wikimedia Commons

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia