Inicio Conheça a Minerva School, a escola que leva seus alunos a 7 países em 4 anos

Conheça a Minerva School, a escola que leva seus alunos a 7 países em 4 anos

0
Conheça a Minerva School, a escola que leva seus alunos a 7 países em 4 anos

A Minerva School é uma universidade com uma proposta totalmente diferente das opções disponíveis no mundo atualmente. Nela, os jovens vivem em uma espécie de “campus itinerante”: o primeiro ano é realizado em São Francisco, onde a sede da Minerva School fica, e nos demais os estudantes mudam de país a cada semestre.

O objetivo da Minerva School é ser uma universidade de excelência que acelera a trajetória de vida dos estudantes através da criação de uma rede internacional de formação de futuros líderes inovadores em todas as disciplinas. Na instituição, os alunos vêm de diferentes países e têm aulas online e ao vivo com professores de ponta.

O projeto foi fundado pelo CEO Ben Nelson em 2011 e recebeu um aporte de investimento de US$25 milhões do Benchmark Capital em 2012. Segundo Ben Nelson, o primeiro ano da universidade é focado em desenvolver a comunicação do aluno e habilidades de análise crítica. “As turmas terão no máximo 20 alunos e o objetivo é que seja um curso totalmente mão na massa”, explicou nos primeiros anos da Minerva.

Leia também: as Melhores Bolsas de Estudo com Inscrições Abertas

Além de Ben Nelson, na direção da nova universidade estão nomes de peso, como Larry Summers, ex-Presidente da Universidade de Harvard e ex-Secretário do Tesouro dos Estados Unidos; Patrick Harker, Presidente da Universidade de Delaware e antigo Decano da Wharton School of Business; Bob Kerrey, ex-Governador de Nebraska e Senador e Lee Shulman, Professor Emérito na Escola de Educação de Stanford.

Minerva School em números

A Minerva School é uma universidade bem nova: a primeira turma da foi formada em 2014 e contou com 32 alunos de 13 países. Entre eles, estava o brasileiro Guilherme Souza, que produziu uma série de colunas para o Estudar Fora durante seus estudos.

Nos últimos três anos, a Universidade Minerva nunca recebeu menos de 20 mil candidaturas por turma. Nos últimos dois anos, o número passou de 24 mil candidatos. Esse número elevado, junto com o número reduzido de vagas, faz com que a escola tenha uma das taxas de admissão mais baixas do planeta: cerca de 1,8%.

De acordo com o site da Minerva, cerca de 80% dos alunos vêm de fora dos Estados Unidos. A região mais representada é a Ásia, que corresponde a aproximadamente 29% dos estudantes da escola. A América Latina, por sua vez, corresponde por cerca de 10% dos alunos.

Durante a graduação, os estudantes da Minerva passam por sete cidades em sete países diferentes. Os intercâmbios são na ordem: São Francisco (EUA), Seul (Coreia do Sul), Hyderabad (Índia), Berlim (Alemanha), Buenos Aires (Argentina), Londres (Reino Unido) e Taipei (Taiwan).

Modelo de ensino da Minerva School

O currículo da Minerva School é amplo e multidisciplinar. Todos os estudantes têm aula em quatro cursos básicos no primeiro ano – análise teórica, análise empírica, sistemas complexos de análises e comunicação. Os estudos são complementados pela experiência de imersão internacional.

Os estudantes viajam e vivem em sete diferentes locais ao redor do mundo até se formarem. Além disso, a interação diária com o corpo global de estudantes da Minerva  oferece uma oportunidade única de intercâmbio cultural de comunicação e compreensão.

Leia mais: Minerva School: estudante brasileiro conta sobre sua experiência

Os alunos têm aulas de segunda a quinta-feira, das 9h às 12h30, com a diferença de que a o estudante escolhe onde será a sala de aula: seu próprio quarto, um parque ou um café. Há, no máximo, 19 alunos por aula para que todos participem e interajam.

As aulas da Universidade Minerva são seminários ao vivo e com intensa discussão, conduzidos em tempo real por docentes de excelência usando uma plataforma interativa apropriada. À tarde, eles desenvolvem atividades co-curriculares e projetos junto à comunidade, participam de grupos de estudos e de passeios, como visitas a museus e galerias. Além disso, todos os alunos moram no mesmo prédio.

Outro ponto interessante no qual a Minerva School difere de outras instituições é na forma de avaliação. Nela, não há provas nem exames “finais”: todos os estudantes são avaliados semanalmente e recebem quatro notas por disciplina.

Imersão global e cultural

No lugar de um simples campus centralizado, os estudantes da Minerva School são incentivados a viver e estudar nas acomodações próprias da instituição em nas sete cidades diferentes em que moram durante os quatro anos de estudos. 

Essa experiência de imersão global e cultural é única entre as universidades estadunidenses e dá aos alunos a oportunidade de aprender com a diversidade cultural, construir um networking global e conhecer a realidade socioeconômica dos países em que passam, por meio das atividades locais extracurriculares.

Cursos da Universidade Minerva

Integrante da KGI (Keck Graduate Institute), instituição americana membro do Claremont University Consortium, a Minerva School tem cursos em diversas áreas. Os alunos podem optar por majors em disciplinas como Artes e Humanidades, Ciências Computacionais, Ciências Naturais, Ciências Sociais e Negócios.

Em cada uma dessas áreas, é possível escolher entre uma série de concentrations, ou áreas de estudo focado. Dentro de Artes e Humanidades, por exemplo, há opções como “Dinâmicas da Arte e da Literatura” ou “Filosofia, Ética e Direito”. Já em Ciências Naturais é possível realizar concentrations em “Células e Organismos” ou “Sistemas da Terra”, entre muitas outras opções.

Como se candidatar

As inscrições para turmas da Minerva School costumam acontecer na virada do ano, encerrando em janeiro. Há a possibilidade de se candidatar no período de Early Action, que normalmente recebe inscrições até novembro.

A admissão é altamente competitiva e baseada em mérito, são considerados o perfil acadêmico e pessoal do candidato. O processo, no entanto, é relativamente simples e não exige muitos dos exames e provas que costumam ser demandados por outros processos de seleção de universidades estrangeiras.

Leia também: Brasileira que estuda na Minerva dá dicas para quem quer se candidatar

O processo de candidatura ocorre em 3 etapas:

  • Who You Are, em que o estudante precisa enviar documentos como histórico escolar e descrever uma conquista;
  • How do you think, que compreende uma série de desafios de matemática, criatividade e comunicação;
  • What You Have Achieved, que demanda algumas redações sobre conquistas no correr da vida.

Saiba mais sobre o processo de seleção aqui. Segundo a diretora de admissões da Minerva School, Neagheen Homaifar, “queremos alunos de cabeça aberta, que trabalham duro, são pró-ativos, resilientes e querem mudar o mundo”. De acordo com Neagheen, a carreira de liderança pode começar “por sua escola, seu bairro etc.”.

Outro ponto importante, segundo ela, é ter curiosidade intelectual e cultural. A instituição busca estudantes “famintos” por absorver conhecimento. “Se você só quer estudar Ciências da Computação, por exemplo, e não tem interesse em nenhuma outra área, a Minerva não é para você”, explica. De acordo com a diretora de admissões, “aqui é o lugar de gente com múltiplos interessantes e que quer ligar áreas do conhecimento.”

Bolsas e apoio financeiro para a Minerva School

Um dos diferenciais da Minerva é oferecer uma educação de excelência a um preço acessível para os estudantes. A anuidade (tuition) é de US$ 10.000, que representa 25% do custo de outras universidades norte-americanas privadas altamente seletivas.

Leia também: Brasileira conta como ganhou bolsa da Universidade Minerva para graduação

Já o custo total por ano (incluindo ainda livros e materiais, quarto e acomodações, serviços acadêmicos e seguro-saúde) é estimado em US$ 28.850, aproximadamente a metade do custo de outras universidades. Os aprovados para a primeira turma têm os custos do tuition subsidiados pela própria instituição.

Nos últimos anos, a Universidade Minerva ofereceu um bolsa de estudos especial em parceria com a Fundação Estudar. Mais detalhes sobre a oportunidade podem ser vistos neste link.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia