Um Projeto: Fundação Estudar
Cinco alunos da Minerva Schools at KGI abraçados

Brasileira que estuda na Minerva dá dicas para quem quer se candidatar

Por Gustavo Sumares
15.02.2019

Bárbara Machado, atualmente cursando o segundo semestre da Minerva Schools at KGI, conta como fez seu application e fala sobre sua experiência na universidade multinacional.


A primeira vez que eu ouvi falar sobre a Minerva foi em um grupo do Facebook que reúne brasileiros interessados em estudar fora e alunos que já estudam fora. Na época eu buscava informações sobre como fazer o application e, dentre todas as universidades, a Minerva se destacou para mim desde o início. Uma aluna da Mineva havia postado que o application estava aberto, e a forma com que ela descreveu a Minerva era diferente de tudo que eu já havia ouvido sobre universidades.

Após pesquisar mais sobre a Mineva, foram três as razões que me fizeram tomar a decisão de aplicar:

Primeiro, na Minerva há muito enfoque em dar aos alunos ferramentas de resolução de problemas e exemplos de cenários em que eles poderiam aplicar tais ferramentas. Isso é o que chamamos de conhecimento aplicado —  quer dizer que o que a Minerva ensina é menos abstrato e mais contextualizado. Saber que eu poderia aprender ao mesmo tempo em que entendia formas de aplicar meus aprendizados para resolver problemas reais me chamou a atenção desde o início.

Segundo, na Minerva não existem lectures e todas as aulas usam um método chamado active learning. Isso significa que o professor tem o papel de facilitar, engajar e envolver os alunos em discussões. Dessa forma, a maior parte da aula é centrada nos alunos, que deixam de ouvir passivamente o professor e assumem um papel mais ativo e crítico no processo de aprendizado.

Por último, a possiblidade de viver em 7 países diferentes e vivenciar a imersão cultural do currículo global de Minerva contou muitos pontos. Durante os quatro anos de graduação, os alunos vivem em São Francisco (Estados Unidos), Seoul (Coréia do Sul), Hyderabad (Índia), Berlim (Alemanha), Buenos Aires (Argentina), Londres (Inglaterra), e Taipei (Taiwan), nessa ordem. Consequentemente, os alunos precisam se esticar culturalmente e quebrar diversos estereótipos. Na Minerva, é possível vivenciar esse choque cultural desde o primeiro dia, já que todos os alunos vivem juntos – no meu caso, eu compartilho meus dias com colegas de mais de 50 países diferentes.

Leia mais: 7 países em quatro anos: brasileira conta como ganhou bolsa da Universidade Minerva para graduação

Depois de entender mais sobre como a Minerva funcionava, eu pesquisei sobre o financial aid (auxílio financeiro), já que esse era um ponto importante para mim. A Minerva concede auxílio financeiro aos seus alunos e, na época do application, eu recebi um e-mail falando que a Fundação Estudar oferecia uma bolsa especial para alunos aplicando para a Minerva. Essa bolsa foi essencial para mim, já que aumentava muito as minhas chances de fazer faculdade no exterior, uma vez que fosse aceita para a turma de 2022 da Minerva.

O Application

O application — assim como a própria universidade — é diferente do applicaiton tradicional americano. Notas do SAT e TOEFL não são requisitadas e a Minerva tem o próprio jeito de avaliar as habilidades dos alunos por meio de desafios (os challenges). Os desafios foram mais naturais e divertidos do que eu esperava e eu completei boa parte do application em menos de 4 horas. É totalmente possível completar todo o application em apenas um dia, mas eu decidi fazer em dois dias já que um dos desafios poderia me dar uma boa vantagem, se bem executado. Esse desafio em específico é a parte em que os candidatos escrevem sobre 6 conquistas (accomplishments), pessoais ou acadêmicas, das quais eles se orgulham. Como o espaço era limitado, para mim foi desafiador escrever tudo o que eu gostaria com poucos caracteres.

O que eu achei mais interessante desse desafio foi que eu senti que a Minerva não queria ver apenas minhas medalhas ou prêmios, mas de fato a pessoa que eu era. Por isso, eu listei accomplishments bem diversos como discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas, participar no bootcamp de empreendedorismo social da Latin American Leadership Academy na Colômbia, e me tornar a primeira da minha família a me graduar no ensino médio. Eu senti que não havia resposta errada — e de fato não há. No final, eu gostei do resultado e esse se tornou o desafio mais marcante do meu application.

Conselhos para os candidatos

Para quem está aplicando ou planeja aplicar, meus cinco conselhos são:

1 – Seja você mesmo!

A Minerva realmente quer saber quem você é, não apenas quantos prêmios você tem. Tenha certeza de citar suas paixões, de explicar porque elas são importantes para você e como você pretende explorá-las na Minerva.

2 – Faça seu application em um lugar calmo e sem interrupções

O application é natural, mas você terá que pensar muito durante os desafios para dar o seu melhor. Afinal, você estará competindo com mais de 20 mil pessoas por uma vaga na universidade com a menor taxa de aceitação dos Estados Unidos, segundo o ranking do U.S. News.

3 – Envie todos os documentos o mais rápido possível!

Eu pedi para meu counselor enviar meus transcripts (histórico escolar) assim que comecei meu application. É essencial que a Minerva tenha todos os seus documentos e eu aconselho que transcripts, bem como os documentos para auxílio financeiro, sejam enviados o mais rápido possível. Não se engane, essa parte burocrática leva mais tempo do que planejamos!

4 – Siga a Minerva nas redes sociais!

Uma das formas de entender como é estudar aqui é seguir a Minerva nas redes sociais. A Minerva é bem ativa no Facebook, Medium e Instagram e frequentemente disponibiliza lives, textos, entrevistas e fotos, que transmitem como é a experiência dos alunos. Além disso, há diversos vídeos no YouTube. Quando eu estava aplicando, assisti todos os vídeos da série de “Global Immersions” para entender como a imersão nas outras cidades funcionava e como eu poderia me preparar melhor para aproveitar as oportunidades de cada cidade. O site da Minerva também é uma excelente fonte, cobrindo bem a parte de academics e financial aid. Aconselho que candidatos leiam todo o site!

5 – Entre em contato com quem já estuda aqui!

Entre em contato com quem já estuda aqui! Como a Minerva é um college novo, eu consegui entrar em contato com pelo menos um aluno de cada turma da Minerva. Conversei com brasileiros e não-brasileiros e isso foi essencial para entender como é a experiência e as imersões nas cidades do ponto de vista dos próprios alunos. Além disso, gostei muito de ver que a comunidade da Minerva é muito receptiva e várias pessoas estão dispostas a conversar. Isso tudo foi essencial para me preparar para todas as novidades que a Minerva oferece e que fogem de tudo que conhecemos sobre educação superior.

Leia mais: “Brasileiros são candidatos extremamente interessantes”, diz diretora da Universidade Minerva

Meu primeiro semestre e expectativas para o futuro

Agora estou cursando o meu segundo semestre na Minerva e guardo várias memórias de tudo que fiz até aqui. Dentre minhas memórias favoritas, estão:

1 – Os diversos banquetes que organizamos!

As ceias de Natal e o Thanksgiving foram minhas favoritas.

2 – Os inúmeros 10:01’s que tivemos!

10:01’s são uma tradição na Minerva e acontecem quase todos os domingos. Basicamente consistem em jantares em que alunos de um país cozinham comidas típicas e fazem uma apresentação sobre o país de origem. 100% imersão cultural e muita comida deliciosa — e de graça! Por causa dos 10:01’s eu já comi comidas típicas de mais de 10 países diferentes nos últimos 5 meses.

3 – Começar esse ano de 2019 acampando com outros 10 colegas de classe ao norte da Califórnia.

Foi a primeira vez em que passei tanto frio (pense duas vezes antes de acampar no inverno em lugares realmente gelados!), mas eu repetiria a experiência sem dúvidas! Ao acampar com meus amigos, tive a chance de recuperar minhas energias e me preparar para iniciar um novo semestre, ao mesmo tempo em que percebia que a Minerva oferece muito mais do que um diploma ou academics: aqui, o que realmente importa é a experiência e os laços que você cria enquanto aprende sobre o mundo.

A vida na Minerva é muito dinâmica, e todos os dias existem mil coisas para se fazer, além das aulas. Se você quiser saber mais sobre as minha experiências, acesse esse link onde listo mais coisas legais que aprendi e vivi!

Sobre a autora

Bárbara Machado é aluna da Classe de 2022 da Minerva Schools at KGI. Apaixonada por business, tecnologia, economia, educação e empreendedorismo, Bárbara fundou a Minerva Startup Society (ou simplesmente MSS) uma sociedade formada por e para alunos da Minerva que amam e querem aprender mais sobre empreendedorismo. Bárbara atualmente busca experiências e aprendizados na área de finanças e machine learning.

Universidade Minerva , em parceria com a Fundação Estudar, está oferecendo uma bolsa de estudo que cobre os quatro anos do curso de graduação na instituição. A bolsa inclui os custos de anuidade e moradia do estudante, podendo
chegar a 40 mil dólares. A candidatura é feita em rodadas, e o próximo prazo se encerra no dia 15 de março, para a turma que se inicia em setembro.  É necessário fazer o processo por meio deste link, que indicará que você conheceu a
Minerva através do Estudar Fora.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d