brasileiros na Brazil Conference 2018

Nos dias 6 e 7 abril, o Brasil esteve no centro das atenções em duas das melhores universidades do mundo: Harvard e MIT. A Brazil Conference reuniu intelectuais e personalidades brasileiras para discutir o tema da edição deste ano, a “ação que transforma”. Com um elenco tão variado de convidados, incluindo Jorge Paulo Lemann, a procuradora-geral da República Raquel Dodge e a cantora Anitta, não faltaram destaques da Brazil Conference 2018 para listar.

As palestras e mesas redondas foram transmitidas pela página do evento e os painéis discutiram os desafios do Brasil e iniciativas para mudança social durante a sexta-feira e o sábado, durante o dia inteiro.

Os brasileiros Flávia Goulart e Ivan Gontijo Akerman contam como foi estar na Brazil Conference 2018, representando a iniciativa Ensina Brasil. 

“Eu nunca tinha saído do Brasil e estar em Harvard foi um dos melhores momentos da minha vida”

“Participar da Brazil Conference 2018 foi uma oportunidade daquelas que são impossíveis de mensurar. Eu nunca tinha saído do Brasil e estar em Harvard podendo refletir criticamente durante as diversas mesas do evento foi sem dúvidas um dos melhores momentos da minha vida.

Como professora e participante do Ensina Brasil, uma das principais competências que venho desenvolvendo é minha liderança dentro e fora da sala de aula. Ouvir o discurso da Anitta, marcado pela resiliência e persistência para realizar seu sonho, me fez refletir sobre o impacto dessa competência na minha carreira. Meus alunos e alunas a tem como referência e eu levei para eles suas palavras de empoderamento e valorização da educação.

Leia também: “Planejamento é o melhor conselho”, diz aprovado em Harvard

Outro ponto importante que eu trouxe para o meu dia a dia é como o esporte contribui para a diminuição da desigualdade social, debate promovido pela Fernanda Gentil com a Rafaela Silva e Lars Grael. Eles me fizeram refletir sobre a necessidade de desenvolvermos projetos em conjunto com a comunidade das escolas que estão na periferia. Na escola em que leciono os alunos organizaram um projeto de basquete que visa a melhora da indisciplina através do esporte.

A maior atração do evento na minha concepção foi a mesa sobre educação, promovida pelo Todos pela Educação. Abrindo essa mesa, eu pude compartilhar junto com o professor Ivan Gontijo as experiências de estar lecionando na Escola Estadual Zélia Costa de Almeida em Cuiabá. Falar do dia a dia em sala de aula em companhia de grandes nomes da educação me deu forças para continuar acreditando que o nosso país em breve terá mais igualdade de oportunidades e uma educação de qualidade para todos. Compartilhamos dessa visão no Ensina Brasil.

Leia também: Brasileira conta como saiu do jornalismo para trabalhar com a educação pública

O pós-evento também trouxe fortes emoções: os professores da minha escola organizaram um grande café da manhã para comemorar a minha ida, e os alunos e alunas quando eu entro em sala de aula levantam e me aplaudem. Não consigo conter a emoção e a gratidão.

Volto para casa com a missão de contribuir para que os meus alunos e alunas possam estudar em Harvard e aumentar os 15% de negros que participaram da Brazil Conference 2018.”

Sobre a autora

Flávia Goulart Jesus Pinto, 27 anos, é formada em Administração pela UFRJ e professora de Português na Escola Estadual Zélia Costa de Almeida, em Mato Grosso. É participante do Programa de Formação de Lideranças do Ensina Brasil e sócia efetiva do Movimento Todos pela Educação.

“Representar os professores de educação básica foi uma grande honra”

“Na Brazil Conference 2018, estavam muitos dos grandes nomes que pensam as questões mais centrais para o desenvolvimento do Brasil. Representar os professores de educação básica foi uma grande honra e responsabilidade. No evento, o diálogo, o foco na solução e a construção de consensos para ações são constantes em todos os painéis. Nas mesas que tive o prazer de acompanhar, a solução para diversas questões brasileiras, que vão da segurança pública ao desenvolvimento tecnológico, estava centrada em uma educação pública de qualidade. Inclusive Anitta, painelista da conferência, citou a importância da educação para forjar características que são fundamentais na sua carreira, como a resiliência e o pensamento estratégico. Já Ciro Gomes defendeu que, para o nosso país se tornar mais desenvolvido e igualitário, é necessário que a educação se torne uma prioridade política.

Leia também: Por que essa advogada decidiu mudar de carreira e trabalhar com educação

Busquei compartilhar minha vivência frisando que existe muita coisa boa acontecendo no chão da escola pública no Brasil e que da mesma forma milhares de professores estão fazendo a diferença na vida dos alunos. Trouxe a ideia da profissionalização do professor, pois ser professor não é um dom, e sim uma profissão que exige uma série de competências e habilidades que podem ser desenvolvidas com prática e esforço. A principal competência que o professor deve desenvolver é a liderança. Por isso, sou um Ensina. No Ensina Brasil, programa do qual faço parte, acreditamos que a sala de aula deve ser também um espaço de construção de habilidades que um líder poderá utilizar em diversas áreas de atuação.

O painel de educação foi incrível, na medida em que os especialistas em educação conectaram suas propostas diretamente à vivência da sala de aula. Priscila Cruz, fundadora e presidente-executiva do movimento Todos Pela Educação foi autora de uma frase central: “uma política educacional que não chega na sala de aula não é uma política bem sucedida”.

O evento me propiciou uma troca intensa, uma vez que pude contar um pouco sobre o cotidiano e a importância do professor. Citar o nome dos meus alunos em Harvard foi uma emoção muito grande e isso tem um peso enorme na representatividade dos diferentes “Brasis” que estiveram presentes no evento. Agora, tenho o desafio de contextualizar todos os aprendizados que levo do evento para compartilhar com os alunos e professores da minha escola.

Sobre o autor

Ivan Gontijo Akerman, 24 anos, é economista pela UFRJ e professor de Matemática na Escola Estadual Governador José Garcia Neto, em Várzea Grande, Mato Grosso. É participante do Programa de Formação de Lideranças do Ensina Brasil e sócio efetivo do Movimento Todos pela Educação.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: