Um Projeto: Fundação Estudar
Yale World Fellows

Conheça o Yale World Fellows, programa para profissionais experientes

Por Giana Andonini
10.10.2017

O programa Yale World Fellows, idealizado pela universidade americana, foca profissionais em meio de carreira e que sejam líderes voltados a impacto social. Inscrições até 6/12!


Como uma espécie de incubadora de talentos, o Yale World Fellows é promovido pela universidade de Yale – terceira mais antiga universidade americana. A missão do programa é cultivar e empoderar uma rede global de líderes comprometidos com uma mudança positiva no mundo, por meio do diálogo e da ação.

A especialização ocorre anualmente e as inscrições para a seleção vão até dezembro. Os resultado com os selecionados é divulgado geralmente em abril do ano seguinte. No caso deste ano, o Yale World Fellows aceita candidaturas até dia 6 de dezembro.

O perfil de participantes esperado é de líderes que estejam no meio da sua carreira e interessados em aumentar ainda mais o alcance do impacto do seu trabalho.”É voltado aos profissionais que querem repensar sua carreira e o caminho que ela está tomando até o momento”, explica Valerie Belanger, diretora do programa.

Como funciona? 

O Yale World Fellows tem a duração de quatro meses e é focado na formação de líderes globais, Em média, os profissionais aceitos têm 39 anos de idade e entre cinco e vinte anos de experiência na sua área de atuação. A Fundação Lemann, parceira do Estudar Fora, apoia os brasileiros aprovados no programa com bolsas Lemann Fellowship. Os admitidos são automaticamente elegíveis à bolsa, que cobre todas as despesas em Yale, incluindo as atividades relativas ao programa e os custos de vida. Saiba mais AQUI.

No currículo da formação estão seminários, conversas com lideranças, estudos direcionados e um acompanhamento do desenvolvimento de competências. Nos seminários, os participantes são expostos ao debate crítico em profundidade de questões globais. Segundo Valerie, é uma maneira dos fellows confrontarem desafios reais e criarem um ambiente na sala de aula de experiência prática, o que difere o programa de outras formações tradicionalmente mais acadêmicas.

Já as conversas com lideranças ocorrem em um tom “off-the-record”, ou seja, em off. Os convidados dos diálogos são líderes de destaque e já passaram por lá personalidades como Kofi Annan, Tony Blair e o jornalista Thomas Friedmann.

Os estudos direcionados ocorrem junto com os demais alunos da universidade, tanto de graduação quanto de pós-graduação. Os participantes contam com o acesso aos mais de 2000 cursos oferecidos por Yale. Em complemento aos estudos, os fellows podem recorrer a uma enorme oferta de ferramentas e metodologias para seu autodesenvolvimento. Eles têm sessões facilitadas pela Yale School of Management em temáticas como negociação, empreendedorismo e inovação, além de receber coaching individualizado em oratória e  media training – treinamento para melhorar o relacionamento com a mídia e o desempenho em entrevistas.

Perfil dos participantes do Yale World Fellows

O Yale World Fellows busca candidatos que estejam em um estágio intermediário na carreira, tendo entre cinco e vinte anos de experiência profissional. “Eles já devem ter demonstrado um histórico de resultados no que fazem, e ter potencial para causar impacto regionalmente ou à nível global”, esclarece Valerie.

Também é requisito para os candidatos a fluência em inglês, ainda que o programa não exija exames de proficiência como TOEFL ou IELTS. Durante o processo seletivo, a habilidade do candidato em se comunicar no idioma deve ser testada em uma entrevista por telefone. De preferência, os profissionais devem trabalhar em projetos ou empresas focadas em países que não sejam os EUA, e serem líderes de impacto.

Como se candidatar ao Yale World Fellows

O processo de application pode ocorrer de duas formas. A primeira é por meio da nomeação de um candidato, que pode ser indicado por alguém que conheça seu trabalho e queira informar Yale sobre seu potencial para o programa. A segunda forma é a candidatura feita pelo próprio candidato, que deve preencher um formulário inicial disponível no site do programa. Não há preferência por um ou outro tipo de application.

O processo seletivo exige ainda três cartas de recomendação, que devem ser submetidas por um link gerado pelo site do programa, bem como três essays elaboradas pelo candidato. Também é necessário enviar um currículo em inglês ou ainda um vídeo curto descrevendo a trajetória do profissional interessado.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d