Um Projeto: Fundação Estudar
caneta fazendo anotações no papel

Último minuto: dicas finais para escrever seus essays de candidatura

Por Nathalia Bustamante

Por Carolina Lyrio

Estamos no final de dezembro e você planeja enviar seus applications até a virada do ano… tem a impressão de que todos seus conhecidos, amigos e inimigos estão com tudo tinindo e não entende porque você não consegue só sentar e produzir a(s) dezena(s) de essays que faltam. Em outras palavras, está começando a entrar em pânico. Respire fundo. Calma. Respire de novo. Isso é muito normal.

O primeiro passo é entender o que está te bloqueando. Pare de tentar escrever por alguns minutos e pergunte-se:

O problema é conteúdo? Faltam idéias ou idéias boas o suficiente? Nem sempre é possível forçar a criatividade ou prever quando/onde as novas ideias virão…minha sugestão é deixar uma folha de papel ou caderninho na sala, outro no banheiro (acredito que a maioria das ideias surgem durante a escovação dos dentes ou do banho) e um papel no bolso. Anote sempre que surgir algo que você pode usar depois. Pode ser que você tenha clareza do que quer escrever mas sempre que senta e começa sente que não consegue traduzir em palavras suas ideias.

Se a forma/formato for o gargalo, pode ser útil tentar escrever ‘sem freios’ – não pense que você está fazendo uma REDAÇÃO e deixe a escrita fluir livremente. Se quiser começar pelo parágrafo final ou escrever tudo e depois estruturar, não tem problema! Muitas vezes fica mais fácil trabalhar um texto quando se tem palavras na página, e não uma folha em branco te encarando. Dependendo, você pode até escrever o texto em português para externalizar e organizar as ideias mas corre o risco de perder fluência na hora de traduzir (já que muitas expressões são idiomáticas).

Por fim, tente entender quais são as expectativas que você tem para você mesmo(a) e para seus essays. Eu sentia muita frustração em não conseguir produzir textos (quase) perfeitos de primeira mas o que muitas vezes esquecemos é que os textos maravilhosos que lemos de ex-alunos passaram por dezenas de revisões antes de chegarem à versão que é enviada. Uma coisa que me ajudou bastante foi desligar a chave de ‘isso faz parte de meu application’ e ligar a de ‘vou contar umas histórias e escrever sobre coisas que gosto e me interessam’. Isso fez com que eu sentisse menos pressão (interna) e aproveitasse mais o processo.

Uma vez deslanchado o processo de escrita, será essencial controlar todos seus essays já que você provavelmente escreverá alguns (só Stanford, por exemplo, pede 3 de 100-2150 palavras mais algumas respostas curtinhas) – minha sugestão é uma lista/planilha em que você atualize quais estão planejados / escritos / revisados. Não deixe para escrever tudo de uma vez – é bom ter alguns dias entre quando você escreve um essay e quando envia para poder ler com olhos frescos.

 

Leia também:
Veja o essay de jovem mineiro disputado por Harvard e outras 6 universidades americanas
Como escrever um essay que conquiste a Harvard Business School

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo