Estudar na Itália: Universidade de Pádova oferece bolsas integrais

Um dos edifícios da Universidade de Pádova

A Universidade de Pádova, na Itália, está com inscrições abertas para seus programas ministrados em inglês, tanto de mestrado quanto de graduação. A universidade oferece bolsas para esses programas, incluindo a Padova International Excellence Scholarship, que cobre todos os custos do candidato selecionado para estudar na Itália, com inscrição aberta até 28 de fevereiro.

Além de custear o mestrado do estudante, a bolsa ainda inclui um total de 12.000 euros para auxiliar com os custos de moradia e alimentação na Itália. Esse valor é pago em três prestações de 4.000 euros cada. A primeira é paga quando o bolsista conclui os procedimentos de matrícula, e as demais são concedidas quando ele cumpre determinadas quantidades de créditos dentro de prazos estabelecidos no cronograma.

Leia mais: Seis países em que é possível estudar de graça – ou quase

A bolsa tem duração de um ano, podendo ser renovada de acordo com os resultados acadêmicos do estudante. De acordo com Nathalie Gurgel, brasileira que atualmente faz mestrado em Direitos Humanos na Universidade de Pádova com essa bolsa, “a experiência é incrível e te abre portas para outras oportunidades”.

Processo de candidatura

Para se candidatar à bolsa para estudar na Itália, basta que o aluno se candidate a um dos programas de mestrado oferecidos em inglês pela Universidade de Pádova. Não é necessário realizar um processo separado de candidatura para a bolsa: todos os candidatos não-italianos automaticamente concorrem.

O processo de candidatura varia conforme o curso. Segundo Nathalie, são exigidos CV e carta de motivação em inglês, diploma (para quem já concluiu a graduação) e histórico acadêmico (que não precisa estar em inglês). Também é necessário comprovar proficiência em inglês por meio de certificado IELTS, TOEFL, CPE ou outros, e pagar uma taxa de inscrição de 30 euros até o dia 28 de fevereiro.

O principal critério de seleção, segundo a universidade, é a “excelência acadêmica e promessa no campo de estudos proposto” dos candidatos. Ou seja: as notas contam bastante no processo. Há apenas uma bolsa integral por excelência de notas; no entanto, a Universidade de Pádova também oferece outras bolsas de estudo, que podem ser vistas neste link.

Leia mais: Pós-graduação em café na Itália tem bolsa integral para brasileiros

Como é estudar lá

Nathalie foi estudar na Universidade de Pádova porque, após concluir a graduação em direito na UFERSA, decidiu que queria se especializar em Direitos Humanos. Pesquisando por oportunidades de mestrado nessa área, ela concluiu que a Universidade de Pádova tinha a melhor opção. “O currículo do curso, a universidade, as oportunidades que são disponibilizadas, as bolsas que são oferecidas e a cidade foram o primordial para a minha escolha”, diz.

O processo de candidatura, na visão dela, foi relativamente simples, já que é tudo online. “Não há entrevista. Então, o maior desafio nessa fase foi a ansiedade pra ver o resultado, onde só é divulgado em abril”, comenta. Ela foi há cinco meses estudar na Itália e conta que a experiência tem sido tudo que ela esperava. “Eu sinto que estou exatamente onde eu deveria estar”, afirma.

O clima da universidade é bem positivo: “A estrutura do mestrado e da universidade é muito boa, as disciplinas são bem interativas e incentivam a participação do estudante. Está sempre acontecendo alguma coisa, seja na cidade ou na universidade, o que mantêm os estudantes em atividade. Já tive a oportunidade de participar de eventos, cursos como o de career coaching e até simulação (Padova Model UPR)”, conta Nathalie

“Estudar na Itália tem sido sim um desafio, mas uma experiência enriquecedora, sem dúvidas. Estou me acostumando a estudar em outro idioma (inglês), a ter que conviver com outra cultura (já que moro com italianos), com o clima (bem mais frio que a minha cidade no interior do RN) e a estar longe da minha família. Às vezes é difícil lidar com tudo isso ao mesmo tempo, mas a experiência traz o amadurecimento e nos prepara para a vida.”, considera.

Ela recomenda muito que outras pessoas se candidatem para estudar lá. E para quem quer estudar fora, considera que “a persistência e o foco são primordiaias”. “Ao longo do caminho você vai colecionar vários ‘nãos’, mas seja forte pois uma hora ou outra o ‘sim’ aparece e compensa todas as barreiras que você a encontrou no caminho”, diz.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: