Um Projeto: Fundação Estudar
brasileiros dão dicas para preparação

Brasileiros aprovados em Stanford, Yale e Princeton dão dicas para preparação

Por Priscila Bellini
20.04.2018

Brasileiros que foram orientados pelo Prep Estudar Fora compartilham dicas para preparação que fizeram a diferença. "Não tenha medo de arriscar", diz aprovado em 13 universidades.


Quem decide se candidatar às universidades americanas tem de saber que vai encarar um longo processo. É uma seleção holística, em que os estudantes são analisados como um todo, incluindo redações sobre a própria trajetória, notas de testes padronizados e atividades extracurriculares. Com tantas etapas para levar em conta, dicas para preparação são sempre bem-vindas.

Depois de passarem um ano dedicados às applications, os alunos do Prep Estudar Fora, o preparatório gratuito da Fundação Estudar para graduação no exterior, podem comemorar dezenas de aprovações. Em termos mais exatos, 27 delas até agora. Para auxiliar outros brasileiros que desejam seguir o mesmo caminho, os estudantes Vitor Furtado e Diego Zancaneli deram dicas para preparação.

Leia também: “Boas notas não são tudo”, afirma brasileiro aprovado em Columbia

Para Vitor, um dos aspectos essenciais tem a ver com o tipo de abordagem dada pelo estudante ao se apresentar às instituições de ensino. “Entenda o seu perfil, as suas características e dê um argumento interessante”, aconselha ele, que recebeu o aceite da Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos. O jovem paulista explica que viu colegas narrarem suas experiências em olimpíadas científicas e competições internacionais, enquanto ele optou por destacar sua dedicação ao xadrez.

Já Diego Zancaneli reúne 13 aprovações em universidades americanas – incluindo Yale, Princeton e Stanford – e indica que os alunos demonstrem uma lógica ao longo da candidatura. É preciso que tanto essays quanto as atividades relatadas pelo estudante façam parte de uma mesma história.

Ele ressalta, ainda, que o setor de admissions analisa as candidaturas por um viés holístico, mas os alunos não devem desapontar nas provas. “Não deixe de dar o seu melhor no SAT, ACT, TOEFL e provas da escola”, diz ele.

Confira mais dicas para preparação

 

 

Leia também: O que define um bom desempenho acadêmico para as universidades?

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d