Um projeto: Fundação Estudar

Estudar Fora

Curiosidades, oportunidades e dicas para te ajudar

12.07.13

Olimpíadas Científicas podem te ajudar a chegar à universidade dos sonhos

Olimpíadas Científicas podem te ajudar a chegar à universidade dos sonhos

Crescimento pessoal, acadêmico e profissional, disciplina, dedicação e foco. Tudo isso você adquire com a participação nas olimpíadas científicas

Em cada país as universidades usam critérios diferentes para selecionar seus estudantes. A maioria das grandes instituições de ensino do mundo levam em consideração as notas tiradas durante o ensino fundamental e médio e as atividades nas quais nos envolvemos. As olimpíadas científicas, além de ser uma ótima ferramenta de incentivo para futuros talentos em diversas áreas, podem ser um fator interessante para te ajudar a ingressar na universidade dos sonhos.  Mas fique atento, ganhar uma medalha não é garantia de uma vaga.

As olimpíadas científicas são competições para estudantes do primeiro e segundo grau e têm como objetivo incentivar e encontrar talentos em diversas áreas, como matemática, química, astronomia, física, linguística, biologia, oceanografia, entre outras. Tais competições se dão por variados formatos, desde provas técnicas, experimentos e, até mesmo, debates.

Olímpicos autodidatas

fundacao-7639

Bárbara foi aceita em três universidades tops e escolheu estudar em Yale.

Bárbara Cruvinel conheceu as olimpíadas científicas aos 13 anos. Aos 15 ela já competia pelo Torneio Internacional de Jovens Físicos e foi a única aluna a representar o Brasil nas últimas duas edições do mundial. Ela viajou para competir no Irã e na Alemanha e já ganhou dezenas de prêmios em olimpíadas. Não à toa ela foi aprovada pelas universidades de Yale, Columbia e Boston. Bárbara conta que o fato de ter participado de olimpíadas científicas foi muito importante para sua formação. “Você aprende a ser autodidata e acaba estudando conteúdos que nunca são dados em sala de aula, chegando ao nível de graduação universitária por vezes”, afirma.

As olimpíadas científicas, além de te ajudar com as próprias matérias cursadas na escola, também te ajudam a desenvolver o raciocínio para provas como os vestibulares e até mesmo a entender o mundo a sua volta. Tais competições são importantes para que jovens mais tímidos possam se soltar, pois os mesmos aprendem a se comunicar melhor ao apresentarem seus trabalhos de pesquisa em público e, no caso de torneios internacionais, ajuda a desenvolver a proficiência em inglês. Nas olimpíadas científicas, você ainda tem a oportunidade de conhecer diversas pessoas que se interessam pelos mesmos temas que você, o que muitas vezes não ocorre na escola.

Além do crescimento pessoal e acadêmico, participar das olimpíadas científicas pode chamar a atenção do comitê de admissão das universidades, que costumam levar em consideração as atividades realizadas durante o ensino fundamental e médio. Caso o aluno tenha conquistado títulos, tais honras acadêmicas se tornam um diferencial. “As olimpíadas me fizeram querer ir estudar fora, foram muito úteis para desenvolver habilidades e interesses específicos, me renderam prêmios que davam uma noção aos admissions officers sobre quais eram as minhas qualidades e capacidades, além de me darem boas experiências para relatar nos applications”, conta Bárbara.

Olímpiadas: um desafio intelectual

Cassio

Cássio conquistou títulos em Física, Química, Matemática, Astronomia e Robótica.

Cássio dos Santos é outro amante das olimpíadas científicas. Ele começou a participar quando estava na sétima série e de lá pra cá vem colecionando títulos. Medalha de Prata na Olimpíada Internacional de Ciências Junior, medalha de Bronze na Olimpíada Internacional de Física, melhor aluno do Ensino Médio na Olimpíada Paulista de Física, entre outras medalhas em Olimpíadas de Física, Química, Matemática, Astronomia e Robótica.

Cássio conta que as olimpíadas foram um desafio intelectual para ele mesmo, o que lhe trouxe controle e disciplina para estudar. Ele também acredita que elas possam ser um diferencial interessante na hora de concorrer a uma vaga em uma universidade no exterior. “Conheço inúmeros amigos que, em nome das olimpíadas, acabaram também aplicando para universidades no exterior. Os admissions officers com olhar mais acadêmico valorizam bastante conquistas olímpicas, principalmente as competições internacionais, pois mostra a vontade concretizada de um aluno em compreender uma disciplina de maneira pura e profunda, a ponto de ser destaque em seu país e no mundo”, conta.

Quer conhecer mais sobre as olimpíadas científicas? Clique AQUI

Bárbara e Cássio acreditam que as olimpíadas sejam importantes, mas que não são as únicas maneiras de se destacar em uma seleção. “Não tome as olimpíadas como única motivação para se destacar frente a um admission officer: apenas siga em frente como aluno olímpico se isso lhe for confortável, se você se identificar verdadeiramente com elas”, diz Cássio.

:: Esta matéria foi escrita em parceria com o site Olimpíadas Científicas, administrado pelos blogueiros Cássio e Bárbara. Se você ficou interessado em participar de olimpíadas, acesse o site www.olimpiadascientificas.com. Ele servirá como um ótimo primeiro passo e uma ótima fonte de estudos e aprimoramento.

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas