Um Projeto: Fundação Estudar
Princeton

Princeton: conheça a universidade onde Albert Einstein deu aulas

Por Marcio Orsolini

Fundada em 1746 como College of New Jersey, a Universidade Princeton é a quarta mais antiga dos Estados Unidos. Membro da Ivy League, a instituição é célebre por seu corpo de pesquisa – a instituição chegou a ter Albert Einstein como professor, na década de 50.

A tradição da universidade, porém, tem mais de dois séculos: Antes de fincar raízes na cidade que lhe deu o nome, em 1756, a instituição passou um ano em Elizabeth e outros nove em Newark até enfim se estabelecer no Nassau Hall – em um terreno doado por Nathaniel Fitz Randolph, membro de uma tradicional família da região. O campus principal está a apenas uma hora de Nova York ou da Filadélfia e foi considerado em 2011 um dos campus mais bonitos dos Estados Unidos.

O lema da universidade é educar para que seus alunos sirvam à nação. Como resultado, de suas salas saíram dois presidentes dos EUA, além de 44 governadores e centenas de legisladores estaduais. A Câmara dos Deputados, por exemplo, passou a receber um aluno de Princeton a cada ano desde 1789.

Cursos Oferecidos

Princeton oferece cursos de graduação em ciências humanas, sociais, ciências da natureza e engenharia. Os estudantes geralmente possuem aulas ou seminários duas ou três vezes por semana, com um seminário de discussão extra chamado “precept”.

A instituição também oferece cursos profissionalizantes nas escolas de Engenharia, de Arquitetura, Finanças e também na Woodrow Wilson School of Public and International Affairs (nomeada em homenagem ao ex-presidente aluno da instituição).

Veja os cursos oferecidos pela instituição

Na Pós-Graduação estão matriculados cerca de 2600 estudantes, divididos em 42 departamentos acadêmicos e programas nas ciências sociais, engenharia, ciências da natureza e ciências humanas. A Universidade não possui escola de pós-graduação nas áreas de Medicina, Direito, Negócios ou Educação.

Vida de Estudante em Princeton

Hoje,  a instituição soma cerca 7.800 alunos (5.200 na graduação e 2.600 na pós), sendo 12% deles estrangeiros. Os estudantes são incentivados a se matricular em disciplinas variadas pelos primeiros dois anos antes de escolher um curso, e podem optar tanto pelo Bachelor of Arts (AB) como pelo Bachelor of Science in Engineering (BSE).

Mais de 98% dos estudantes vivem em dormitórios no campus – e alojamento é garantido a todos os estudantes de graduação durante os quatro anos do curso. Adicionalmente, as seis residências estudantis de Princeton oferecem uma variedade de eventos sociais e atividades – incluindo palestras e viagens. É comum que estudantes de graduação viajem a Nova York para assistirem óperas e shows da Broadway, por exemplo.

Os estudantes de graduação assumem uma política de integridade acadêmica chamada de Código de Honra, estabelecida em 1893 e vigente até hoje. Segundo o Código, professores não fiscalizam os exames aplicados; no lugar disso, os próprios estudantes fiscalizam um ao outro e devem delatar suspeitas de violação para um comitê formado por outros estudantes. Caso seja comprovada a suspeita, o estudante pode ser suspenso ou expulso da universidade.

As cores da universidade são laranja e preto. Seus atletas são conhecidos como Tigres.

Rankings universitários

Princeton mantém-se consistentemente entre as melhores universidades do mundo. No Academic Ranking of World Universities 2016 ocupa a 6ª posição; já no ranking da publicação britânica Times Higher Education (THE), aparece em 7º. No Ranking QS 2018, ficou na décima-terceira posição.

Admissão a Princeton

A universidade é considerada uma das mais seletivas dos Estados Unidos, admitindo cerca de 6% dos candidatos. Em média, o SAT dos aceitos é de 690-790 para Critical Reading; 710-800 para Matemática; e 700-790 para Redação. A universidade também aceita o ACT, e o score médio é entre 32-35.

Para pós-graduação a instituição é igualmente seletiva. A estudante brasileira Clarissa Forneris, que fez sua graduação no MIT e hoje está em um PhD em Química em Princeton, explica que a candidatura se assemelha mais a uma candidatura de emprego. “Neste cenário, a porta de entrada é ter um professor por cuja pesquisa você se interesse”, explicou ela ao Estudar Fora. Assim, tanto o contato prévio com o professor/pesquisador quanto um Personal Statement sério e focado na pesquisa são fundamentais. “Não há perguntas voltadas a extracurriculares, amigos… O que importa é a sua pesquisa e o seu mérito”, argumenta.

Estudar em Princeton custa cerca de US$ 45 mil dólares por ano (dados de 2015) apenas de mensalidade, sem incluir os gastos com moradia e alimentação. A universidade também aplica a política de need blind para todos os candidatos. Isto é, os alunos são aceitos independentemente se podem ou não pagar as mensalidades. Em geral, aqueles que não têm condições de arcar com os custos recebem bolsas de estudo ou a oportunidade de trabalhar dentro do campus. Cerca de 60% dos alunos da graduação recebem bolsas de estudos anuais de, em média, US$ 48 mil. Tamanha generosidade é possibilitada, também, pelas generosas doações recebidas pela universidade – Princeton tem o maior endowment por estudante nos Estados Unidos.

Entre os muitos grandes intelectuais que já passaram por seus corredores estão 38 vencedores do Nobel, incluindo John F. Nash, o matemático que inspirou o filme “Uma Mente Brilhante”; Daniel Kahneman, Paul Krugman, Mario Vargas Llosa e Angus Deaton, vencedor do Nobel de Economia de 2015.

Ex-Alunos Famosos

Passaram por Princeton dois presidentes dos Estados Unidos e 41 ganhadores do Prêmio Nobel. Seu maior destaque, porém, é na área da Matemática: além de diversos ex-alunos notáveis nesta área, a universidade também está associada a 14 ganhadores de Medalhas Fields.

– Charles Conrad, astronauta e terceiro homem a andar na Lua;
– Eric Schmidt, presidente do Google;
– Jeff Bezos, fundador da Amazon;
– F. Scott Fitzgerald, autor de “O Grande Gatsby”;
– Michelle Obama, primeira-dama americana;
– John F. Nash, matemático
– Paul Krugman
– Mario Cargas Llosa, escritor
– Alan Turing, matemárico e cientista da computação

 

Confira o site oficial da Universidade

 

 

Leia também:
Veja quais são as universidades mais admiradas por empregadores
Guia online e gratuito sobr epós-graduação no exterior
11 guias online e gratuitos para quem quer estudar fora do Brasil

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo