Um projeto: Fundação Estudar

Universidades

Perfis, curiosidades e oportunidades das melhores universidades do mundo

25.11.16

Quanto custa estudar na Alemanha?

Quanto custa estudar na Alemanha?

Estudantes brasileiros comentam os custos básicos de moradia, alimentação, estudos e até manutenção de bicicleta na Alemanha!

Por Tasso Cipriano, do TIPPS,

Você que acompanha a coluna do TIPPs no Estudar Fora já sabe que, além de cursos de alemão, a Alemanha oferece inúmeras oportunidades acadêmicas, inclusive em inglês, e há várias razões para estudar ou pesquisar em terras germânicas. Nós também já te demos algumas dicas sobre como buscar a oportunidade ideal para você.

Se você já decidiu estudar/pesquisar na Alemanha, é importante ter uma noção do custo de vida. O artigo de hoje te mostra as principais despesas para quem vive na Alemanha por causa do estudo/da pesquisa:

 

#1 Acomodação

A primeira despesa é moradia. Como em todo lugar, os preços dos aluguéis na Alemanha variam conforme a cidade, o bairro e o tipo de acomodação (se você pretende morar sozinho ou não). Por exemplo, morar sozinho em um apartamento no centro de Munique (considerada a cidade mais cara para se viver na Alemanha) custa muito mais que alugar um quarto em uma república estudantil em uma cidade de interior. Os preços dependem, ainda, se o imóvel é mobiliado ou não (neste caso, você precisa computar os custos da mobília) e se as demais despesas de habitação (água, luz, aquecimento, Internet etc.) estão incluídas no valor do aluguel ou não.

Uma alternativa mais barata são as moradias estudantis oficiais, assim entendidas aquelas oferecidas pelo Studentenwerk – instituição pública sem fins lucrativos de assistência aos estudantes – de cada estado alemão.

Por ser muito difícil estimar uma média de preço, a melhor opção para se ter noção de valores, seja de moradias estudantis ou não, é realizar uma busca (por cidade) na Internet. A respeito disso, e de como encontrar acomodação na Alemanha, nós te contamos numa outra oportunidade!

 

#2 Seguro de saúde obrigatório

Todo(a)s o(a)s residentes na Alemanha são obrigado(a)s, por lei, a ter um seguro (ou plano) de saúde. Os valores desse seguro dependem de vários fatores: idade do(a) segurado(a), se a pessoa é estudante ou não, se o seguro é privado ou público (isso mesmo, o seguro “público” é também pago e costuma ser mais caro que o privado), tipo de cobertura (tratamento odontológico, por exemplo, nem sempre está incluso) etc.

Se você decidir se locomover de bicicleta, terá de computar também as despesas com manutenção – luzes dianteira e traseira, por exemplo, são obrigatórias.

 

#3 Contribuição de rádio (Rundfunkbeitrag) obrigatória

Na Alemanha, é obrigatório o pagamento de uma contribuição mensal de aproximadamente 20 euros pela transmissão de rádio e de televisão. O valor é devido por residência (e não por pessoa).

 

#4 Transporte

Você já deve ter ouvido falar que a bicicleta é um meio de transporte bastante comum na Alemanha. Se você decidir se locomover de bicicleta, evidentemente tem de computar os custos para comprar uma, ainda que usada, fora as despesas com manutenção (luzes dianteira e traseira, por exemplo, são obrigatórias). Embora seja possível encontrar bicicletas usadas a partir de 50 euros, aproximadamente, os preços (tanto de novas como de usadas) costumam ter três dígitos (média de 300 euros), podendo chegar até mesmo a quatro dígitos no caso de bicicletas novas.

Já em relação ao transporte público, os custos também variam de cidade para cidade, além de serem reajustados anualmente. Há diferentes bilhetes (individuais ou em grupo, por trecho, somente ida, ida e volta, diários, semestrais, anuais etc.). Em algumas cidades, estudantes pagam menos. Em outras, estudantes são obrigado(a)s a adquirir um ticket semestral (Semesterticket) que lhes dá direito a utilizar a rede de transporte público dentro da cidade – e, em alguns casos, até mesmo entre cidades – de forma ilimitada.

 

#5 Estudos

Na Alemanha, quando os estudos acadêmicos/universitários não são gratuitos, é cobrada uma taxa, geralmente semestral e cujo valor não costuma ser muito alto (geralmente, entre 150 e 250 euros por semestre). Também a depender da instituição de ensino, pode haver a cobrança de outras taxas (módicas), como para manutenção das associações estudantis. Se você for estudar alemão, compute os custos do curso e do material didático.

 

#6 Demais despesas

Outras despesas correntes incluem, por exemplo, alimentação, vestuário (especialmente importante no inverno), material de estudo (livros, cópias, cartão da biblioteca etc.), lazer (incluindo eventuais atividades físicas, cursos livres etc.). Há, por fim, algumas despesas pontuais tais como a taxa para a obtenção da permissão de residência (“visto”), cujo valor é aproximadamente 100 euros, fotos para documentos diversos, caução do aluguel (que pode chegar a até três vezes o valor do aluguel), entre outras.

 

Qual o custo total médio, afinal?

Apesar da dificuldade de se estimar o custo médio de algumas despesas individualmente – já que elas dependem tanto do lugar em que se mora quanto do estilo de vida de cada pessoa – é exigida de todo(a)s o(a)s estrangeiro(a)s residentes na Alemanha, como condição para a obtenção da permissão de residência, a comprovação de renda suficiente a cobrir as despesas acima mencionadas. Atualmente, esse valor é estimado pelo governo alemão em aproximadamente 700 euros mensais.

Por ser uma estimativa, esse valor pode não ser suficiente. Trata-se, portanto, de um valor mínimo. E, por ser mensal, você deve multiplicá-lo pelo número total de meses em que pretende estudar/pesquisar na Alemanha.

Caso você não disponha de toda a quantia necessária, sugerimos procurar uma bolsa de estudos, seja no Brasil, seja na Alemanha. Quer saber mais sobre os tipos de bolsas existentes, quem as oferece, como encontrá-las e como se candidatar a elas? Fique atento às nossas próximas colunas!

 

Sobre o Autor

aprender alemãoTasso Cipriano é bacharel em direito pela Universidade de São Paulo (USP), com período sanduíche na Universidade de Munique, quando também tirou o certificado TestDaF. Atualmente, é doutorando em direito pela USP e pela Universidade de Bremen. Foi bolsista do DAAD e da Fundação Alexander von Humboldt. Também é a idealizador do TIPPS, uma página destinada à divulgação de oportunidades de estudos e de pesquisa na Alemanha, com dicas e esclarecimento de dúvidas sobre diferentes editais e programas.

 

 

Leia também:
Brasileira conta como conseguiu bolsa integral na Alemanha… sem falar alemão
Site calcula custo de vida pelo mundo
Quanto custa estudar nas melhores universidades do mundo?

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas