Um Projeto: Fundação Estudar
500 Startups Team

Estágio de verão no Vale do Silício? Saiba como é a experiência

Por Nathalia Bustamante

Já sonhou em fazer um estágio no Vale do Silício? É lá que boa parte das inovações – tanto em tecnologia como em estilo de trabalho – acontece. A estudante Lusana Ornelas, da universidade Minerva, estagiou na empresa 500 Startups em São Francisco durante as férias de verão, e escreveu para o Estudar Fora relatando sua experiência. (Lembrando que a candidatura para a Minerva vai até o dia 15 de março – e são oferecidas bolsas de estudos em parceria com a Fundação Estudar).

Por Lusana Ornelas

Durante o verão passado, apliquei para uma vaga de estágio na empresa 500 Startups – uma das mais bem sucedidas startups accelerators e fundos de investimento para pequenas empresas do mundo, baseada no Vale do Silício.

Na primeira fase do processo seletivo, enviei meu currículo e uma carta de apresentação, explicando minhas experiências e porque eu estava interessada na empresa. Lembro-me que escrevi sobre as aulas que tive no meu primeiro ano da Minerva e como elas me ajudariam no ambiente profissional. Por exemplo, minhas aulas em ‘Formal Analysis’, focadas em estatística, lógica e cálculo, me ajudaram com tópicos relacionados a análise de dados e computação. Já minhas aulas de Análise Empírica eram focadas em solução de problemas de forma criativa, e uso do método científico para testar hipóteses. Sistemas Complexos, por outro lado, melhoraram meu entendimento de interações humanas, elementos de colaboração em times e negociação; enquanto Comunicações Multimodais me ensinou as diferentes formas de comunicação, estética e design. Todas eram competências que eu acreditava que seriam úteis em um ambiente dinâmico como o da 500 Startups.

Felizmente, fui selecionada para uma entrevista com o chefe do departamento de Desenvolvimento Empresarial, Zafer Younis. Ele é uma pessoa incrível, com anos de experiência e um currículo invejável. Durante a entrevista, ele me perguntou mais uma vez o porque do meu interesse na empresa, quais eram minhas melhores características, no que eu mais gostava de trabalhar e no que eu acreditava que precisava melhorar. Fui bem honesta, e expliquei pra ele todos os meus interesses. Eu gostava bastante de trabalhar com logística, mas precisava de mais experiências em negociações e administração de empresas. Por sorte, essa era exatamente a especialidade do Zafer, e eu estava certa de que me beneficiaria de ter uma pessoa como ele de mentor. Ele, por sua vez, tinha sob sua responsabilidade diversos projetos que envolvem planejamento e logística, nos quais poderia usar minha ajuda. Fiquei muito feliz em saber que tinha sido contratada. Comecei trabalhando com o Zafer assim que pude, auxiliando o time de desenvolvimento empresarial.

Por mais que estivesse animada com a possibilidade de entrar em contato com pessoas do mundo inteiro, confesso que tive um frio na barriga quando soube que iria trabalhar com profissionais de um grupo tão diverso.

No geral, o ambiente na 500 Startups é muito dinâmico e estimulante. É uma empresa que cresceu muito rápido. Em pouco mais de cinco anos, já tem um time de 150 funcionários baseados em mais de 20 países, com investimentos em mais de 60 países do mundo, falando mais de 25 línguas diferentes. A princípio, fiquei receosa de que a experiência seria muito intensa. Por mais que estivesse animada com a possibilidade de entrar em contato com pessoas do mundo inteiro, confesso que tive um frio na barriga quando soube que iria trabalhar com profissionais de um grupo tão diverso. No entanto, fiquei surpresa com o quanto me adaptei com facilidade. Acredito que um estudando com um corpo estudantil tão diverso, de mais de 45 países diferentes, definitivamente me tornou mais flexível e me ajudou a me conectar melhor com meus colegas de trabalho sem me sentir intimidada.

Eu estava sempre em contato com pessoas talentosas de diversos times locais, como Eventos, Recursos Humanos, etc, e também de todos os lugares do mundo. Por diversas vezes, tive que trocar e-mails com a equipe da Malásia, Reino Unido, México e Canadá. Me sentia tão inspirada, que terminava minhas tarefas rapidamente. Buscava, então, mais responsabilidades, pois queria aprender o máximo possível durante meu tempo na empresa. Como resultado, logo estava trabalhando em três times diferentes, com múltiplos chefes – tudo ao mesmo tempo!

Zafer me ensinou tudo o que podia sobre negócios, me convidando para participar de todas as suas reuniões da empresa e nos eventos mais importante. Sob sua tutela, conheci ministros de diversos países, como África do Sul, Panamá e Colômbia. Também conheci líderes de diversas empresas, como Harley Davidson, Visa, Microsoft, Nestlé, Google, entre outras, que frequentavam eventos e cursos da 500 Startups.

Depois de algumas semanas, um dos fundadores da empresa solicitou assistência em dois projetos adicionais. Meu chefe então me recomendou para a posição, por causa da iniciativa que eu havia demonstrado anteriormente. Ele me disse que confiava em mim para fazer um bom trabalho. E foi assim que comecei a trabalhar diretamente com Khailee Ng, CEO da 500 Startups, que logo se tornou meu ídolo e mentor.

Como o grande empresário que era, me senti extremamente honrada quando Khailee escutava atentamente às minhas idéias e sugestões. Como um verdadeiro chefe, ele me ensinou a importância de ser humilde. Apesar da sua posição de relevância, nunca me tratou de forma diferente por ser meu superior, ou por eu ser uma estagiária. Pelo contrário, fazia questão de enfatizar como valorizava minhas opiniões e como eu era importante na empresa. Khailee me encorajou a sempre expressar minhas opiniões, fazer mais sugestões e seguir minha intuição, o que fez-me admira-lo ainda mais.

Uma vez por ano, a 500 Startups faz um retiro com todos os seus funcionários. Dessa vez, a reunião seria em São Francisco, na Califórnia, e foi minha responsabilidade planejar o encontro anual do time. Me informaram que eu tinha cerca de dois meses para finalizar as preparações.

Seguindo os conselhos do time de eventos, comecei a planejar o retiro. Fiz pesquisas com os funcionários da empresa para saber o que esperavam, para desenvolver a melhor agenda possível. Busquei locais, decidi o menu que seria servido durante as reuniões, negociei os preços e fiz o melhor que podia para agradar aos funcionários da empresa. Felizmente, o evento foi um sucesso, o que me trouxe bastante reconhecimento dentro da 500 Startups. Ademais, ajudei também a escrever o guia da empresa para o time de Recursos Humanos, a planejar o acelerador da 500 Startups no Japão, a gerir nosso grupo de parceiros anuais nos Estados Unidos e planejar cursos para o time de Desenvolvimento Empresarial.

Foi um verão maravilhoso, cercado de pessoas talentosas e inspiradoras. Em pouco mais de 100 dias, aprendi muito, principalmente como tomar iniciativa pode levar a mais oportunidades de crescimento pessoal e profissional. Sou extremamente grata à família 500 Startups por essa oportunidade incrível.

 

Sobre Lusana Ornelas

Lusana Ornelas, estudante da MinervaLusana é ex-aluna de Engenharia de Produção da Universidade de Brasília e atual membro da Inaugural Class da Minerva Schools at KGI. É parte da turma que se formará em 2019 e como aluna da Minerva, já morou em São Francisco, Berlim e agora está em Buenos Aires. Apaixonada por negócios e feminismo, Lusana atualmente estuda Business e Ciências Sociais. Seu maior sonho é usar empreendedorismo para reduzir desigualdade de gênero ao redor do mundo.  Para conhecer mais informações sobre a Minerva e sua experiência universitária, visite a página oficial. minerva.kgi.edu

 

Leia também:
Tudo sobre estágio no exterior: confira este e-book gratuito
Brasileiros dão dicas de como conseguir estágio no exterior
Como é ter uma startup no Vale do Silício

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo