Inicio Veja o que não pode faltar na mala de quem vai estudar fora

Veja o que não pode faltar na mala de quem vai estudar fora

0
Veja o que não pode faltar na mala de quem vai estudar fora
Lembre-se de levar o essencial / Créditos: Byron Chin CC-BY 2.0

Quem planeja um intercâmbio sabe que cada etapa é importante, mas dar a devida atenção ao momento de arrumar a mala é um dos fatores que tornam uma experiência desse tipo bem sucedida e inesquecível. Imagine o desespero de só se dar conta de que algo está faltando, quando já está a milhas e milhas de distância? Ou, pior: de perder o voo porque esqueceu elementos básicos para embarcar?

Para não passar apuros e ainda se prevenir de eventuais desgastes, listamos itens essenciais que você precisa levar. Confira:

Documentos

Dos itens mais óbvios relacionados a uma viagem, como RG, passaporte e passagens, aos mais específicos do intercâmbio, como comprovantes do período de estudo na instituição estrangeira e seguro saúde, uma coisa é fato: a lista da documentação é extensa! Por isso, é recomendado organizar os documentos com antecedência, inclusive providenciando cópias de cada um deles, sem se esquecer de checar um por um ao fazer as malas. 

Por falar na bagagem, vale reforçar que a maior parte dos documentos precisa estar com você já no aeroporto, então, a dica é transportá-los na bagagem de mão, para não correr o risco de despachá-los.

Alternativas de Pagamento

É evidente que levar dinheiro para o exterior é algo básico, mas isso não significa que deve ser em espécie (ou, pelo menos, não todo o montante de que você vai precisar lá fora). Um meio de pagamento alternativo é o chamado cash passport, um cartão pré-pago que pode ser usado em caixas eletrônicos, estabelecimentos comerciais e compras online. Funciona na modalidade de débito e também como uma poupança, já que é possível depositar nele a quantia que você tiver disponível, com a vantagem de não sofrer com as variações do câmbio. Ter um cartão de crédito desbloqueado para transações internacionais também é válido, mas, neste caso, a atenção com as oscilações cambiais e IOF precisa ser redobrada.

Seja para carregar dinheiro em espécie, cartões ou até mesmo os documentos pessoais, outro item indispensável na mala para intercâmbio é uma doleira. Como o acessório (semelhante a uma pochete) fica preso ao corpo, as chances de perda ou furto de objetos reduzem consideravelmente. 

Eletrônicos

Tão importante quanto levar celular, notebook e câmera fotográfica, por exemplo, é ter na bagagem os respectivos carregadores de cada um desses itens. Vale checar se estão em boas condições antes de colocar na mala e, se possível, acrescentar baterias extras.

Muita gente também se esquece de outro objeto importantíssimo: o adaptador de tomada. Como as entradas para conectar os eletrônicos podem variar de formato e voltagem conforme o país de destino, ter um plug à disposição (especialmente se for do tipo universal) evitará esse tipo de desgaste.

Roupas e calçados essenciais

Aqui, antes de qualquer coisa, vale pensar sobre o quanto determinadas peças e calçados podem fazer volume na mala. Portanto, o primeiro passo é pesquisar o clima do local de destino e as possíveis variações de temperatura que podem ocorrer dependendo do período de estada. Com relação ao espaço, aliás, pode ser mais vantajoso comprar alguns itens no próprio lugar – só que, neste caso, a dica é deixar um cantinho reservado para trazer as compras.

Tanto a vestimenta quanto o calçado precisam ser confortáveis e, de preferência, em tons neutros, porque isso permite adaptar o look de diversas formas. E assim como em qualquer outra viagem, não se esqueça de levar roupas íntimas, pijama, meias e, dependendo do destino, também trajes de banho.

Itens de higiene e cuidados pessoais

A nécessaire deve conter não só artigos de higiene pessoal (shampoo, condicionador, desodorante, barbeador etc), como também protetores (solares para locais de clima quente e labiais para enfrentar baixas temperaturas, por exemplo). Dependendo da necessidade, até mesmo itens como secador de cabelo, depilador, “kit” para fazer as unhas e absorvente íntimo podem ser incluídos. 

Além deles, os medicamentos são indispensáveis, principalmente os de uso contínuo – que devem ser levados em quantidade suficiente, conforme o período que você vai passar longe de casa. Mesmo quem não costuma tomar remédio deve ter em mente que, por precaução, é bom ter alguns fármacos à mão, como analgésicos, anti-inflamatórios e, se for o caso, suplementos vitamínicos.

OUTRAS DICAS

Se é interessante saber exatamente o que deve constar na mala para intercâmbio, a noção do que é proibido é fundamental. Objetos cortantes, substâncias corrosivas, dispositivos de alarme e materiais magnéticos são exemplos do que não deve ser transportado. A lista é grande, mas pode ser encontrada no site da Anac.

Outro cuidado imprescindível é com as quantidades máximas permitidas tanto na bagagem de mão quanto na mala que será despachada.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia