Um projeto: Fundação Estudar

Graduação

O que você precisa saber para cursar uma graduação fora do Brasil

16.08.13

Existe período certo para entrar em uma universidade no exterior?

Existe período certo para entrar em uma universidade no exterior?

Se candidatar a uma universidade fora após o Ensino Médio pode dificultar a sua admissão

Quem já terminou o Ensino Médio há alguns anos pode ser aceito em uma graduação fora, porém, as universidades vão querer saber o que você fez do término do colégio até o presente momento. Você pode iniciar o processo de admissão da universidade desejada normalmente, mas durante o application terá que informar quando concluiu o Ensino Médio, e a partir deste momento os admission officers vão querer saber quais atividades você realizou neste período. Segundo Laila Parada Worby, orientadora do Prep Program, programa da Fundação Estudar que orienta jovens que desejam estudar no exterior, algumas das justificativas válidas são ter se envolvido em um grande empreendimento, servido o exército ou realizado alguma atividade extracurricular interessante.

Gabriela Tom, bolsista da Fundação Estudar, concluiu o ensino médio a dois anos e foi aprovada pela American University, uma das melhores universidades para estudar Relações Internacionais do mundo. Ela passou por todo procedimento que os demais estudantes passam no processo de admissão e teve bons argumentos para justificar o porque ainda não havia ingressado em um curso superior. “Durante esses dois anos, continuei meu trabalho voluntário nas favelas do Campo Limpo – SP, trabalhei por um ano e meio como Assistente de Institucional/Internacional na Agência África onde aprendi muito e participei de projetos importantíssimos, como o Women in The World Summit Brasil e Clinton Global Initiative, do Ex-Presidente Americano Bill Clinton”, diz Gabriela.

Muitas universidades aceitam estudantes que já tenham concluído o colégio até dois anos, como a Gabriela, mas se o aluno demorar cinco anos, por exemplo, pode ser que ele não consiga ingressar em um curso superior. “Quanto mais tempo fizer que o aluno terminou o ensino médio, mais fortes terão que ser seus argumentos para justificar o seu não ingresso em um curso superior e mais difícil será sua aceitação”, afirma Marta Bidoli, supervisora do Education USA, rede que promove o ensino superior nos EUA oferecendo assessoria para quem sonha em estudar no país. Marta afirma que esse adiamento “pode afetar as possibilidades de bolsas, mas isso vai variar de universidade para universidade”.

Não é raro no Brasil que jovens esperem alguns anos após concluir o Ensino Médio até ingressar na faculdade,  mas para quem quer Estudar Fora essa não é uma boa opção. “Muitos já me perguntaram se vale a pena ficar um ano estudando inglês ou para o SAT. Valer a pena vale, mas se for só isso, não. Boas notas contam, mas quem você é e quem almeja ser, conta muito mais”, afirma Gabriela.

Estudar em uma escola de educação continuada

Algumas universidades tem uma School of Continuing Education, que é voltada justamente a adultos. Segundo Laila, o aluno que cursa uma escola de educação continuada “pode ter ficado anos trabalhando após o Ensino Médio e ainda assim conseguir ingressar em um curso superior, entretanto, eles não tem a opção de morar no campus, como os ingressantes tradicionais da graduação.”

Algumas das universidades que oferecem essa opção de cursos para adultos são Cornell University, Columbia University, Univeristy of Virginia e Georgetown University.

E se eu já comecei uma graduação no Brasil?

Se você já iniciou uma graduação no Brasil existem duas possibilidades de iniciar um curso no exterior: por transferência, ou iniciando o processo normalmente para ser um freshman. Segundo Marta, caso este aluno já tenha cursado mais de um ano no Brasil, normalmente ele não precisa se submeter ao SAT, mas a universidade solicitará seu histórico escolar do colégio e da universidade. É preciso solicitar diretamente para a universidade que o aluno vai se candidatar o que é preciso para realizar o processo de transferência, pois isso varia de universidade para universidade. Mas se o aluno não fez mais de um ano, ele deve se submeter ao processo normal de admissão.

Leia mais: Entenda o processo de seleção para universidades no exterior

Posso fazer uma segunda graduação no exterior?

“No exterior, a segunda graduação não é tão comum quanto no Brasil e nem todas as universidades aceitam em seus cursos de graduação um aluno que já tenha se formado. As instituições mais competitivas não costumam aceitar estes estudantes”, afirma Marta. Uma das universidades que aceita alunos para uma segunda graduação é a Columbia University. No site da instituição você encontra todas as informações referentes a candidatura. Clique AQUI.

No site da University of Oxford também há todas as informações necessárias. O prazo do application é o mesmo para quem vai ingressar na primeira ou segunda graduação. O diferencial no processo é que quem vai fazer a segunda graduação precisa de uma declaração com relatos das atividades desenvolvidas na primeira universidade. Leia mais.

Dica para quem já terminou o ensino médio e quer Estudar Fora

Se você já concluiu o colégio há alguns anos e sonha em fazer uma graduação fora, fique atento. “Na maioria das universidades o processo é normal, mas para algumas não, como foi o meu caso quando apliquei para Drexel University. Depois de ter passado por todo o processo, eles me avisaram que não poderiam considerar meu application porque no meu caso eu precisava de um processo diferente. O mesmo acontece com Columbia e algumas outras universidades. Portanto, um double check nunca é demais”, aconselha Gabriela.

Conecte-se ao Estudar Fora

http://promo.estudarfora.org.br/07de78d376d72cb1d7d3

Leia Mais

estagiários da Microsoft comemorando
impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT