Inicio Terra das tulipas e das bicicletas: tudo sobre intercâmbio na Holanda

Terra das tulipas e das bicicletas: tudo sobre intercâmbio na Holanda

0
Terra das tulipas e das bicicletas: tudo sobre intercâmbio na Holanda
Foto: Anna Biasoli | Unsplash

Sustentabilidade, qualidade de vida e cidades charmosas fazem da Holanda – ou Países Baixos – um lugar no mínimo interessante para viver. Em termos de estudo, a experiência de um intercâmbio em terras holandesas pode ser valiosa, já que a região europeia tem excelentes universidades (bem posicionadas nos principais rankings internacionais), renomadas principalmente no que diz respeito aos estudos do meio ambiente e de inovação. 

Há, ainda, o fato de que a maioria da população fala inglês além do idioma holandês – o que atrai estudantes internacionais, já que é fácil encontrar cursos ministrados na língua universal. Saiba mais sobre estudar na Holanda!

Inscrições abertas para curso online e gratuito para fazer pós-graduação no exterior

Vantagens de escolher a Holanda como destino

Antes de falar mais sobre o que significa fazer um intercâmbio em terras holandesas, é preciso situar o lugar no mapa. A Holanda está no centro da Europa – o que, de cara, já é uma vantagem, já que está estrategicamente posicionada no globo –, mas, quando nos referimos a esta região, estamos falando do Reino dos Países Baixos (Kingdom of the Netherlands) como um todo.

Mapas: Wikimedia Commons

A Holanda, portanto, é um território composto por apenas duas das doze províncias do país, mas, quando houve o reestabelecimento do Reino após a ocupação de Napoleão Bonaparte em 1808, a área assim denominada era a mais rica e significativa, por isso deu nome à localidade inteira.

Leia também: Como fazer intercâmbio de graça (ou quase)

Apesar de pequeno, o país é muito diversificado. A capital, Amsterdam, é um dos destinos turísticos mais procurados na Europa. Já as cidades universitárias Groningen e Utrecht são pequenas e mais tranquilas, mas se destacam pela beleza. Já Rotterdam é o segundo maior município holandês se diferencia por sua arquitetura mais moderna.

De maneira geral, a Holanda tem um apelo fortíssimo para assuntos ligados à sustentabilidade, como energia limpa, tratamento de água e meio de transporte socialmente responsável. Em Amsterdam, por exemplo, mais da metade da população opta por ir pedalando ou a pé para o trabalho. O contato maior com a natureza por meio de parques e ruas arborizadas é, também, outro fator a destacar, bem como o alto nível de segurança.

Sistema de ensino holandês

A Holanda está entre os líderes globais em educação e a excelência acadêmica está ligada principalmente ao sistema de ensino peculiar, baseado na solução de problemas (Problem Based Learning – PBL). Por meio da metodologia, os estudantes têm mais autonomia para construir conhecimento. O formato de aprendizagem faz com que os alunos se engajem em resolver questões práticas sob a supervisão de um tutor que estimule seu pensamento crítico. O objetivo é preparar as pessoas para que sejam capazes de solucionar situações inesperadas que apareçam no dia a dia.

Em relação às turmas, cabe destacar que as classes são pequenas, o que proporciona maior integração entre os discentes e maior aproximação com os professores. Já no que diz respeito ao processo seletivo, é o candidato quem define a área que vai estudar quando aplica. O application é semelhante ao do Reino Unido: começa com o envio do histórico escolar, passa para prova de proficiência em inglês – além da documentação complementar – e, dependendo do curso, pode haver uma prova específica ou entrevista.

Cidade de Amsterdam, capital da Holanda.
Foto: Leif Niemczik | Unsplash

Melhores universidades da Holanda

De acordo com o QS University Rankings 2022, duas universidades da Holanda (University of Amsterdam, na 55ª posição e e Delf University of Technology, na 57ª) estão entre as 100 melhores instituições de ensino superior do mundo. Saiba mais sobre estas e outras:

University of Amsterdam – UvA

Com mais de 200 opções de cursos de inglês, a UvA é uma das instituições que oferecem um leque maior de programas neste idioma. A universidade de Amsterdam tem uma comunidade internacional de pessoas vindas de mais de 100 países e é a terceira mais antiga da Holanda, além de ser a maior em número de alunos.

Delft University of Technology

Fundada em 1842, é a maior e mais antiga instituição de tecnologia da Holanda, famosa por programas em exatas e considerada pelo QS uma das 15 melhores universidades do mundo no ensino de engenharia. A TU Delft costuma oferecer bolsas de mestrado concedidas pela fundação Justus & Louise van Effen, com auxílio integral.

Mais sobre bolsas no Delft neste link.

Wageningen University and Research

Localizada na cidade de Wageningen, às margens do Rio Reno, na região conhecida como Food Valley, esta é uma instituição que é voltada para o estudo de agricultura e meio ambiente – e que desponta internacionalmente no ramo de Life Sciences

Utrecht University

É uma das mais antigas e já foi considerada a melhor universidade da Holanda, segundo o Shanghai Ranking of World Universities. A fim de atrair os maiores talentos para seus mais de 90 programas de mestrado em inglês, a instituição oferece, anualmente, bolsas de estudos integrais para estudantes que não tenham passaporte europeu. A Utrecht é reconhecida pelo ensino inovador e por integrar sustentabilidade aos programas que oferece.

Mais sobre as bolsas na Utrecht neste link.

Leiden University

Aqui estamos falando da universidade mais antiga da Holanda, que abarca alunos de 120 países (em uma comunidade internacional numerosa, de mais de 28 mil estrangeiros). Foi na Leiden que estudaram 16 laureados com o Prêmio Nobel. A instituição também é famosa por ter tido Albert Einstein como professor visitante.

A Holanda abriga, ainda, a Erasmus University Rotterdam, que se destaca na área de economia e negócios na cidade que sedia diversas multinacionais, e a University of Groningen, que está entre as principais da Europa no ensino de química.

Leia também: As Melhores Bolsas de Estudo com Inscrições Abertas em Abril

Orange Tulip Scholarship é a chance para brasileiros estudarem com bolsas na Holanda

Quando se fala em apoio financeiro para intercâmbio, os Países Baixos ganham notoriedade entre os brasileiros, graças ao conhecido programa de bolsas Orange Tulip Scholarships Brazil (OTS). As oportunidades (normalmente, 60) são destinadas a cursos ministrados em inglês com qualidade internacionalmente reconhecida. O OTS concede apoio integral ou parcial sobre o valor da anuidade (tuition fee), e em alguns casos, cobre também os custos do visto e seguro das dezenas de universidades participantes. 

As bolsas concedidas pelo governo holandês beneficiam alunos de graduação, mestrado e MBA. No Brasil, a Nuffic Neso, fundação que ajuda interessados em ter uma experiência acadêmica nos Países Baixos, administra desde 2012 o OTS.

Como funcionam as Orange Tulip Scholarships Brazil

O auxílio pode ser integral ou compreender descontos no valor da anuidade – sendo que algumas universidades também oferecem uma ajuda de custo para outros gastos (como os com visto e os de seguro de saúde) para se manter na Holanda.

Podem participar do Orange Tulip Scholarship Brazil os candidatos que tenham cidadania brasileira; demonstrem excelente desempenho acadêmico e tenham obtido grau necessário para cursar o programa desejado (bacharelado requer diploma de ensino médio; mestrado requer diploma de bacharelado). Interessados que também tenham cidadania em algum país europeu não podem concorrer.

Também é preciso que o estudante tenha fluência escrita e oral em inglês e esteja, atualmente, em processo de admissão – ou já admitido – em alguma instituição de ensino superior holandesa, que seja participante do programa de bolsa. Quem já estiver estudando ou trabalhando na Holanda não pode participar.

Outras possibilidades de bolsa nos países baixos

Além do OTS, existem os apoios financeiros oferecidos pelas próprias instituições de ensino. Outra opção é o programa Holland Scholarships, financiado pelo Ministério Holandês da Educação, Ciência e Cultura, em parceria com universidades do país. A contribuição financeira cobre os gastos referentes ao primeiro ano do curso, sem possibilidade de renovação. Há um subsídio mensal no valor de 5 mil euros, que é destinado a estudantes estrangeiros de fora do Espaço Econômico Europeu (EEA). O valor pode ser usado em mais de 2.100 programas ministrados em inglês em instituições holandesas.

Mais sobre as Holland Scholarships neste link.

Alunos internacionais podem fazer estágio enquanto estudam na Holanda

Para estagiar nos Países Baixos, não existe a necessidade de ter uma permissão de trabalho, embora, no caso dos estudantes brasileiros, seja necessário ter um contrato de estágio devidamente assinado pela instituição de ensino e pelo empregador. O processo de candidatura por lá é semelhante à seleção de vagas no Brasil, sendo composto por etapas como envio de currículo e carta de intenções e, por fim, uma entrevista. 

É possível encontrar oportunidades diretamente nas universidades, sendo que a maioria das instituições de ensino superior tem algum responsável por orientar os alunos no caminho do desenvolvimento profissional. Outra opção para ir atrás das vagas é checar os próprios sites de anúncio.

A vantagem de estagiar na Holanda é que existe o chamado Ano de Orientação (Zoekjaar), também conhecido como Search Year. Trata-se de um esquema implementado pelo governo holandês para permitir a permanência do aluno de fora por mais de três anos após a conclusão da graduação ou do mestrado de pesquisa acadêmica.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia