Um Projeto: Fundação Estudar
Cinco estudantes com mochilas, de costas, andando

‘Graduate’ e ‘Undergraduate’: saiba o que significam esses termos

Por Gustavo Sumares
03.04.2019

Se você pretende estudar fora, precisa saber exatamente qual curso está buscando. E o primeiro passo é entender o que são os "undergraduate degrees" e os "graduate degrees". Confira!


Aqui no Brasil, a gente usa as palavras “graduação”, “mestrado” e “doutorado” para se referir a três etapas sequenciais de ensino superior. Você começa na graduação, depois faz o mestrado e, em seguida, o doutorado. Outros países, no entanto, referem-se a essas etapas com outras palavras. E você já deve ter ouvido as expressões graduate e undergraduate nesse contexto. Mas o que elas significam?

Se você pretende estudar fora, precisa saber! Afinal, por mais parecidas que essas palavras sejam, graduate e undergraduate se referem a programas de ensino superior bem diferentes. E se você estiver capacitado para cursar um deles, isso não significa que você está capacitado para cursar o outro. Por isso, entenda a seguir o que significa cada uma dessas palavras.

Graduação e pós

Graduate soa como “graduação”. E undergraduate, por ter a palavra under (embaixo) no começo, deve significar algo que vem antes da graduação, como um curso técnico ou ensino médio, certo? Errado! Graduate é o que se pode chamar de um falso cognato, já que a palavra é parecida com outra em português, mas não tem o significado dessa outra.

Nos Estados Unidos, os undergraduate degrees são mais ou menos equivalentes à nossa graduação. E os graduate degrees são cursos de pós-graduação, podendo ser tanto mestrados quanto programas de doutorado. Portanto, se você quer fazer graduação nos EUA, deve procurar por um curso de nível undergraduate. Se quiser pós-graduação, procure por cursos de nível graduate.

Leia mais: Brasileira explica como conseguir um intercâmbio em Harvard

Um aluno que esteja estudando no nível undergraduate (ou seja, na graduação) pode ser chamado de undergraduate student, ou apenas de undergraduate (ou seja, a palavra é usada para se referir tanto ao curso quanto ao aluno). Quando ele termina o curso, ele conquista um Bachelor’s Degree, geralmente um B.A. (bachelor of the arts, para quem se forma na área de humanas) ou B. Sc. (Bachelor of Science, para áreas de exatas ou biológicas).

Se ele segue estudando, ele torna-se um graduate student, às vezes chamado também de grad student ou de postgraduate student. Essa última expressão pode confundir, pois dá a impressão que existe um nível de estudos chamado postgraduate. Mas não é o caso! Graduate e Postgraduate, curiosamente, são sinônimos.

Diferenças entre Brasil e EUA

É importante notar também que as expressões undergraduate, graduate e postgraduate são usadas para se referir ao nível dos cursos, mas não à sua estrutura ou ao seu conteúdo. Da mesma maneira como cursos de graduação da mesma disciplina em universidades diferentes podem ser completamente distintos, dois cursos undergraduate também podem ser bem diferentes entre si.

Nos EUA, quem faz um curso undergraduate precisa escolher um major, ou seja, a área em que ele deseja se especializar. Além das disciplinas necessárias para adquirir esse major, ele também precisa cumprir outros créditos para se formar. E dependendo de como ele escolher cumprir esses outros créditos, ele pode também conquistar um minor (uma especialização menor em outra área) ou um double major (duas especializações diferentes, em áreas diferentes).

Leia mais: Major, minor e double major: você conhece a diferença entre eles?

Já á palavra graduate é tão ampla quanto a nossa expressão “pós-graduação”. Ela pode se referir a vários programas diferentes, desde um doutorado acadêmico com foco em pesquisa, até uma pós-graduação lato sensu de caráter mais profissionalizante, passando também por um MBA ou um MPP. Ou seja: para escolher um graduate program, você precisa se informar bem sobre cada programa disponível dentro da sua área (e região) de interesse.

Equivalência

Embora a estrutura e o conteúdo dos cursos de graduação e pós-graduação seja diferente entre os EUA e o Brasil, os requisitos para cada um costumam ser os mesmos. Aqui no Brasil, se você quer cursar a graduação, precisa ter concluído o ensino médio. Nos EUA, é igual: você só pode fazer um curso de nível undergraduate ao fim do ensino médio.

A pós-graduação, por sua vez, só pode ser cursada depois da graduação (como o nome indica). No Brasil, você em geral faz mestrado, depois doutorado (embora seja possível “pular” o mestrado em alguns casos). Nos EUA, é parecido: primeiro você faz um master’s degree, depois um PhD. E da mesma forma como tanto o mestrado quanto o doutorado são cursos de pós-graduação, o Master’s e o PhD são graduate courses.

Leia mais: Como é o senso de comunidade nas universidades dos Estados Unidos?

Se você quer fazer graduação nos EUA, vai precisar do seu diploma do ensino médio daqui. Se quiser fazer um Master’s, vai precisar do diploma da graduação, e se quiser fazer o PhD, do diploma do mestrado. Mas como já foi dito, nem todos os graduate degrees seguem à risca essa lógica. Então você pode acabar conseguindo entrar num programa de PhD sem ter mestrado, ou pode ser selecionado para um MBA mesmo já tendo mestrado em outra área.

O importante para se ter em mente, nesse caso, é que undergraduate e graduate se referem a uma grande pluralidade de cursos de ensino superior diferentes. Por isso, decidir que você quer fazer um graduate degree pode não ser suficiente. O mais interessante é que você saiba não só a área em que quer estudar, mas também que tipo de experiência pretende ter, quais objetivos pretende atingir com esse curso e o que espera dele.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d