Dia do cinema: onde estudaram 6 diretores ganhadores do Oscar

claquete - estudar cinema

Quem gosta de filmes deve saber que 5 de novembro é comemorado o Dia Mundial do Cinema. Deve saber também que por mais que para nos enquanto espectadores os filmes sejam divertidos e gostosos de se assistir, eles frequentemente são fruto do trabalho árduo de centenas de profissionais. E se você quer estudar cinema, deve saber ainda que é preciso estudar muito para trabalhar nessas produções.

Para deixar isso mais claro, vamos listar a seguir onde estudaram alguns dos diretores de cinema que ganharam o Oscar de Melhor Diretor nos últimos anos. A trajetória deles mostra que a conquista do prêmio da academia de filme norte-americana é fruto não só de muito esforço, mas também de muito estudo. Confira:

Estudar cinema: onde estudaram diretores vencedores do Oscar

Alfonso Cuarón (2018, Roma)

O mais recente vencedor do Oscar de Melhor Diretor é o mexicano Alfonso Cuarón, que na edição de 2018 foi premiado pelo filme Roma. Foi um prêmio marcante por dois motivos: primeiro, porque foi a segunda estatueta que Cuarón conquistou (a primeira tinha sido em 2013 pelo filme Gravidade); segundo, porque foi a primeira vez que um diretor foi premiado por um filme que não estreou no cinema (Roma estreou direto na plataforma de streaming Netflix).

Nascido na Cidade do México, Cuarón estudou Filosofia na Universidad Nacional Autónoma de México (a UNAM, uma das melhores universidades da América Latina). Depois foi estudar cinema no Centro Universitario de Estudios Cinematográficos, outra escola dentro da mesma universidade. Foi lá também que ele produziu o seu primeiro curta-metragem.

Guilhermo del Toro (2017, A Forma da Água)

O filme A Forma da Água recebeu 13 indicações ao Oscar na cerimônia de 2017. Foi o maior número de indicações de qualquer filme daquela edição. E em quatro dessas categorias, ele venceu: Melhor Design de Produção, Melhor Trilha Original, Melhor Filme e Melhor Diretor, para o seu realizador Guilhermo del Toro. Foi apenas o segundo filme de ficção fantasiosa a vencer o prêmio de melhor filme, atrás só de Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei.

Del Torro, assim como Cuarón, também nasceu no México. Mas ele nasceu na cidade de Guadalajara, e desde criança já queria estudar cinema. Ele brincava com a câmera caseira de seu pai e fazia pequenos filmes com bonequinhos e outros brinquedos. Mais tarde, estudou na Universidad de Guadalajara, mais especificamente no Centro de Estudios Cinematográficos da univerisdade.

Damien Chazelle (2016, La La Land)

O vencedor do Oscar de Melhor Diretor de 2016, Damien Chazelle, também é conhecido por outro filme famoso que dirigiu: Whiplash, de 2014, que conta a história de um jovem estudante de música sofrendo nas mãos de um professor abusivo para se tornar um baterista de jazz. A história de Whiplash é, em parte, inspirada na de Chazelle. Ele mesmo tocou bateria enquanto estudava na Princeton High School, e conta que seu professor de música foi a inspiração por trás do personagem Terence Fletcher do filme.

Mas Chazelle acabou não seguindo a carreira de músico. Ele foi estudar cinema no departamento de Visual and Environmental Studies da Universidade de Harvard, formando-se em 2007. Ele ainda volta com frequência à universidade para realizar entrevistas e palestras sobre seus trabalhos.

Alessandro G. Iñarritu (2015, O Regresso)

Mais um diretor mexicano que venceu o Oscar nos últimos anos, Iñarritu merece destaque especial. Em 2014, seu filme Birdman lhe rendeu a estatueta de melhor diretor. E logo no ano seguinte, ele venceu esse prêmio mais uma vez com o filme O Regresso. Isso fez dele o terceiro diretor a ganhar duas estatuetas em dois anos, e o primeiro a fazê-lo desde 1950.

Iñarritu também nasceu na Cidade do México. Dos 16 aos 18 anos, porém, ele fez uma espécie de “mochilão” pela Europa e pela África, viajando em navios de carga. Mas depois, voltou ao seu país de origem e foi estudar comunicações na Universidad Iberoamericana, uma das universidades privadas mais prestigiadas do país.

Ang Lee (2014, A Vida de Pi)

O taiwanês Ang Lee teve uma trajetória mais movimentada até se formar. Seus pais esperavam que ele passasse no exame de seleção para universidades chinesas e se tornasse professor. Mas Lee sempre demonstrou intersse em teatro e artes e, após não passar na prova por dois anos seguidos, ele se matriculou na Escola Nacional de Artes do Taiwan. Mais tarde, ele foi para os Estados Unidos e fez graduação em  teatro na University of Illnois at Urbana-Champaign. Embora inicialmente seu interesse fosse ser ator, seu domínio do inglês acabou se mostrando insuficiente e, por isso, ele acabou indo para a direção.

Ele ainda fez seu mestrado em cinema na Tisch School of The Arts da New York University. Lá, foi colega de classe de outro diretor famoso: Spike Lee. Ang Lee trabalhou no filme de graduação de seu colega, e depois seguiu sua carreira própria. Em 2005, ele ganhou pela primeira vez o Oscar de Melhor Diretor pelo filme Brokeback Mountain, e tornou-se a primeira pessoa não-branca a vencer esse prêmio. E em 2014, ele foi agraciado novamente pelo filme A Vida de Pi.

Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror, 2009)

É preciso pular alguns anos para chegar até 2009, quando a diretora Kathryn Bigelow venceu o Oscar de Melhor Diretora com o filme Guerra ao Terror. Ao fazê-lo, tornou-se a primeira mulher a conquistar essa estatueta em toda a história da premiação, que reconhece diretores desde sua edição de 1929.

Dada a sua trajetória, Bigelow não merecia menos. Inicialmente, ela se interessou por pintura e estudou no San Francisco Institute of Fine Arts. Enquanto estava matriculada lá, ela foi aceita para estudar no Whitney Museum of American Art, em Nova York, e mudou-se para lá. Ela só iria em direção ao cinema após fazer um mestrado nessa área em Columbia, que ela concluiu em 1978.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: