Um Projeto: Fundação Estudar
bolsa de estudos na Escócia

Brasileira ganha bolsa de estudos na Escócia após trabalho voluntário na Palestina

Por Lecticia Maggi

Após se formar em Relações Internacionais pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), em 2013, Manuela da Rosa Jorge atravessou o mundo para se dedicar à causa palestina, trabalhando e morando em campos de refugiados. Entre 2013 e 2016, ela foi estagiária e voluntária no campo de refugiados de Aida, na cidade de Belém.

Agora, ela busca se aprofundar ainda mais no assunto, começando em setembro o curso de Direitos Humanos e Política Internacional da Universidade de Glasgow, na Escócia. E o melhor: com uma bolsa de 10 mil libras, o que lhe cobre cerca de 80% do custo do programa. Esta é a primeira vez que a instituição concede a prestigiada bolsa University Trust International Leadership a um brasileiro.

“O Oriente Médio sempre foi uma questão de interesse pessoal e acadêmico meu. A escolha pela Palestina foi tanto pessoal como profissional. Aquele território é rodeado de nuances não só legais como também humanas e entender e vivenciar ambas foi decisivo para a minha escolha em ir para lá”, explica a jovem. Já a escolha por estudar no Reino Unido se deve à excelência dos programas na sua área de interesse.

O processo de admissão

A catarinense se candidatou, com o apoio gratuito do programa loveUK, para três universidades: Edimburgo, Glasgow e Durham, todas pertencentes ao Russell Group (a Ivy League britânica), sendo aceita no mestrado das três instituições. Acabou escolhendo Glasgow por conta da bolsa oferecida

Manuela conta que o processo de admissão para a universidade e conquista da bolsa consistiu em, além da documentação, uma série de emails e cartas motivacionais.

Obrigatoriamente, todos os candidatos precisam mandar uma carta de motivação – ela optou por mandar duas. Para a carta obrigatória, ela pesquisou modelos de cartas que tiveram sucesso e seguiu o roteiro de tratar dos seus interesses acadêmicos, objetivos com o curso e, por fim, a questão motivacional. “Na segunda carta, eu expliquei um pouco das minhas experiências que poderiam ser relevantes para o curso escolhido. Através do loveUK soube que deveria enviar mais uma carta motivacional que explicasse por que merece ou precisa da bolsa de estudos”, explica.

A decisão se mostrou acertada quando ela foi contemplada com a prestigiada University Trust International Leadership – bolsa de mérito da Universidade de Glasgow. Altamente competitiva, ela exige que o candidato atenda a três pré-requisitos: excelentes notas na graduação, ser aluno internacional – ou seja, de fora da União Europeia- e ser aceito para algum curso de mestrado na instituição.

Projetos futuros

A internacionalista pretende manter o foco na Palestina durante o mestrado e pensa, ainda, em trabalhar em uma organização focada no refúgio.

“A Universidade de Glasgow possui diversos convênios e parcerias com órgãos e organizações que trabalham com a questão dos refugiados, como o Glasgow Refugee, Asylum and Migration Network, o Glasgow Centre for International Development e o Glasgow Human Rights Network. Gostaria de trabalhar nessa linha para obter experiência prática nesta área e, mais tarde, seguir para o doutorado”, afirma.

 

Leia também:
Bolsista dá dicas sobre a candidatura para as bolsas Chevening, do Reino Unido
BREXIT: O que muda para quem deseja estudar no Reino Unido
Conheça as 5 cidades mais econômicas para estudantes no Reino Unido

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo