Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

05.08.16

Brasileira ganha bolsa de estudos na Escócia após trabalho voluntário na Palestina

bolsa de estudos na Escócia

Esta é a primeira vez que um brasileiro recebe esta bolsa da Universidade de Glasgow. Inspire-se com a trajetória de Manuela!

Após se formar em Relações Internacionais pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), em 2013, Manuela da Rosa Jorge atravessou o mundo para se dedicar à causa palestina, trabalhando e morando em campos de refugiados. Entre 2013 e 2016, ela foi estagiária e voluntária no campo de refugiados de Aida, na cidade de Belém.

Agora, ela busca se aprofundar ainda mais no assunto, começando em setembro o curso de Direitos Humanos e Política Internacional da Universidade de Glasgow, na Escócia. E o melhor: com uma bolsa de 10 mil libras, o que lhe cobre cerca de 80% do custo do programa. Esta é a primeira vez que a instituição concede a prestigiada bolsa University Trust International Leadership a um brasileiro.

“O Oriente Médio sempre foi uma questão de interesse pessoal e acadêmico meu. A escolha pela Palestina foi tanto pessoal como profissional. Aquele território é rodeado de nuances não só legais como também humanas e entender e vivenciar ambas foi decisivo para a minha escolha em ir para lá”, explica a jovem. Já a escolha por estudar no Reino Unido se deve à excelência dos programas na sua área de interesse.

O processo de admissão

A catarinense se candidatou, com o apoio gratuito do programa loveUK, para três universidades: Edimburgo, Glasgow e Durham, todas pertencentes ao Russell Group (a Ivy League britânica), sendo aceita no mestrado das três instituições. Acabou escolhendo Glasgow por conta da bolsa oferecida

Manuela conta que o processo de admissão para a universidade e conquista da bolsa consistiu em, além da documentação, uma série de emails e cartas motivacionais.

Obrigatoriamente, todos os candidatos precisam mandar uma carta de motivação – ela optou por mandar duas. Para a carta obrigatória, ela pesquisou modelos de cartas que tiveram sucesso e seguiu o roteiro de tratar dos seus interesses acadêmicos, objetivos com o curso e, por fim, a questão motivacional. “Na segunda carta, eu expliquei um pouco das minhas experiências que poderiam ser relevantes para o curso escolhido. Através do loveUK soube que deveria enviar mais uma carta motivacional que explicasse por que merece ou precisa da bolsa de estudos”, explica.

A decisão se mostrou acertada quando ela foi contemplada com a prestigiada University Trust International Leadership – bolsa de mérito da Universidade de Glasgow. Altamente competitiva, ela exige que o candidato atenda a três pré-requisitos: excelentes notas na graduação, ser aluno internacional – ou seja, de fora da União Europeia- e ser aceito para algum curso de mestrado na instituição.

Projetos futuros

A internacionalista pretende manter o foco na Palestina durante o mestrado e pensa, ainda, em trabalhar em uma organização focada no refúgio.

“A Universidade de Glasgow possui diversos convênios e parcerias com órgãos e organizações que trabalham com a questão dos refugiados, como o Glasgow Refugee, Asylum and Migration Network, o Glasgow Centre for International Development e o Glasgow Human Rights Network. Gostaria de trabalhar nessa linha para obter experiência prática nesta área e, mais tarde, seguir para o doutorado”, afirma.

 

Leia também:
Bolsista dá dicas sobre a candidatura para as bolsas Chevening, do Reino Unido
BREXIT: O que muda para quem deseja estudar no Reino Unido
Conheça as 5 cidades mais econômicas para estudantes no Reino Unido

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas