Inicio 8 universidades excelentes que poucos brasileiros conhecem

8 universidades excelentes que poucos brasileiros conhecem

0
8 universidades excelentes que poucos brasileiros conhecem

Em geral, quando falamos das melhores universidades do mundo, vem à mente sempre as mesmas escolas: Harvard, MIT, Oxford, Cambridge. E, de fato, são elas que aparecem nas primeiras posições da grande maioria dos rankings. Mas também há um grande número de boas universidades desconhecidas por muitos brasileiros, e que não ficam muito atrás em termos de qualidade na educação e pesquisa.

É sobre elas que vamos falar a seguir. Na lista abaixo, destacamos oito universidades excelentes que, apesar de sua qualidade, ainda não são tão reconhecidas no Brasil. Usamos como referência os rankings internacionais da Quacquarelli Symonds (QS) e da Times Higher Education (Times).

Focamos em instituições que pontuam bem em ambos os rankings, mas que não têm a mesma notoriedade que outras escolas dos Estados Unidos e do Reino Unido. Esperamos que essa lista de boas universidades desconhecidas te ajude a conhecer novos destinos para estudar fora. Confira!

8 boas universidades desconhecidas por brasileiros

National University of Singapore e Nanyang Technological University – Singapura

Singapore University of Technology and Design

A Singapura não costuma ser o principal destino que vem à mente quando se pensa em estudar fora. Mas a cidade-nação do sudeste asiático não deixa nada a desejar com relação à qualidade de suas instituições de ensino superior. Duas delas, a National University of Singapore (NUS) e a Nanyang Technological University (NTU) figuram com frequência no topo dos rankings internacionais.

Dessas duas boas universidades desconhecidas, a NUS em geral se sai um pouco melhor. Ela está atualmente em 11º lugar no ranking da QS, e em 25º no ranking da Times. Conta com cerca de 30 mil estudantes de quase 100 países diferentes e se destaca em diversas áreas: a QS, por exemplo, coloca-a como a melhor do mundo em engenharia de petróleo.

A NTU, por sua vez, não fica muito atrás. O ranking da QS coloca-a em 13º lugar, e o da Times em 47º. Mais focada em pesquisa, ela tem cerca de 23 mil estudantes matriculados e se destaca, segundo a QS, em áreas como engenharia elétrica (considerada a 3ª melhor do mundo), ciências de materiais (6ª melhor), e comunicação e estudos de mídia (7º lugar).

Tsinghua University – China

Tsinghua University

Embora muita gente já saiba que a China é hoje uma potência mundial em ciência e pesquisa, poucos brasileiros sabem dizer quais são as melhores universidades de lá. E embora a universidade de Pequim seja a mais lembrada, os rankings internacionais colocam outra instituição chinesa como melhor do país. Trata-se da Tsinghua University, que é considerada a 15ª melhor do mundo pelo ranking da QS, e a 20ª melhor segundo o ranking da Times.

Ela também fica localizada em Pequim, mas recebe seu nome por estar localizada nos jardins da Dinastia Qing. Ela conta com cerca de 37 mil estudantes e é a escola que formou o atual Presidente da China, Xi Jinping. Além disso, ela oferece todo ano o programa de bolsas de pós-gaduação Schwarzman Scholars.

ETHZ e EPFL – Suíça

ETHZ

Quem é da área de ciências exatas ou ciências físicas já deve conhecer essas siglas. Elas designam, respectivamente, o Instituto Federal de Tecnologia da Suíça em Zurique (ETHZ) e a Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL). E embora seu reconhecimento seja em geral restrito a essas áreas, as duas universidades são constantemente consideradas entre as melhores do mundo.

Atualmente, a ETHZ ocupa a 6ª posição no ranking da QS e a 14ª do ranking da Times, sendo a primeira escola das duas listas que não é dos Estados Unidos ou do Reino Unido. Mais ou menos 19 mil alunos compõem seu corpo discente, e um de seus ex-alunos mais famosos é o renomado físico Albert Einstein. Suas áreas de destaque são Ciências da Terra e do Oceano, Geologia e Geofísica: ela fica em primeiro lugar no mundo em todas essas disciplinas, segundo a QS.

Já a EPFL fica em 14º lugar na listagem da QS e em 43º na da Times. Até recentemente, porém, ela costumava ser considerada uma das melhores universidades “jovens” do mundo, já que existe em seu formato atual apenas desde 1969 — em 2020, ao completar 50 anos de existência, ela tornou-se inelegível para esse ranking. Ela tem cerca de 10 mil alunos e se destaca em áreas como ciências dos materiais, ciências da computação e análise de sistemas.

KU Leuven – Bélgica

Outro destino pouco considerado para quem pensa em estudar fora, a Bélgica tem ao menos uma universidade de destaque nos rankings internacionais. Trata-se da KU Leuven,  cujo nome significa “universidade católica de Leuven”. O ranking da QS coloca-a como a 84ª melhor do mundo; o da Times, por sua vez, dá a ela a 45ªa posição. Nos dois rankings, porém, ela aparece como a melhor do país.

Algo que ela tem em maior grau que qualquer outra universidade desta lista é idade: sua fundação data de 1455. Atualmente, ela tem cerca de 46 mil alunos e destaca-se em algumas áreas, como Teologia, Esporte e Odontologia (top 25 do mundo em todas elas). Quem pensa em fazer pós no exterior também deve tê-la no radar, já que ela promove anualmente um programa de bolsas de pós-graduação.

University of Michigan e Northwestern University – EUA

Universidade de Michigan - boas universidades desconhecidas

Quando se pensa em universidades dos Estados Unidos, em geral vem à mente as prestigiosas Ivy Leagues (como Harvard e Princeton) ou grandes instituições da costa oeste (como USC ou Stanford). Mas na chamada “região dos grandes lagos” há também duas boas universidades desconhecidas, que frequentemente ocupam posições privilegiadas nos rankings internacionais.

A Universidade de Michigan, localizada no estado de mesmo nome (na cidade de Ann Arbor) atualmente está em 21º lugar no ranking da QS e 22º no ranking da Times. É uma universidade pública com cerca de 45 mil estudantes, fundada em 1817 (antes mesmo de que Michigan fosse reconhecido como estado).

Já a Northwestern, há cerca de 400km de distância, é uma universidade privada bem menor — mas ainda grande (cerca de 19 mil alunos matriculados em tempo integral). Fica em 29º no ranking da QS e 24º no ranking da Times, e já formou pessoas como o ator David Schwimmer (o Ross de Friends), o economista George Stiglitz vencedor do prêmio nobel e o autor dos livros da série Game of Thrones, George R.R. Martin.

Ah, e se você tiver a curiosidade de olhar no mapa dos EUA, verá que a Northwestern University não fica no noroeste do país. Isso é porque quando ela foi fundada, seu objetivo era atender a uma região que era conhecida então como “Northwest Territory”. Esse nome vem da época em que os EUA ainda eram um conjunto de colônias inglesas concentradas na costa leste do continente.

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia