Um Projeto: Fundação Estudar
ONU leva jovens afrodescendentes para curso na Suíça

ONU seleciona jovens afrodescendentes para curso na Suíça

Por Priscila Bellini

As Nações Unidas recebem até 1 de junho as inscrições para uma fellowship voltada a jovens afrodescendentes. Com apoio da ONU, os selecionados embarcam para um curso em Geneva, na Suíça, que ocorre entre 19 de novembro e 7 de dezembro. As candidaturas devem ser enviadas para o e-mail africandescentfellowship@ohchr.org até o prazo estipulado.

Como explica a organização, a seleção levará em conta a situação das pessoas afrodescendentes em cada país, além de observar as origens de cada participante e seu gênero.

Como funciona a seleção 

São elegíveis candidatos que tenham, no mínimo, quatro anos de experiência trabalhando com questões ligadas a pessoas afrodescendentes (por exemplo, racismo e questões raciais como um todo). É necessário que a organização onde o candidato trabalha ateste a informação por meio de uma carta.

Cada jovem interessado deve enviar currículo, cópia do passaporte e formulário de inscrição para a seleção. Além disso, deve submeter um personal statement (de até 500 palavras), explicando suas motivações e como usará os conhecimentos adquiridos para promover os interesses e direitos de pessoas afrodescendentes.

Leia também: Universidades estrangeiras oferecem cursos de pós-graduação sobre questões raciais

Os e-mails enviados devem conter, no máximo, cinco documentos e ter a indicação “Application for the 2018 Fellowship Programme for People of African Descent” no assunto. Os arquivos devem ser nomeados seguindo um mesmo padrão: “SOBRENOME Nome – Tipo de documento”.

Quais os benefícios da fellowship para afrodescendentes

Os jovens selecionados terão apoio financeiro para cobrir gastos com passagens aéreas, seguro-saúde, acomodação e gastos durante o período de estadia na Suíça. Durante o período no país, os participantes terão acesso a um curso intensivo sobre a atuação nas Nações Unidas e os direitos humanos, com ênfase nos mecanismos e instrumentos que se relacionem a questões raciais.

A proposta é que os fellows retornem a seus países de origem e contribuam para a proteção e promoção de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e culturais da população afrodescendente.

Para saber mais sobre a iniciativa, basta acessar o site oficial do programa.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d