InícioComo se PrepararComo escrever a essay perfeita para o MIT

Como escrever a essay perfeita para o MIT

Ana Moraes - 19/01/2024
Comentários:

Aqui no Estudar Fora não faltam conteúdos para te ajudar a escrever a essay perfeita! Muitos estudantes podem não perceber, mas normalmente acabam caindo nos clichês na hora de colocar as ideias no papel. O problema é que os avaliadores experientes, principalmente de universidades renomadas, sabem identificar rapidamente uma redação que não fugiu do lugar-comum. 

Para te ajudar, compilamos as dicas da brasileira Hana Sousa, aluna aprovada no MIT. Ela dá dicas sobre como se destacar da concorrência, como usar suas experiências para demonstrar suas qualidades e como manter o foco.

5 dicas práticas para escrever a essay perfeita para o MIT

A partir da própria experiência, Hana Sousa começa indicando 5 passos principais para escrever a essay perfeita no application do MIT. São elas:

  1. Praticar o autoconhecimento
  2. Ter calma no primeiro rascunho
  3. Saber que mudar de ideia faz parte do processo
  4. Exercitar a criatividade
  5. Lembrar que escrever também é revisar

Leia também: Massachusetts Institute of Technology (MIT): a universidade que já formou mais de 90 prêmios Nobel

A primeira dica, portanto, é buscar se conhecer, entender a fundo seu próprio perfil, suas aspirações e, enfim, por que estudar no MIT é seu sonho. A ideia é conseguir responder, de forma assertiva, por que você seria o candidato perfeito. Já com relação ao segundo passo, o fato é que a primeira versão de uma essay dificilmente será a definitiva, então, não se apegue a ela.

O desapego ao rascunho inicial se conecta à terceira dica, que é o entendimento de que mudanças no raciocínio para construir a redação perfeita fazem parte do processo. O exercício da criatividade, por sua vez, é fundamental em qualquer processo seletivo. Já a dica referente à revisão é uma das mais importantes, porque, muitas vezes, nas primeiras tentativas de escrita, pelo nervosismo diante da seletiva, vários deslizes podem ser cometidos – o que é normal! Um double check em cada palavra fará toda a diferença!

O que o MIT quer saber nas essays

Uma dica extra que ajuda muito na redação da essay perfeita é entender o que a universidade quer saber. No caso do MIT, há alguns tipos de essay principais, já com perguntas pré-determinadas, que são: “quais são seus hobbies?”, “quais são seus sonhos e aspirações?” e “o que faz para ajudar a comunidade local?”. Há, ainda, a “essay do desafio”, que tem como objetivo fazer com que o candidato proponha uma aplicação prática do conhecimento humano. 

Hana, por exemplo, quis juntar a vontade de ajudar a região amazônica a melhorar o saneamento básico, o fato de amar engenharia química e o que sabia sobre programação. “Manaus é uma cidade cheia de igarapés e córregos, mas, infelizmente, toda vez que eu passava por eles, eu os via poluídos. Precisava mudar isso, então, tive a ideia de fazer um jogo matemático”, conta.

Leia também: Conheça a SHASS, Escola de Humanidades, Artes e Ciências Sociais do MIT

O jogo propunha revitalizar os igarapés da capital amazônica, com remediação ambiental em um laboratório específico. Para além de uma essay totalmente propositiva, proativa, a estudante quis mostrar que conhece bem o MIT e, durante a escrita, usou a seguinte frase: 

“Vou colocar minhas mãos e mentes nos átomos para gerar impacto significativo”

Como a questão das “mãos e mentes” é o mote do instituto, ela acredita que tenha tido um diferencial na redação ao mencioná-lo.

Estrutura da essay perfeita para o MIT

A essay perfeita para o MIT começa com uma frase impactante. No caso do texto de Hana, o início foi: “Eu me perdi sem uma bússola na floresta amazônica”. Porém, ela explica que a frase foi metafórica, porque nunca esteve, de fato, perdida no meio da floresta. “Foi uma metáfora sobre como eu me sentia perdida no processo de seleção para as Olimpíadas Internacionais, porque nunca alguém na minha cidade tinha ido”, explica.

Na sequência, ela contou sobre o campeonato e a oportunidade de bolsa de estudos que teve para participar dele. O desenvolvimento do texto falou bastante sobre colaboração, já que o potencial colaborativo de um candidato salta aos olhos dos avaliadores. Hana também falou sobre os desafios que enfrentou durante as Olimpíadas e terminou fazendo um trocadilho com um conceito da Química.

“(Escrevi que) Ao aplicar o conhecimento da termodinâmica, eu consegui diminuir a entropia do meu dormitório. Entropia é uma medida de desorganização. Diminuir a entropia é deixar algo mais organizado”, descreve a estudante. A dica final, portanto, é sempre encerrar a essay com uma conclusão que demonstre um resultado concreto e uma boa dose de criatividade!

Quer saber tudo o que Hana Sousa contou ao Estudar Fora? Veja abaixo:

O que você achou desse post?

Sobre o escritor

Ana Moraes
Jornalista e editora do Portal Estudar Fora. Entre em contato pelo e-mail [email protected].

Artigos relacionados