Coronavírus faz universidades dos EUA repensarem prazos

Calendário

As medidas de isolamento social tomadas nos Estados Unidos para conter o coronavírus estão impactando os processos de admissão das universidades do país, segundo a rede local de notícias PBS. Como resposta, diversas instituições estão ampliando os prazos de pagamentos dos alunos admitidos, e reconsiderando algumas etapas dos seus processos de admissão.

A principal medida tomada pelas instituições foi adiar o prazo máximo de admissions-deposit. Essa é a data limite até a qual os alunos que receberam ofertas para estudar naquela universidade devem realizar um depósito para reservar suas vagas. Tradicionalmente, o prazo é 1 de maio, mas diversas faculdades ampliaram o prazo para que ele vá até 1 de junho.

Neste link, é possível ver a lista completa de instituições de ensino superior dos EUA que tomaram essa medida. A lista está sendo compilada pela organização ACCEPT, que luta por processos mais igualitários e justos de admissão nas universidades estadunidenses. Segundo a organização, essa medida “é melhor para candidatos e suas famílias”.

Motivos para adiar

De acordo com a organização, as medidas de isolamento social dificultam de diversas maneiras a decisão dos estudantes sobre em qual universidade estudar. Como os campi de diversas universidades estão fechados sem previsão de reabertura, alunos interessados não podem visitar as escolas para conhecê-las, o que os leva a tomar uma decisão menos informada.

Segundo uma estudante ouvida pela PBS, um dos efeitos do fechamento das escolas públicas dos EUA foi que o contato com sua orientadora ficou mais difícil. A estudante seria a primeira da sua família a ir à universidade e, por isso, contava bastante com o apoio da sua orientadora para realizar os procedimentos necessários. A dificuldade de contato com ela, segundo a estudante, pode acabar afetando sua decisão.

Uma pesquisa divulgada em 19 de março, 25% dos alunos estadunidenses disseram estar repensando sua escolha de universidade por causa da crise do coronavírus. “Ficar mais perto de casa” e “medo de perder o dinheiro das anuidades” foram os principais motivos citados por eles.

Outro motivo pelo qual a organização defende o adiamento das datas-limite para depósito — bem como dos prazos de candidatura — é a incerteza econômica gerada pela crise. “É profundamente injusto pedir que qualquer pessoa, nesse momento, se comprometa a pagar de 40 a 80 mil dólares por ano enquanto tudo está tão incerto”, argumentam.

Prazos de candidatura

Com relação aos prazos para candidatura, as universidades foram menos flexíveis. A University of California, por exemplo, afirmou que pretende manter o seu prazo máximo de 1 de maio para candidaturas. Segundo a instituição, a manutenção do cronograma é essencial para que os alunos selecionados possam ser notificados em um prazo adequado.

Além de contrariar as recomendações da ACCEPT (que, em sua lista, também agradece as universidades que recebem candidaturas sem prazos específicos), a manutenção do calendário também desagradou estudantes estadunidenses. Uma petição criada há duas semanas solicitando a ampliação dos prazos de candidatura até 1 de junho já ganhou mais de 8.400 assinaturas.

Os motivos alegados são semelhantes: a crise do coronavírus faria com que os estudantes tomassem uma decisão importante sem a informação necessária. A criadora da petição é uma aluna do último ano do ensino médio estadunidense que teve que cancelar seus planos de visitar 10 universidades diferentes, nas quais pensava em estudar, por causa da pandemia.

Provas padronizadas

Outro fator a se considerar nesse caso é que algumas provas padronizadas que costumam ser exigidas por universidades dos EUA foram canceladas recentemente. O SAT, por exemplo, cancelou a sua edição que aconteceria em 2 de maio. A prova-reserva da edição de março (que seria realizada no dia 28 de março, para estudantes inscritos que não puderam comparecer à prova no dia 14) também foi cancelada.

A próxima edição da prova, que aconteceria no dia 6 de junho, não está confirmada por ora. É possível que ela venha a ser cancelada também por causa da pandemia. O ACT (outro exame que costuma ser solicitado por instituições estrangeiras), por sua vez, foi remarcado de 4 de abril para 13 de junho.

Com isso, estudantes que não tinham realizado a prova ainda podem acabar perdendo o prazo. O mesmo vale para alguns exames de proficiência em inglês, que também costumam ser solicitados de alunos internacionais, e cuja realização também foi comprometida por causa da crise de saúde pública.

Algumas instituições responderam à situação eliminando o SAT das suas exigências para candidatura neste ano. No total, segundo a organização FairTest, mais de mil universidades estadunidenses realizam seus procedimentos de admissão sem exigir a pontuação de testes como o SAT e o ACT.

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: