Inicio Abdulrazak Gurnah, autor tanzaniano, é o vencedor do Nobel de Literatura

Abdulrazak Gurnah, autor tanzaniano, é o vencedor do Nobel de Literatura

0
Abdulrazak Gurnah, autor tanzaniano, é o vencedor do Nobel de Literatura

O ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2021 foi anunciado hoje, 7 de outubro. O anúncio pegou de surpresa muita gente por não ser nenhum dos nomes cotados para a premiação. O vencedor foi o escritor tanzaniano Abdulrazak Gurnah, cuja obra debate os efeitos do colonialismo na África, Caribe e Índia.

Abdulrazak é autor de 10 romances, entre os mais famosos estão os livros “Paradise”, de 1994, que foi nomeado para o prêmio Booker Prize, e “By the Sea”, de 2001. De acordo com o site oficial da premiação, o romancista foi selecionado “pela intransigente e compassiva profundidade sobre os efeitos do colonialismo e do destino de refugiado perante o abismo entre culturas e continentes”.

 

 

Sobre Abdulrazak Gurnah

Abdulrazak Gurnah nasceu na Tanzânia, na região de Zanzibar, em 1948. Com 20 anos de idade, o autor foi para a Grã-Bretanha após sair de Zanzibar fugindo da perseguição contra populações árabes na região. O período foi conhecido como a Revolução de Zanzibar e marcado pela retomada do poder da região por revolucionários africanos locais.

Leia também: Talibã e mulheres: entenda a relação do grupo com o acesso à educação universal

Ao chegar no Reino Unido, Abdulrazak iniciou os estudos na Christ Church College, uma escola de formação de professores localizada em Canterbury e que, na época, era vinculada à Universidade de Londres. Após formado, ele realizou a pós-graduação na Universidade de Kent, onde obteve o PhD em 1982.

O romancista já deu aulas na Bayero University Kano, localizada na Nigéria, e no departamento de inglês da Universidade de Kent, onde trabalhou até se aposentar. Em 2006, ele foi eleito fellow da Royal Society of Literature e atualmente mora no Reino Unido.

Sobre o Nobel de Literatura 

Até o momento, as obras de Abdulrazak não têm tradução para o português brasileiro, cenário que tende a mudar nos próximos meses. Um dos objetivos da premiação e consagrar mundialmente escritores com obras de destaque.

Hoje, o prêmio onera os vencedores com o valor de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,2 milhões). A nomeação do autor segue a linha dos últimos anos, após a premiação ser criticada duramente e apontada como eurocentrista e por apresentar uma visão de literatura conservadora e engessada.

Leia também: Conheça a Biblioteca Haruki Murakami, uma homenagem da Waseda University ao escritor

Dos 118 laureados na categoria de literatura até hoje, apenas 19 não são nascidos em países europeus ou da América do Norte e apenas 15 são mulheres. No twitter, o gráfico a seguir foi bastante compartilhado nos últimos dias. Nele, é possível ver em roxo a porcentagem significativamente inferior de mulheres laureadas ao longo de toda a premiação:

Estatísticas como essas são alguns dos motivos para o prêmio ser apontado como retrógrado por muitos acadêmicos. A nomeação de acadêmicos como Abdulrazak Gurnah mostra um primeiro passo, ainda muito tímido, da premiação para demanda por mudanças.

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia