Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

04.07.13

5 Mitos sobre o GRE

5 Mitos sobre o GRE

Confira a matéria do The Princeton Review e evite alguns equívocos comuns sobre o GRE

Confira a matéria do The Princeton Review, uma das principais publicações americanas sobre orientação para o processo de admissão em universidades,  e evite esses equívocos comuns sobre o GRE: 

Mito 1: O GRE não é tão importante quanto o seu personal statement e os relacionamentos com membros do corpo docente das escolas que você deseja estudar. 
FATO: Enquanto o peso que a sua pontuação no GRE tem em relação a outros fatores (GPA, graduação, cartas de recomendação, experiências relevantes na área escolhida, etc) vai variar de programa para programa, uma certeza é que GREs baixas podem prejudicar seriamente suas chances de admissão. Além disso, o GRE é um fator importante quando se trata de obter bolsas merit based ou conseguir vagas para monitoria e assistência em pesquisas.

Mito 2: O GRE testa conceitos matemáticos complexos.
FATO: A matemática no GRE é difícil devido a forma como os conceitos são testados, não por causa dos conceitos em si. Os testes GRE aplicam conceitos de matemática que você aprendeu na sétima ou oitava série, por exemplo, você não vai encontrar cálculos complexos ou trigonometria.

Mito 3: Você pode aprimorar uma série de habilidades para melhorar a sua pontuação de matemática, mas não consegue realmente aumentar a sua pontuação verbal.
FATO: O lado bom dos testes padronizados é justamente o fato de serem padronizados. Isso significa que eles são previsíveis. Sabemos exatamente o que é testado e como. No curso da The Princeton Review, você pode aprender exatamente como as perguntas são construídas e como responder cada questão. Pontuações verbais podem ser melhoradas por qualquer estudante disposto a correr atrás.

Mito 4: A sua preparação de estudos se resumem em fazer testes práticos. Se eu fizer simulados suficientes minha pontuação vai subir.
FATO: Isso não é verdade! Fazer simulados sem aprender novas técnicas só irá reforçar os hábitos que você já tem agora. A fim de melhorar a sua pontuação, você tem que mudar a maneira de fazer o teste. Isso significa aprender novas técnicas e praticá-las até que se tornem  um hábito.

Mito 5: Todas as preparações de estudos são iguais, são realmente apenas sobre a prática.
FATO: Não! Fazer uma boa preparação de estudos é uma habilidade, e dominar essa habilidade requer as ferramentas certas, o treinamento certo, e muita prática. Se você for pagar para fazer uma preparação dos seus estudos, por favor, certifique-se das seguintes questões:

1. O acesso a autênticos testes adaptativos. Se você não está praticando em testes que imitam perfeitamente o conteúdo e a funcionalidade do exame real, você não está praticando nada. Certifique-se que seus testes são eletrônicos, adaptáveis por seção, e que utilizam os mesmos processos de conversão utilizados pelo ETS para gerar as pontuações.
2. O uso extensivo de ferramentas eletrônicas, dentro e fora da sala de aula. Você está se preparando para um teste que é realizado por meio do computador. Portanto, você não pode se preparar para este teste usando um livro e um quadro sozinho. Qualquer curso adequado vai usar a tecnologia em sala de aula para imitar a experiência de fazer o teste real. Este é o único caminho para um professor ver e corrigir seus erros.
3. Muitas e muitas questões práticas. Você está aprendendo uma nova habilidade e todas as novas habilidades requerem muita prática. Você deve ter acesso a centenas de problemas práticos nos diferentes assuntos. Certifique-se de que o seu desempenho nesses itens podem ser revistos pelo seu professor.
4. Análise presencial do seu desempenho na preparação. Os seus estudos preparatórios abordam apenas uma parte de todo o processo para ter o domínio do exame. Se preparar tem a ver também com o seu ritmo e com as habilidades de fazer o exame em si. Para estar completamente preparado, você deve ter a oportunidade de sentar-se com o seu coach, presencialmente, para analisar o seu desempenho em exames práticos. Cada aluno é diferente. E o treinamento personalizado é essencial para tirar o máximo proveito da sua preparação.

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas