Um projeto: Fundação Estudar

Intercâmbio

O que você precisa saber para ter uma experiência de estudos em outro país

26.10.15

Toronto ou Vancouver? Onde estudar no Canadá

Toronto ou Vancouver? Onde estudar no Canadá

Alta do dólar não precisa acabar com o sonho de estudar fora. Canadá é opção mais econômica; conheça mais das 2 principais cidades do país:

Por Nicolas Gunkel, de Exame.com

Se você acha que a disparada do dólar norte-americano acabou de vez com o seu sonho de estudar em um país de língua inglesa, talvez você tenha deixado escapar uma opção: o CanadáNos últimos anos, o país se tornou um destino muito procurado por brasileiros que querem aprender ou aperfeiçoar o idioma.

Além de ser uma alternativa mais econômica frente ao real desvalorizado, o Canadá é reconhecido mundialmente por sua receptividade – apesar do frio – e pelos vultosos investimentos em educação.

“Há toda uma infraestrutura para os estudantes. Você tem saúde, segurança, transporte e um respeito muito forte à dignidade das pessoas”, afirma Rosa Maria Troes, fundadora da Canadá Intercâmbio, empresa que leva brasileiros para fazer cursos no país.

Outro diferencial apontado por ela está na própria língua: o inglês canadense é muito fácil de entender, o que facilita o aprendizado. “Enquanto os norte-americanos têm muitos sotaques regionais e os britânicos falam ‘mais para dentro’, os canadenses têm um inglês mais standard, mais padrão”.

Rivalidade

Apesar de terem em comum as vantagens descritas acima, as duas cidades mais procuradas pelos brasileiros têm estilos de vida tão diferentes (e rivalidades tão semelhantes) quanto São Paulo e Rio de Janeiro.  “Quem vai para Toronto primeiro, costuma preferir Toronto. E quem conhece Vancouver antes, só quer saber de Vancouver”, comenta Rosa.

Veja a seguir qual cidade combina mais com o seu perfil:

Vancouver

Com cerca de 600 mil habitantes, Vancouver é ainda o destino mais procurado no Canadá por quem está começando a aprender o idioma.

Por ser menor e voltada para o turismo, a cidade facilita a adaptação de quem é de fora. Por isso, é indicada para quem pretende fazer um curso de curta duração. “É tudo pertinho e, depois de uma semana, você já se sente em casa”.

O ritmo de vida de Vancouver também é mais interessante para jovens de até 20 anos, que normalmente ainda não têm tanta independência. “É mais tranquilo. A vida noturna também existe na cidade, mas acaba por volta das 2 horas da manhã”.

As ricas belezas naturais – motivo pelo qual é comparada ao Rio – e o clima mais ameno da cidade contribuem para que ela seja mais aproveitada durante o dia. A fama de ser chuvosa também perdeu força com as mudanças climáticas dos últimos anos. “Nos últimos tempos, tem chovido bem menos”, conta Rosa.

Toronto

Acelerado e dinâmico, o estilo de Toronto é mais semelhante ao de São Paulo. Com 2,8 milhões de habitantes, a cidade respira cultura e é voltada para os negócios. “O passo de Toronto é o passo do business. A economia é mais diversificada e as baladas viram a noite”, conta Rosa.

Pelo grande número de universidades, Toronto é mais procurada por pessoas que querem aperfeiçoar o inglês ou fazer cursos especializados. Há mais oportunidades de educação superior do que em Vancouver.

As características de cidade grande também fazem o destino ser mais indicado para viagens longas. Há milhares de restaurantes, festivais e eventos culturais. “Lá dá para fazer atividades diferentes por meses”, afirma Rosa.

O ritmo e a dimensão de Toronto também preocupam mais os pais de adolescentes. Assim, a cidade acaba sendo mais procurada por adultos com mais de 20 anos.

Se você gosta de frio, o inverno em Toronto também pode ser uma boa opção. Diferentemente de Vancouver, a cidade está preparada para temperaturas de -40°C e muita neve. “Você experimenta melhor o frio lá. Quando neva em Vancouver, a cidade fica um caos”.

Crise?

Apesar do cenário econômico desfavorável, a procura por cursos de inglês e especialização no Canadá tem aumentado, segundo Rosa. Isso ocorre porque a educação é um investimento seguro em tempos de crise, segundo ela.

“A educação não vai sair de moda nunca. É com ela que nos reinventamos em situações difíceis”, diz. O resultado do aperto financeiro não é a redução no número de viagens, mas o perfil delas.

Para se sobressair diante da retração do mercado de trabalho, muitas pessoas têm procurado pacotes mais curtos para impactar menos seu orçamento e se concentrado mais na especialização profissional.

Este texto foi originalmente publicado em  Exame.com

*Foto: Toronto, no Canadá / Crédito: divulgação

Leia também:
Entenda como funciona o intercâmbio de high school no Canadá
Os prós e contras de estudar no Canadá
Guia online e gratuito para quem sonha com a graduação no exterior

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

estagiários da Microsoft comemorando
impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT