Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

12.11.13

Por dentro do MBA: O período de recrutamento

Por dentro do MBA: O período de recrutamento

Eventos de networking e muitos treinamentos: veja como funciona a preparação de um aluno de MBA fora neste período

Por Andréa Beer, aluna de MBA em Kellogg As duas últimas semanas foram mais do que intensas e, desta vez, a culpa não foi das aulas. Como contei no post anterior, o processo de recrutamento já começou e há uma série de workshops e eventos para nos preparar para os próximos passos. Na semana passada, por exemplo, tivemos uma palestra obrigatória sobre como usar o sistema de bidding points para agendar entrevistas. Isso mesmo! Para empresas que recrutam no campus, você recebe 800 pontos para “bidar” tanto para companhias que te chamaram para entrevista, como para aquelas que não te convidaram, mas você tem interesse. Aqui em Kellogg, e, pelo o que eu vi, nas demais escolas de negócios, o tempo todo você é forçado a tomar decisões, a considerar trade-offs, ou seja, o que está disposto a abrir mão para ganhar em troca. Pode ser alguma outra matéria, fazer outra entrevista, assistir a determinado evento. Acredito que a ideia seja replicar o mundo real de negócios. Os recursos são limitados, então você deve fazer o tempo todo escolhas pensando no melhor retorno no médio e longo prazos. Falando em escolhas, eu me dei bem mal ao “bidar” para as aulas do próximo trimestre. Acabei colocando menos pontos do que o necessário para a maioria das disciplinas e estou na lista de espera em três das cinco que apliquei. Ainda tenho o segundo round para tentar novamente as disciplinas que quero, mas estou tranquila se não conseguir todas elas. Muita gente está fazendo apenas três créditos no próximo trimestre para poder dedicar mais tempo ao recrutamento. Apesar dos treinamentos já terem começado – nas duas próximas semanas eu tenho workshop sobre como escrever uma cover letter, como ir bem numa entrevista e ainda como fazer networking de forma efetiva – o período em que o jogo é mesmo para valer vai de janeiro a março para empresas que recrutam no campus. Para companhias que não recrutam, o processo pode ir até abril ou mesmo maio. Para quem recruta dentro da escola, o processo é bastante organizado. Há o período de envio de currículo, entrevista, oferta e até um deadline oficial para aceitar ou não a oferta. Este ano, o prazo é 28 de fevereiro. O prazo existe para que os alunos possam avaliar todas as opções disponíveis sem qualquer tipo de pressão. Cada posição ou indústria também segue um calendário diferente. No início de janeiro, por exemplo, ocorre o recrutamento para consultorias e bancos, depois posições em marketing e general management, e assim por diante. O processo pode começar com uma simples avaliação do currículo ou com muito networking. Aliás, esta é a palavra de ordem aqui. As companhias realizam coffee chats, palestras e jantares para conhecer os candidatos agora no outono. Saber como começar uma conversa e engajar seu interlocutor pode ser chave para conseguir uma entrevista depois. Mas nem tudo é trabalho, trabalho, trabalho. A neve ainda não chegou, então estamos aproveitando para curtir os eventos sociais. Na semana passada, tivemos o baile do outono e, na semana anterior, o Halloween. Em ambas as festas, me senti como dentro de um filme sobre a vida no colegial. Acredito que não há forma melhor de emergir na cultura norte-americana do que participar deste tipo de festa e comemoração. Até a próxima! _____________________________________________________________________ Andréa Beer – Colunista sobre a experiência de cursar um MBA no exterior AndreaAndréa Beer, colunista do Estudar Fora, é jornalista de formação e Relações Públicas por opção. Apaixonada por boas histórias, teve a oportunidade de contar algumas delas na rádio BandNews FM, como repórter, e depois de participar de outras como consultora de Relações Públicas no Grupo Máquina PR. Formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina, com pós-graduação em finanças pela USP, Andréa também presidiu por dois anos o Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais, entidade que reúne jovens investidores do mercado financeiro. Aluna do MBA de Kellogg, colabora com o Estudar Fora contando detalhes da rotina de um MBA internacional. Seu lema é simples: todos os dias são uma oportunidade de fazer a diferença. Com seus posts, espera continuar conectando ideias e pessoas.

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas