Um projeto: Fundação Estudar

Graduação

O que você precisa saber para cursar uma graduação fora do Brasil

28.04.15

Os brasileiros têm feito um ótimo trabalho, diz vice-reitor de Harvard

Os brasileiros têm feito um ótimo trabalho, diz vice-reitor de Harvard

O vice-reitor de Relações Internacionais de Harvard, Jorge Dominguez, elogia os brasileiros na universidade e diz que o Brasil precisa enviar mais alunos ao exterior

Estou bastante feliz com o aumento do número de brasileiros nos últimos anos, que foi bastante expressivo. Mas queremos ainda mais

Neste ano, o número de brasileiros estudando na Universidade Harvard ultrapassou pela primeira vez a casa dos três dígitos: 104. O número ainda é baixo ao pensar que há 21.000 estudantes na universidade, mas representa um avanço expressivo em relação aos últimos anos. Em 2010, os brasileiros em Harvard eram apenas 64. “Estou bastante feliz com o aumento do número de brasileiros nos últimos anos, que foi bastante expressivo. Mas queremos ainda mais”, afirmou o vice-reitor de Relações Internacionais, Jorge Dominguez, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo.

Do total de brasileiros na universidade, 25 cursam MBA, 20 pós-graduação em Saúde Pública, 13 em Políticas Públicas, 13 fazem pós em áreas multidisciplinares e 14 estão na graduação. Dominguez não poupou elogios a esses estudantes: “Os alunos que recebemos em diferentes partes da universidade têm feito um trabalho extraordinário e estudam muito. Esses estudantes contribuem com  sujas próprias experiências para diversas discussões em Harvard, em áreas como engenharia, saúde pública e economia”.

Ainda na entrevista à publicação, ele disse que o Brasil precisa enviar mais alunos ao exterior, pois, quando voltarem ao país, “serão mais eficientes em qualquer profissão que seguirem”. “O Ciência sem Fronteiras é um bom programa. Uma questão nos próximos anos para o governo brasileiro e todos os partidos políticos é quando vamos criar outros programas desse tipo para mandar para o exterior pessoas de outras áreas como de economia, ciências sociais ou mídia. Certamente, é caro, mas é necessário começar a pensar no futuro, quando o país tiver saído da crise”, afirmou.

Leia a entrevista na íntegra no jornal O Estado de S.Paulo

*Crédito da imagem: Justin Ide/ Harvard News Office

Leia também:
Especialistas de Harvard dão dicas para sua aprovação
O Brasil no centro de Harvard

Conecte-se ao Estudar Fora

http://promo.estudarfora.org.br/07de78d376d72cb1d7d3

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas