Seis motivos para estudar fora

Uma pessoa segurando um globo terrestre em frente ao rosto buscando melhor destino de intercâmbio de inglês

Ainda está na dúvida se deve ou não Estudar Fora? Se esse é o seu caso, vamos apontar a seguir seis motivos para estudar fora pelos quais essa decisão pode ter um impacto positivo bem forte não só na sua carreira, mas também em muitos aspectos da sua vida pessoal. Confira!

Motivo 1: Fazer Networking 

Um dos melhores motivos para estudar fora é: FAZER NETWORKING. Nessa experiência você vai conhecer pessoas de diferentes backgrounds e nacionalidades. No campus da London School of Economics and Political Science (LSE), por exemplo, são faladas mais de cem línguas. Ela é a universidade mais internacional do mundo.

Para te ajudar a fazer contatos, confira a dica do Minoru Ueda, da Leme Consultoria, neste vídeo da Exame.com. Para o consultor, é importante saber ouvir as pessoas e observar com atenção as possibilidades de networking ao seu redor. O vídeo é referente a networking em eventos, mas a dica também é válida para um intercâmbio. Veja AQUI.

Minoru

Motivo 2: Aprender a administrar seu dinheiro

Um excelente motivo para estudar no exterior é aprender a gerir as suas finanças. Afinal, quem vive um intercâmbio tem que aprender a escolher como e onde gastar: educação, moradia, alimentação, lazer, enfim, tudo. Como os gastos podem ser altos, uma dica é ir juntando uma grana e planejando os custos.

Motivo 3: Acrescentar ao CV

Além de fazer networking e aprender a administrar seu dinheiro, estudar no exterior é uma excelente oportunidade para você ter um currículo diferenciado. A Oxford Economics conduziu uma pesquisa global com profissionais de recursos humanos onde foi revelado que o mercado necessita de profissionais com competências como “Habilidade de administrar equipes diversas; Entendimento de mercados internacionais; Capacidade de trabalhar em múltiplos locais no exterior; Domínio de línguas estrangeiras e Sensibilidade cultural”. Uma vivência no exterior irá contribuir muito para que você desenvolva essas competências, essências ao atual cenário de globalização dos mercados.

Se você quiser investir na em um curso de curta duração, o exterior também pode ser uma boa opção. Confira o vídeo publicado no site da Exame com Ivan Correa, diretor-executivo do IBOPE Educação, falando sobre o assunto.

Motivo 4: Crescimento pessoal e autonomia

Um dos grandes ganhos com a experiência de Estudar Fora é o crescimento pessoal e a autonomia que a saída da zona de conforto proporciona. Segundo a diretora do Virginia Center School, Ana Virginia Kesselring, a autonomia é o principal ganho que o aluno terá. “Estudando fora com certeza ele vai se tornar um aluno mais ativo, que vai atrás do conhecimento, que sabe aprender. Para a sua educação, esse é o maior ganho que ele vai ter”, afirma.

Motivo 5: se formar nas melhores universidades do mundo

Segundo os principais rankings internacionais, as melhores universidades do mundo estão no exterior. Entre as 50 melhores eleitas pelo QS World University Rankings, 18 estão nos Estados Unidos. Dentre as 10 primeiras, cinco são norte americanas, e outras quatro ficam no Reino Unido.

No ranking da Academic Ranking of World Universities (ARWU), as universidades estadunidenses se destacam ainda mais. Oito das 10 primeiras colocadas são de lá, e as outras duas são a University of Cambridge e a University of Oxford, ambas do Reino Unido. Já entre as 50 melhores eleitas pela ARWU, 39 são norte americanas.

No ranking Times Higher Education (THE), apesar das inúmeras universidades dos Estados Unidos e do Reino Unido, países como Suíca, Canadá, Japão, Austrália, Singapura, Hong Kong, Suécia, China e Alemanha também marcam presença entre as 50 melhores do mundo.

Motivo 6: Conhecer novas culturas

Além de se formar nas melhores universidades do mundo e conhecer novos lugares, outro dos melhores motivos para estudar fora é que você vai conhecer pessoas do mundo inteiro, com diferentes costumes e culturas. Isso fará com que você tenha uma visão mais ampla do mundo e compreenda melhor as diferenças culturais em um mundo cada vez mais globalizado. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Institute For The Future (IFTF), de Palo Alto (EUA), uma das dez principais habilidades para o profissional do futuro será a Competência Intercultural, descrita como a capacidade de trabalhar em diferentes contextos culturais. Pense nisso!

Aproveite e confira o texto Sem fronteiras: Choque Cultural, de Lucas Hackradt, Colunista do Estudar Fora que escreve sobre a aprendizagem em experiências de intercâmbio.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: