Um Projeto: Fundação Estudar

Conheça a London School of Economics, uma das universidades mais internacionais

Por Giana Andonini
10.07.2018

A instituição inglesa tem como um de seus marcos a diversidade. Atualmente, 70% dos alunos vem de fora do Reino Unido e mais de cem idiomas são falados no campus. Saiba mais sobre a London School of Economics, uma das melhores (e mais internacionais) universidades do mundo.


A London School of Economics and Political Science, mais conhecida como London School of Economics ou somente LSE, foi fundada em 1895. Tornou-se, com o passar dos anos, uma das principais instituições de ensino em ciências sociais do mundo. E é, ainda, conhecida como uma das mais internacionais. Para ter uma ideia, dos cerca de 11 mil alunos, quase 70% vem de fora do Reino Unido. Há, atualmente, representantes de 133 países no campus.

A equipe acadêmica segue a mesma toada, já que 46% dos funcionários não são do Reino Unido. A instituição valoriza essa diversidade e comemora as mais de cem línguas diferentes faladas ao redor do campus.

Quem já passou pela London School of Economics

Tamanha internacionalização reflete-se no número de líderes mundiais que estudaram por lá. São, ao todo, 37 presidentes, primeiros ministros e integrantes de famílias reais. Dentre eles, vale destacar o ex-presidente americano John F. Kennedy, o ex-primeiro ministro italiano Romano Prodi e o ex-primeiro ministro japonês Taro Aso.

Lá, formaram-se também 70 parlamentares britânicos. No quesito prêmio Nobel, a universidade contabiliza 18 vencedores. Com números tão favoráveis, não é de surpreender que a rede formada por ex-alunos seja bem vista. Os próprios estudantes, por exemplo, consideram a rede de contatos políticos estabelecidos na LSE como uma das vantagens da instituição.

Old Building, um dos prédios que integram o campus da LSE.

 

Atualmente, a London School of Economics ocupa a 25ª posição entre as melhores universidades do mundo, segundo o Times Higher Education. Já o QS Ranking, em sua listagem mundial, coloca a LSE na 38ª posição. Por outro lado, rankings universitários filtrados por área tendem a colocar a universidade em destaque. A de escolas em ciências sociais, por exemplo, aponta a instituição como a segunda melhor do mundo.

Graduação na London School of Economics

Entre os 11.885 estudantes que integram o corpo discente da LSE, 5082 são alunos da graduação. No último ano, a instituição recebeu 18 mil applications e admitiu 1,5 mil. Ou seja, a taxa de aceite gira em torno de 8%. Isso condiz, por exemplo, com os índices da Ivy League, associação de universidades americanas de prestígio.

Ainda que sejam a maioria no campus, os estrangeiros pagam mais caro pela anuidade na London School of Economics. Um britânico desembolsa, em média, 9 mil libras. Já um brasileiro, por sua vez, teria de pagar mais de 18 mil libras pelo mesmo curso.

Para quem precisa de apoio financeiro, há opções variadas de bolsas de estudo. O LSE Undergraduate Support Scheme disponibiliza entre 6 mil e 18 mil libras para alunos com necessidade financeira. Para saber mais sobre o suporte oferecido pela instituição, basta acessar o site.

Pós-graduação na LSE

Por sua vez, os cursos de pós-graduação concentram 5.990 estudantes. Também nesse caso, os estrangeiros são maioria nas salas de aula e pagam anuidades maiores. O mestrado em Desenvolvimento, por exemplo, custa cerca de 13 mil libras de um britânico. Enquanto isso, um brasileiro teria de arcar com quase 21 mil.

Formandos da London School of Economics and Political Science, em 2016

 

Entretanto, há cursos em que a diferença não é tão grande. No mestrado em Economia, a anuidade de um cidadão europeu equivale a exatas 26.976 libras. Já os estudantes de fora precisam pagar 27.504 libras para o mesmo curso. Novamente, há programas de apoio financeiro específicos de cada departamento e um sistema da própria LSE, o Graduate Support Scheme. Todos os anos, são mais de 11 milhões de libras em prêmios e bolsas.

O processo seletivo da London School of Economics segue o padrão europeu de application. Ou seja, o candidato precisa encaminhar documentos como histórico acadêmico, diplomas e um personal statement. Também é necessário comprovar proficiência por meio de testes como TOEFL e IELTS.

História da London School of Economics

Em 1900, a LSE se uniu à chamada Universidade de Londres, uma rede de instituições de ensino superior localizadas na capital. Expandiu-se, então, rapidamente pela cidade. À época da Grande Depressão, professores da LSE e da Universidade de Cambridge entraram em conflito sobre as melhores soluções para a crise. Do lado londrino, estavam os economistas Lionel Robbins e Friedrick von Hayek. Do outro, John Maynard Keynes. A briga deu espaço à solidariedade durante a Segunda Guerra Mundial, quando Cambridge abrigou a LSE.

Sempre atenta quando se trata do empoderamento feminino – afinal, foi co-fundada por uma mulher –, a LSE criou, nos anos 1990, o Instituto de Gênero, maior centro de pesquisa do tipo da Europa. Entre suas ex-alunas mais famosas, está Lilian Knowles, que entrou logo no primeiro ano de funcionamento e tornou-se professora de História da Economia, a primeira cátedra do tipo da história. Vale, ainda, lembrar a contribuição um tanto atípica da LSE para a cultura. Afinal, Mick Jagger conheceu Keith Richards em um trem a caminho das aulas, e juntos os dois fundaram os Rolling Stones.

Famosos que passaram pela LSE

Juan Manuel Santos, atual presidente da Colômbia;
Janet Yellen, presidente do Federal Reserve;
Thomas Piketty, economista;
David Attenborough, naturalista e apresentador da BBC;
Delphine Arnault, diretora e vice-presidente executiva do conglomerado bilionário LVMH;George Soros, investidor;
Bronislaw Malinowski, antropólogo.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d