Um Projeto: Fundação Estudar
Torre de Pisa - Intercâmbio na Itália

Intercâmbio na Itália: história, cultura e excelentes oportunidades de aprendizado

Por Colunista do Estudar Fora
29.08.2019

Se você pretende fazer um intercâmbio na Itália, confira aqui as principais universidades, destinos, programas de bolsas e tudo que você precisa saber!


A proximidade da cultura italiana, a semelhança entre o italiano e o português e a oferta de excelentes universidades são alguns dos fatores que fazem com que muitos brasileiros se interessem por um intercâmbio na Itália. De fato, o país oferece oportunidades de estudo tanto para quem só quer conhecer mais da língua quanto para interessados em graduação e pós-graduação.

Facilidade de adaptação

Um dos motivos pelos quais os italianos foram a etnia preferida no controverso processo de imigração incentivado pelo governo brasileiro dos anos 1880 a 1930 foi a facilidade de assimilação destes imigrantes na cultura brasileira. Oriundos de um país católico e de língua latina, os italianos se adequaram mais facilmente ao Brasil do que japoneses e alemães, por exemplo.

Os costumes e a gastronomia italiana foram, com o tempo, dissolvidas e incorporadas ao cotidiano do povo brasileiro, tamanha a sua influência no nosso país. Para pôr em números: em 2013, a embaixada italiana divulgou que há aproximadamente 30 milhões de descendentes de italianos vivendo no Brasil, sendo os ítalo-brasileiros a maior população de origem italiana fora da Itália.

Essa relação de proximidade da cultura italiana com o nosso dia a dia — e o fato de ser o país de descendência de muitos brasileiros — faz com que a Itália seja um dos destinos favoritos de estudantes brasileiros na hora de escolher onde fazer um intercâmbio. Outro fator que desperta o interesse em intercâmbio na Itália é o legado histórico, filosófico e artístico de mais milhares de anos para a cultura ocidental: a Itália foi berço do Império Romano, do Renascimento e de artistas, escritores e pensadores como Leonardo Da Vinci, Dante Alighieri, Maquiavel, Michelangelo, Donatello, entre outros.

Localizada no centro-sul da Europa, a Itália possui mais de 100 mil monumentos e obras de arte, sendo que mais de 50 desses pontos estão na lista da UNESCO como Patrimônio da Humanidade, entre eles o centro histórico de Florença e Veneza. A gastronomia e o clima ameno e parecido com o brasileiro também atrai muitos intercambistas para a região.

Programas de intercâmbio na Itália

A Itália é uma ótimo destino para estudantes nas áreas de artes, arquitetura, filosofia, letras, história, moda e design. Muitas universidades brasileiras possuem acordos de intercâmbio com universidades italianas. Apesar de a maioria das universidades italianas não serem gratuitas, muitas instituições de ensino oferecem bolsas de estudo. Existe também o programa Erasmus, que também oferece bolsas de estudos para universitários.

Se a intenção do intercâmbio é aprender um novo idioma, é importante ponderar que o italiano não é uma língua tão falada em outros países do mundo além da Itália. Mas se você já estuda italiano no Brasil, o intercâmbio pode te ajudar a se tornar fluente na língua, além de propiciar a experiência de mergulhar na cultura local.

Na graduação, não é tão comum que sejam oferecidos programas em inglês — embora algumas universidades, como a Universidade de Pádua, tenham programas na língua. Na pós-graduação, essa oferta é mais comum, e os certificados mais aceitos são o TOEFL ou o IELTS. No caso de italiano, alguns dos certificados aceitos mais comumente são o CILS e o CELI.

Melhores universidades italianas

De acordo com o ranking do THE (Times Higher Education), as três melhores universidades italianas de 2019 são, respectivamente, a Scuola Superiore Sant’Anna (153ª no ranking geral), Scuola Normale Superiore di Pisa (161ª) e Universidade de Bolonha (180ª). A Scuola Superiore Sant’Anna só tem pouco mais de 30 anos de fundação, mas já figura como uma das principais instituições de ensino superior na Itália há algum tempo. Localizada em Pisa, tem como foco os cursos da área de humanas.

A Scuola Normale Superiore di Pisa também fica em Pisa e foi fundada em 1810 por decreto de Napoleão Bonaparte, como ramificação da Escola Normal Superior de Paris. Tem cerca de apenas 500 alunos e se destaca nos cursos de História da Arte, Arqueologia, Literatura, Física e Astronomia.

Já a Universidade de Bolonha é considerada a universidade mais antiga da Europa, tendo sido fundada na cidade de Bolonha em 1088. Um de seus ilustres professores foi o semiólogo e escritor italiano Umberto Eco, que era o titular da cadeira de Semiótica na universidade. Hoje, tem cerca de 85 mil alunos e oferece cursos de Artes, Direito, Medicina, Farmácia, Matemática, Engenharia, Agronomia, Medicina Veterinária, Arquitetura, Física e Pedagogia.

Ainda segundo o THE, as 15 melhores universidades da Itália são:

  • Sant’Anna School of Advanced Studies – Pisa
  • Scuola Normale Superiore di Pisa
  • University of Bologna
  • University of Padua
  • Vita-Salute San Raffaele University
  • Sapienza University of Rome
  • University of Trento
  • University of Milan
  • University of Naples Federico II
  • University of Pisa
  • Polytechnic University of Milan
  • Free University of Bozen-Bolzano
  • University of Modena and Reggio Emilia
  • University of Perugia
  • University of Salerno

É preciso de visto para intercâmbio na Itália?

Para quem tem dupla-cidadania italiana, fica muito mais fácil residir e estudar no país, já que não é necessário tirar visto. E se você for fazer intercâmbio na Itália por até 90 dias, não é obrigatória a apresentação do visto. Na chegada à Itália, você deve apresentar documentos como: reserva da acomodação, curso, passagem aérea com data de volta. Já se a sua estada for acima de 3 meses, é necessário tirar o visto de estudante no Consulado Italiano.

E, se você não é um cidadão italiano ou europeu, para morar legalmente na Itália, além do visto você vai precisar do permesso di soggiorno. O permesso di soggiorno é, aduzindo ao pé da letra, uma permissão de estadia. Deve ser solicitado antes de completar 8 dias que está no país e pode ser pedido nas agências de correio italianas (poste italiana).

Um dos pontos positivos de fazer intercâmbio na Itália é que o país faz parte da área Schengen, uma convenção entre países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países signatários. Ou seja, você poderá viajar livremente por mais de 20 países da Europa, entre eles França, Portugal, Espanha e todos os integrantes da União Europeia.

Dicas para quem pretende fazer intercâmbio na Itália

Fernando Henrique Mendonça, professor de italiano formado em Letras pela Universidade de São Paulo, foi para Roma para estudar na Università Roma Tre de fevereiro de 2017 até agosto de 2017. Sua principal intenção com o intercâmbio era melhorar sua fluência no idioma.

“Sou apaixonado pela cultura e pela gastronomia italiana, então aproveitei os seis meses que fiquei lá para viajar pelo país, o que me ajudou a melhorar meu italiano”, comenta o ex-intercambista. “Viajar por dentro da Itália não é tão caro, já que o transporte é bem acessível caro. E dá pra encontrar várias promoções de passagem e hospedagem com preço ok”.

Aprofundar sua fluência no italiano também foi o que motivou Carolina Grandino Pereira de Morais a escolher a escola Campus Magnolie para fazer seu intercâmbio. Localizada na pequena cidade de Castelraimondo, na região de Marche, a Campus Magnolie oferece há 25 anos viagens-estudo para estudantes estrangeiros. “Foi ótimo poder me aprofundar nos estudos e ter contato com o país que eu já havia tanto estudado e de onde minha família veio”.

Anaís Motta, jornalista formada pela Universidade de São Paulo, morou para Milão entre setembro de 2016 e fim de janeiro de 2017 para estudar na IULM (sigla em inglês para Libera Università di Lingue e Comunicazione), em Milão. Sua motivação para fazer intercâmbio na Itália foi praticar o italiano, que começou a estudar quando ingressou na USP. “Achei que seria uma boa oportunidade para praticar. É mais difícil estudar (e realmente aprender) italiano daqui, não é como o inglês ou espanhol”.

Anaís conta praticamente não teve problemas para se adaptar à cultura estrangeira. “Os italianos são muito divertidos e os demais intercambistas que conheci (brasileiros e europeus) foram ótimos amigos nesse período. Fui muito bem recebida”, falou a jornalista, que também ressaltou os benefícios de ter estudado em Milão.

“Conceitualmente, é uma cidade bem parecida com São Paulo, mas é mais desenvolvida. Mais estações de metrô, ônibus 24/7, tram (uma espécie de bondinho), além de ser uma cidade muito limpa. Acho que o único defeito é ser meio cara para morar, mas o preço das outras coisas (comida, serviços e tudo o mais) está dentro da média das outras cidades da Europa.”

Principais destinos para intercâmbio na Itália

Milão

Considerada pelo ranking QS como a 40ª melhor cidade do mundo para estudantes, a cidade tem cinco das melhores universidades italianas (segundo o ranking da QS, que é diferente do da THE). E ela também oferece muitas oportunidades de emprego para alunos mais focados em carreira.

A cidade também é uma capital comercial da Itália e, com mais de 1,3 milhão de habitantes, oferece todos os serviços de que estudantes podem precisar.

Roma

A capital italiana conta com mais de 2,8 milhões de habitantes, o que faz dela a maior do país. Embora ela fique atrás de Milão no ranking da QS, mesmo assim ela ainda aparece na 70ª posição. Contribuem para isso a sua riqueza histórica e de passeios culturais: o panteão, o coliseu, o fórum, etc. Algumas das melhores universidades do país também estão localizadas lá. Ela também é um destino muito desejado por estudantes, tanto por suas belas paisagens e profundidade cultural quanto pelas opções de estudo disponíveis.

Pisa

A sede de duas das melhores universidades da Itália de acordo com o ranking da THE também merece destaque. Apesar de suas excelentes oportunidades de estudo, no entanto, ela é uma cidade bem menor, com apenas cerca de 85 mil habitantes. Mesmo assim, sua arquitetura antiquada (que inclui a famosa “torre inclinada de Pisa”) fazem o destino se destacar, especialmente para quem quer conhecer mais da história da região. Localizada no norte do país, na região da Toscana, ela também fica próxima de outros centros comerciais.

Bolsas para intercâmbio na Itália

Para quem pretende fazer intercâmbio na Itália, há diversas oportunidades de bolsas de estudo disponíveis. Um programa de destaque é o do Ministérios de Assuntos Estrangeiros e Cooperação Internacional do país (o MAECI). Anualmente, o MAECI oferece bolsas para cursos de mestrado, doutorado, pesquisa, educação superior em artes e a´te mesmo cursos de língua e cultura italiana.

Além desse programa, as universidades italianas também costumam oferecer programas de bolsas para alunos interessados. A Scuola Normale Superiore (SNS), uma das melhores do país, também abre todo ano um programa de bolsas para pós-graduação.

Outra instituição de destaque italiana, a Universidade de Bolonha (uma das mais antigas do mundo) também tem um programa regular de bolsas para graduação e mestrado. Há oportunidades também para os programas de “Single Cycle”, com cinco anos de duração, que integram a graduação e o mestrado.

Por Beatriz Moura

 

Dica do Estudar Fora:

Autoconhecimento é fundamental para você embasar as suas decisões de vida e carreira. É através dele que você vai responder dúvidas que podem estar na sua cabeça, como: “Será que é o momento de estudar fora?”, “Qual curso faz mais sentido pra mim?”, “Qual país e universidade vai ser melhor para a minha trajetória?”. Foi pensando neste seu momento que a Fundação Estudar criou o Autoconhecimento Na Prática, um curso de três dias que vai ajudá-lo a desvendar o seu verdadeiro Eu e a guiar com mais segurança suas escolhas profissionais e de vida. Inscreva-se agora com 10% de desconto usando o cupom ESTUDARFORA. É só clicar aqui!

 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d