Um Projeto: Fundação Estudar
membros da AIESEC em Conferência

AIESEC: oportunidades de intercâmbio e desenvolvimento de liderança no exterior

Por Redação do Estudar Fora
05.04.2019

Conheça a organização estudantil que está presente em 125 países e, desde 1948, desenvolve lideranças jovens ao redor do mundo através de intercâmbios. Saiba como participar!


Quando o assunto é intercâmbio, há uma infinidade de opções no mercado, de cursos de idiomas com aulas de culinária na França a trabalho voluntário na China. A AIESEC, um movimento universitário que surgiu na França em 1948, chama a atenção por oferecer também uma experiência de trabalho — voluntário ou remunerado — para desenvolvimento de liderança. E isso a preços bem inferiores aos cobrados por agências de intercâmbio.

O grande objetivo da AIESEC é desenvolver potencial humano por meio do desenvolvimento de lideranças jovens

Hoje, a AIESEC está presente em mais de 125 países e é considerada a maior organização estudantil do mundo. No Brasil, possui mais de 50 escritórios, sendo que cada um é ligado a uma universidade/faculdade. Os universitários são o público-alvo: para participar do movimento (e se candidatar a um intercâmbio), é preciso ter entre 18 e 30 anos de idade, estar cursando graduação ou pós-graduação, ou ter se formado há 2 anos

Leia também: Experiência profissional no exterior: AIESEC oferece programas de imersão em startups

 

Guilherme na despedida da empresa em que foi trainee pela AIESEC nas Filipinas
O estudante Guilherme na despedida da empresa em que foi trainee nas Filipinas

“O grande objetivo da AIESEC é desenvolver potencial humano por meio do desenvolvimento de lideranças jovens; e fazemos isso por meio dos nossos intercâmbios”, afirma Magnum Queiroz, membro do Time Nacional de Relações Públicas da AIESEC no Brasil).

Programas de Intercâmbio oferecidos pela AIESEC

Carla na Colombia
A brasileira Carla durante seu intercâmbio na Colômbia

Existem três opções de programas: Cidadão Global, Talento Global e Empreendedor Global. O primeiro tem como foco conectar os estudantes com oportunidades de trabalho voluntário fora do país; o segundo é voltado a quem deseja trabalho remunerado (estágio internacional), e o terceiro é uma modalidade de estágio internacional em startups. Nos três casos, a busca de vagas, escolha do país e período de permanência é feita pelo estudante por meio de um portal, com o auxílio dos times dos escritórios locais. “Antes de vincular o jovem à AIESEC, o escritório local faz uma reunião de alinhamento de expectativas com cada um. É importante que o estudante esteja buscando o que a AIESEC tem a oferecer e que a AIESEC ofereça uma experiência satisfatória ao estudante”, explica Magnum.

Também é possível se vincular à AIESEC oferecendo suporte para o próprio movimento, que é inteiramente sustentado por voluntários, seja trabalhando em escritórios locais ou recebendo em sua casa um intercambista.

Leia também: Intercâmbio da AIESEC: Brasileiro recém-formado conta como assumiu a diretoria de marketing de uma organização peruana

Veja a seguir uma seção de perguntas e respostas sobre a AIESEC no Brasil:

Como faço para participar?

Os interessados em qualquer um dos programas devem fazer sua inscrição no site da AIESEC. A partir daí, o portal indica para os jovens os contatos do escritório local mais próximo, que trabalhará diretamente na busca pela experiência desejada.

No programa de trabalho remunerado, existem vagas para qualquer área?

Não. No programa Talento Global, as principais vagas são oferecidas nas áreas de gestão, marketing, tecnologia, engenharia e educação. Em geral, é necessário que o estudante tenha concluído 60% do curso universitário, fale inglês em nível avançado e possua alguma experiência profissional na área de interesse. Na área de educação, o candidato pode ter inglês ou espanhol básico, mas é indispensável que já tenha alguma experiência profissional, como aulas particulares ou trabalho voluntário.

Leia também: Intercâmbio profissional pela AIESEC: como foi trabalhar com marketing na Índia

Há algum tipo de processo seletivo?

Sim. A AIESEC coloca o jovem em contato com diferentes empresas (para o Talento Global e o Empreendedor Global) e organizações (para o Voluntário Global), que o entrevistam e fazem a sua seleção, em conjunto com o escritório local de destino. A palavra final é dessas entidades, que estão buscando jovens para as suas vagas.

 

Gabriela Favoreto no seu intercâmbio na Grécia
Gabriela Favoreto no seu intercâmbio na Grécia

Os intercâmbios são pagos?

Os estudantes têm que pagar uma taxa à organização, além de arcar com os gastos com passagens aéreas, vistos e a permanência no país durante o intercâmbio. Ainda assim, o valor é significativamente inferior a um programa de intercâmbio comum, comprado em agências de viagem.

Para os intercâmbios não-remunerados, há o programa Hospede um Intercambista, que oferece para as famílias locais a oportunidade de receber os nossos intercambistas em suas casas, pelo período em que eles estão realizando seus projetos, e é um auxílio para o jovem em termos de acomodação.

Leia também: Como um intercâmbio na Ucrânia abriu as portas para este empreendedor brasileiro

Esse programa também funciona no Brasil, ou seja, se você mora numa cidade onde acontece um projeto da AIESEC, você pode hospedar um dos nossos intercambistas na sua casa, ajudar com a experiência dele e também viver uma experiência incrível.

 

Por Larissa Guimarães

Atualizado em 05/04/19

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d