Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

20.01.15

“Fui admitido no LL.M. E agora?”

"Fui admitido no LL.M. E agora?"

Claudio Rechden, professor da Universidade Georgetown, nos EUA, explica o que considerar na hora de decidir a escola em que irá cursar seu mestrado em Direito

Olá pessoal. Feliz 2015! Vamos avançar então para a próxima etapa: o LL.M. pós admissão. Em particular, o período entre admissão e começo do curso. Vou deixar um pouco de lado a parte mais técnica que falamos para a fase de aplicação, e abordar minha experiência pessoal. Portanto, take it with a grain of salt, como dizem aqui.

Então você foi admitido – parabéns! Após a comemoração, sei que aquela euforia inicial pode virar um pouco de ansiedade, pois agora o sonho ou objetivo virou realidade. Se você embarcar nesta, em um aspecto ou outro, sua vida vai mudar. Seja por questões mais simples como ter uma experiência acadêmica no exterior, passando por grandes novas amizades nos quatro cantos do mundo, até potenciais situações (não raras) de pessoas acharem sua cara metade e/ou virarem expatriados no longo prazo.

Neste processo inicial, há questões mais mundanas, mas igualmente importantes, como a escolha da universidade (se você foi admitido em mais de uma), a escolha do currículo, levantar fundos para custear o curso e um ano morando fora, o que fazer depois do curso etc.

Vamos começar hoje com a escolha da universidade. Quando você chegar neste momento é bem provável que já tenha uma ideia da sua primeira escolha, pois como havia referido nas colunas anteriores, o processo de aplicação serve também como um processo de autoconhecimento profissional e de seus objetivos de longo prazo, incluíndo qual a universidade casa mais com eles.

De qualquer forma, acredito seja interessante dedicar um tempo para pensar na sua escolha, pois a mesma será o ponto de partida para as mudanças de vida que falei acima. Pense que o LL.M. dura um ano, mas as amizades, os contatos feitos, e a experiência de vida durante o ano durarão para sempre.

Há alguns fatores que sugiro a você considerar na sua escolha. Claro, o fator “marca” ou brand name school pesa, mas não deve ser o único (e ouso dizer o principal) fator na sua escolha.

A localização da universidade favorece seus objetivos profissionais? Se você quer achar um emprego  pós LL.M., é mais facil estar em uma cidade grande, como Nova York, Washington, Los Angeles, São Francisco, Chicago, Boston e Miami para fazer networking durante o ano (ir a palestras, happy hours etc.) e também estar prontamente à disposição para entrevistas presenciais. Se você já tem um emprego engatado ou se sua bolsa que requer retorno ao Brasil, por exemplo, a localidade pode não pesar tanto.

Reflita:
> O corpo docente e o currículo são adequados para seus objetivos academicos e/ou profissionais?;
> Os(as) professores(as) são reconhecidos(as) nas áreas que ensinam?;
> Como os(as) professores(as) comparam-se com o corpo docente das mesmas matérias nas outras universidades em que você foi admitido(a)?;
> A reputação do LL.M. na área que você está interessado é a melhor, comparada a dos outros programas em que você foi admitido? Por exemplo, há universidades que possuem LL.M.s reconhecidos em áreas específicas como fiscal, direito internacional, propriedade intelectual, valores mobiliarios, governança corporativa, e que não são top 5 no ranking geral de faculdades de direito nos EUA.

Pense nas suas oportunidades de networking durante e após  o curso. Qual a base de alumni (ex-alunos)? Por exemplo, se você está interessado em algum emprego ou escritório específico, onde os sócios estudaram? Quão internacional é a base de alumni? Qual o tamanho do programa, em termos de alunos, e a integração entre LL.M. e JD (bacharelandos em direito) no currículo?

Todas estas informações você pode checar na internet. As universidades americanas prezam e mantém contato constante com seus ex-alunos, e há tambem uma conexão e base de networking entre ex-alunos de uma mesma universidade, o que sempre ajuda em um contato inicial para uma oportunidade ou entrevista (é mais dificil um ex-aluno ignorar um contato de outro ex-aluno).

Enfim, nome é importante, mas não é tudo.

Obrigado pelo apoio à coluna! Até a próxima.

Entenda as estapas do processo de admissão ao LL.M:
> Primeiro passo do processo de admissão ao LL.M.
> Preparação do currículo
> Como fazer o seu personal statement
> Como devem ser as cartas de recomendação 

_____________________________________________________________________

Claudio Rechden – Colunista sobre a experiência de cursar um L.L.M nos EUA 

Claudio

Claudio Rechden cursou direito na PUC do Rio Grande do Sul e fez mestrado na mesma área  (o chamado LL.M.) na Universidade Georgetown, nos Estados Unidos. Desde 2000,  trabalha no International Finance Corporation, em Washington, dando suporte legal em reestruturações financeiras e novos investimentos. Ele já deu aulas em Stanford e hoje se dedica à formação de bacharelandos e mestrandos como professor adjunto em Georgetown. Com suas colunas, espera ajudar a atrair talentos brasileiros para as melhores faculdades de Direito dos EUA.

Leia todas as colunas do Claudio Rechden

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

estagiários da Microsoft comemorando
impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT