Um Projeto: Fundação Estudar
Merlí influencia jovens a estudar filosofia no exterior

Gosta de Merlí? Saiba onde (e por quê) estudar Filosofia no exterior

Por Marcela Marcos
01.10.2018

Por relacionar filósofos clássicos com o dia a dia de adolescentes, a série catalã Merlí contribui para aumentar o interesse na disciplina. Saiba onde (e por quê) estudar Filosofia no exterior


Não é novidade que as produções audiovisuais estrangeiras podem contribuir para o aprendizado de um novo idioma. Mas em alguns casos, elas também podem nos ensinar muito sobre o tema de que tratam, em si.

É o caso da série espanhola Merlí, disponível em três temporadas na Netflix. Por lá, é possível ter mais contato com a língua catalã e, principalmente, aprender sobre Filosofia com leveza. Isso porque, ao mostrar o dia a dia do professor de ensino médio Merlí Bergeron (Francesc Orella) e a maneira não-convencional como ele aproxima a Filosofia do cotidiano de seus alunos, o espectador é levado a refletir sobre como as ideias dos principais filósofos da Humanidade se relacionam com dramas cotidianos de adolescentes, como o suicídio, a relação por vezes complicada com a família e iniciação sexual.

Onde estudar filosofia no exterior

Além do estímulo ao pensamento livre, a “filosofia descomplicada” de Merlí pode também servir para gerar interesse em estudos do tipo em instituições reconhecidas internacionalmente. E não faltam oportunidades lá fora: já falamos, por exemplo, da universidade Paris-Sorbonne, em que o curso de Filosofia é um dos mais tradicionais, e também da possibilidade de obter bolsa de mestrado e doutorado para estudar na Universidade de Adelaide, na Austrália.  Também já abordamos o curso de extensão em Filosofia na Universidade de Columbia, nos EUA.

Por que estudar filosofia?

Antes de se planejar para estudar filosofia no exterior, quer saber mais sobre Merlí e sobre curso de Filosofia? Acompanhe a entrevista que fizemos com o professor de Filosofia do Colégio Agostiniano São José, Diego Ferracini Ferreira:

1) De que forma a série Merlí contribui para o ensino de Filosofia? Mais ainda, para o incentivo a jovens que queiram ser filósofos(as)?

É possível dizer que seu sucesso se deve ao modo descontraído e afetivo com que os assuntos são tratados. A série sai do local comum dos clichês e desenvolve uma narrativa extremamente interessante e envolvente. Apresenta as personagens sem um estereótipo previsível e consegue abordar temas sensíveis ao mundo contemporâneo de forma leve e ao mesmo tempo filosófica.

2) Poderia indicar algumas instituições para cursar Filosofia fora do país?

Algumas instituições se destacam por sua tradição filosófica, como a École des Hautes Études em Paris, ou Cambridge, na Inglaterra. Grande parte dos atuais docentes em instituições públicas ou privadas brasileiras possui em seu currículo alguma forma de atuação nessas universidades estrangeiras.

3) Quais as possibilidades de atuação mediante formação em Filosofia?

A Filosofia consiste em um saber humano que, contrariando a corrente comum e prática do momento atual, não deve ser buscada por sua atratividade financeira. O saber filosófico é por demais exigente e comprometedor para que seja somente buscado para fins econômicos. O estudo deve ser buscado por ele próprio e, nessa busca, múltiplas possibilidades surgem. A pessoa realmente interessada pela Filosofia poderá descobrir atividades tanto no ensino como em outros ramos onde conseguirá agir de modo eficaz e receber um retorno financeiro por isso. Filosofia não é uma profissão, mas um modo de observar e pensar.

4) De que maneira o exercício do pensamento crítico contribui para a vida cotidiana?

Pensar criticamente em Filosofia é um assunto extenso. O próprio conceito de”crítica” que nasce na Filosofia poderia exigir uma longa explicação. Contudo, ao falar em “exercício do pensamento” também estamos em um campo nitidamente filosófico, ou seja, toda esta pergunta envolve o porquê e o para quê da Filosofia.

Pretender uma filosofia que responda ao mundo cotidiano ou prático, simplesmente, é um dos grandes dilemas que a cultura contemporânea lança sobre os ombros dessa senhora idosa. A Filosofia é prática por não ser útil. É necessária por ser, aparentemente, banal. Discutir filosofia, ler um livro, assistir um filme podem mudar nossos horizontes. Filosofia é ousadia de pensar em uma sociedade altamente preocupada em fazer.

 

Foto: Divulgação | Netflix

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d