Inicio Dia das Bruxas: conheça 6 histórias de universidades mal-assombradas

Dia das Bruxas: conheça 6 histórias de universidades mal-assombradas

0
Dia das Bruxas: conheça 6 histórias de universidades mal-assombradas

Quando falamos de universidade, é comum que associemos os espaços à produção e compartilhamento de ciência e conhecimento. Fantasmas e histórias sobrenaturais não costumam ter relação com as instituições de ensino superior. Mas para o Dia das Bruxas deste ano, descobrimos seis universidades mal-assombradas  que têm histórias horripilantes de fenômentos paranormais em suas salas.

Algumas delas foram palco de cenas terríveis no passado; outras passaram por eventos que até hoje continuam misteriosos. Em todos os casos, mostramos os dados da história das universidades mal-assombradas e alguns dos relatos que aparecem sobre elas. Confira:

6 universidades mal-assombradas

Gettysburg College

A Gettysburg College, no estado da Pensilvânia, está localizada bem ao lado do local onde ocorreu uma das maiores batalhas da Guerra de Secessão dos Estados Unidos. Ao menos 8.000 soldados morreram no conflito, e o número total de vítimas (contando feridos, capturados e desaparecidos) é de mais de 50 mil.

Como se não bastasse, o edifício mais antigo do campus, o Penn hall, serviu de hospital e necrotério para soldados feridos na luta. Por isso, segundo uma matéria publicada no jornal da universidade, todos os estudantes e professores que passaram pela escola têm uma história envolvendo fantasmas ou ocorrências sobrenaturais.

Os relatos vão desde ouvir passos em salas vazias e ver fantasmas até o caso de dois administradores que, na década de 80, contam ter descido de elevador até o porão do Penn Hall e por um momento terem tido uma visão com pacientes ensanguentados e médicos.

University of Toronto

Além de ser uma das melhores universidades do Canadá, a universidade de Toronto também foi palco de uma história horripilante: a da “Lady of Christie Mansion”, o fantasma de uma mulher que supostamente vive em um dos edifícios do campus da escola.

O site da universidade conta que a Mansão Christie recebeu seu nome por causa de William Mellis Christie, um magnata da indústria alimentícia do Canadá que viveu nela. Após seu falecimento, a mansão ficou apra seu filho, Robert Christie. Robert tinha uma amante, e supostamente mantinha-a vivendo na mesma casa que sua esposa, mas em uma sala escondida, sem janelas, acessada apenas por uma passagem secreta na biblioteca.

De acordo com a história, Robert passou a visitar sua amante com frequência cada vez menor. Ela, que não podia sair de lá, foi ficando deprimida até que finalmente teria se suicidado, enforcando-se com os lençóis da cama do quarto. Conta-se que o fantasma dela ainda assombra a mansão.

Leia também: 5 cursos universitários para quem gosta de assombrações

Smith College

O Smith College é uma das maiores e melhores faculdades voltadas apenas para mulheres nos Estados Unidos, e conta a poeta Sylvia Plath como uma de suas ex-alunas. Criada em 1871, ela já tem uma longa história – que inclui também acidentes, assassinatos e mortes misteriosas. Há bastante especulação sobre esses eventos, tanto que a própria universidade tem uma página dedicada às principais histórias fantasmagóricas de seus corredores.

Entre os relatos, há a história do fantasma de uma mãe que assassinou o próprio filho em um dos prédios da universidade (que, antes de ser uma escola, era uma pensão), e que às vezes pode ser ouvido junto com o choro de um bebê. Há histórias também de um senhor idoso que morreu ao esquecr o gás ligado, e de uma criança que morreu trancada no sótão.

Universidade de Heidelberg

A história da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, é manchada por um período grotesco. De 1933 a 1945, a instituição de ensino superior foi dominada pelo partido nazista da Alemanha. Inúmeros alunos foram perseguidos e expulsos pelos nazifascistas, e pelo menos 20 professores foram expulsos por motivos políticos ou raciais.

Muitos dos livros das bibliotecas foram queimados pelo partido por seu conteúdo ser considerado subversivo. Além disso, a clínica cirúrgica e o hospital ginecológico da universidade foram usados para a realização de esterilizações forçadas nas vítimas das perseguições nazistas — segundo a própria página da universidade.

Alguns indícios dessa época permancem, segundo relatos dos estudantes. Os fenômenos paranormais relatados incluem ouvir o choro de mulheres em corredores vazios, e sentir cheiro de fumaça em algumas das salas onde livros proibidos foram queimados.

Ohio University

A Ohio University foi construída no começo do século 19 em um local que fica entre cinco cemitérios. Esses cemitérios formam um pentagrama em cujo centro está o Wilson Hall, um dos edifícios da universidade dedicados a alojaentos estudantis. E nele, há um quarto que nunca é designado a nenhum estudante. Trata-se do quarto 428, que é frequentemente citado como palco de eventos sobrenaturais.

Os relatos vêm de diversas fontes, incluindo estudantes que moram em dormitórios adjacentes contando que ouvem sons vindos do quarto, ou que objetos colocados em prateleiras na parede oposta ao quarto caem com frequência ao chão.

Leia também: Como são as celebrações de Halloween nas universidades dos EUA

Universidade de Nagasaki

A idade de Nagasaki ainda tem seu nome associado a uma das maiores tragédias da história. A bomba atômica jogada pelo exército dos Estados Unidos sobre a cidade em 9 de agosto de 1945 provocou cerca de 70 mil mortes imediatas, além de milhares de outras relacionadas à destruição subsequente e aos efeitos da radiação no local. E a Faculdade de Medicina da Universidade de Nagasaki estava localizada a menos de um quilômetro do epicentro da explosão. Cerca de 800 professores e estudantes morreram na hora.

Mas a instituição de ensino, segundo o QS Top Universities, foi reconstruída e ainda hoje faz parte da Universidade de Nagasaki. Mas assim como diversos outros pontos da cidade, ela ainda é palco de eventos paranormais. Relatos de aluno falam de figuras fantasmagóricas andando pelos corredores, e de um cheiro de carne queimada que ainda perdura em algumas salas.

Você também conhece relatos de universidades mal-assombradas? Tem algum caso onde você estudou? Conte para nós!

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia