Um Projeto: Fundação Estudar
Países para estudar fora

Saiba que outros destinos (além dos EUA) estão atraindo estudantes internacionais

Por Marcela Marcos
30.11.2018

Os Estados Unidos ainda concentram o maior número de alunos estrangeiros, mas outros países vêm ganhando força. Saiba quais são e por que isso acontece.


Os dados do mais recente relatório Open Doors (do Institute of International Education) revelam que, embora o número de estudantes internacionais matriculados em universidades dos Estados Unidos ultrapasse um milhão, a curva de crescimento de alunos estrangeiros no país é a menor em mais de uma década. No ano letivo de 2017-2018, o aumento da população de fora estudando nos EUA foi de 1,5%, mas esse percentual já foi de 10%.

Quais fatores estariam por trás dessa diminuição? E que outros destinos ao redor do mundo têm atraído interessados em uma experiência de estudos fora?

Razões para queda no total de alunos de fora nos EUA

De acordo com especialistas consultados pelo portal US News, o principal fator por trás da queda no número de alunos estrangeiros em instituições americanas é a alta nos custos do ensino superior estadunidense. Há quem esteja preocupado também com as questões políticas envolvendo os EUA, em torno da figura do presidente Donald Trump. As restrições do líder republicano a muçulmanos seriam um exemplo dessa preocupação.

Além disso, também a segurança (por receio do próprio clima político e de episódios como tiroteios em massa) é uma das razões apontadas pelos analistas para a retração mostrada na pesquisa Open Doors.

China, Índia, Coreia do Sul, Arábia Saudita e Canadá continuam sendo os principais remetentes de alunos aos EUA, mas as três últimas nações, mesmo ainda figurando no topo da lista, enviaram menos alunos no ano letivo 2017-2018, comparado ao período anterior. As quedas foram de 7%, 15,5% e 4,3% respectivamente.

Não perca:
Evento sobre o preparatório gratuito da Fundação Estudar!

Campanha #YouAreWelcomeHere USA

Como forma de tranquilizar quem vem de fora, diversas universidades americanas – inclusive Harvard – se juntaram à campanha online #YouAreWelcomeHere, dando vida à hashtag com oportunidades de bolsas de estudos.

“Universidades na Europa oferecem graduação em inglês e muitas a um custo significativamente mais acessível do que nos EUA”, disse ao US News a diretora assistente de serviços internacionais estudantis e estudantis na Central Washington University, Stacy Soderstrom.

Outra comparação possível – e que coloca os EUA em desvantagem – é o Canadá, que tem atraído cada vez mais estudantes devido às facilidades em relação ao visto.

Top 5 destinos dos brasileiros para estudar fora

Ainda de acordo com o portal de notícias, países como a Coreia do Sul, Austrália, Malásia e o Cingapura têm tido aumento no número de estudantes internacionais interessados em suas instituições de ensino.

Uma pesquisa já havia demonstrado, em abril de 2018, que os Estados Unidos não são a primeira opção dos brasileiros para estudar no exterior (embora o Brasil esteja entre os 10 países que mais enviam alunos aos EUA). No top 5 dos destinos preferidos de estudantes daqui está o Canadá, seguindo, aí sim, pelos EUA e logo depois por Reino Unido, Austrália e Irlanda. Ainda assim, a Terra do Tio Sam ainda é a mais buscada por alunos estrangeiros em geral.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d