Inicio Application na China: saiba como funciona a candidatura para uma universidade chinesa

Application na China: saiba como funciona a candidatura para uma universidade chinesa

0
Application na China: saiba como funciona a candidatura para uma universidade chinesa

Paraíso tecnológico, economia em ascensão e constantes parcerias de governo com outros países para aumentar o contingente de alunos internacionais são alguns dos motivos para considerar escolher a China como destino se você quer estudar fora. 

Outras razões para fazer intercâmbio em território chinês não faltam, mas, afinal, como fazer para se candidatar? O que costuma ser exigido? Precisa saber mandarim? É necessário pontuar bem em testes padronizados, como nos EUA? Para sanar estas e outras dúvidas, o Estudar Fora reuniu as principais características de application para universidades chinesas. Confira!

Leia mais: Intercâmbio na China, conheça o ensino da principal economia em ascensão do mundo

Orientações gerais para estudantes internacionais na China

O primeiro passo ao se preparar para uma candidatura em uma universidade da China é conhecer as formas de admissão. A principal delas é por meio do site da instituição de interesse, a partir de algum programa de bolsas para estudantes internacionais – há constantes parcerias com faculdades brasileiras, por exemplo.

Em geral, é necessário preencher um formulário e encaminhar a documentação, e os escritórios de admissão costumam considerar o histórico escolar e o desempenho do aluno em temas específicos da formação escolhida.

Para quem mora na China, no entanto, o acesso às instituições é baseado no Gaokao, que é o Exame Nacional do Ensino Superior (e qualquer semelhança com o Enem brasileiro não é mera coincidência). De acordo com o Ministério da Educação brasileiro, o vestibular chinês é o maior do mundo – o Enem vem logo na sequência. Diferentemente da avaliação brasileira, que pode ser prestada várias vezes, o Gaokao é uma única chance. As matérias de literatura, matemática e língua estrangeira são obrigatórias. O processo unificado de seleção distribui os alunos entre as universidades disponíveis a partir de suas classificações.

Já com relação ao ano letivo na China, o período é dividido em dois semestres, sendo que o primeiro começa em setembro e o segundo, em março (com férias de verão entre julho e agosto e as de inverno, em janeiro e fevereiro, como é característico do hemisfério norte).

# Requisitos de idioma para estudar no país asiático

Para ser aceito em uma instituição de ensino superior chinesa é necessário ter proficiência em inglês (com base em certificados como TOEFL ou IELTS) ou mandarim – idioma oficial do país asiático -, atestado pelo HSK (Hanyu Shuiping Kaoshi). A segunda opção vale para os cursos de língua local. 

Algumas universidades têm formações bilíngues, como é o caso da Tsinghua University, mas também há opções para quem pretende aprender a língua chinesa – na Universidade de Pequim, por exemplo, os alunos podem aprender chinês em um programa de estudos do idioma, oferecido pela instituição.

Documentação exigida ao aplicar para universidades chinesas

Normalmente, os documentos exigidos na application (que variam conforme a universidade) são:

# Documentos pessoais

  • Cópia do passaporte
  • Cópia do visto
  • Documento de identificação
  • Certificado de saúde
  • Certificado de ausência de antecedentes criminais

# Documentos acadêmicos

  • Certificado de conclusão do ensino médio, graduação ou mestrado
  • Certificado de proficiência em inglês/ chinês
  • Declaração de responsabilidade (assinada pelos responsáveis legais do estudante, comprometendo-se a cumprir as regras do programa/instituição)
  • Transcript (que, no Brasil, equivale ao Histórico Escolar)
  • Cartas de recomendação

Saiba como aplicar para as duas principais universidades chinesas!

Tsinghua: Processo de admissão da melhor universidade da China

A Tsinghua encabeça os rankings que pesquisam as mais prestigiadas instituições de ensino superior do país asiático, despontando em primeiro lugar no THE 2020. A universidade sediada em Pequim também faz parte da C9, uma aliança entre as nove principais da China continental, que é uma espécie de “Ivy League” chinesa.

Os programas de graduação da Tsinghua University são de quatro anos de estudo em tempo integral (exceto para os de arquitetura na Divisão de Arquitetura e escultura na Divisão de Artes, que exigem cinco anos) e são ministrados em chinês e inglês. 

São 15 divisões abertas a estudantes internacionais, e o application é feito por meio de um formulário

A instituição oferece programas de bolsas como o Tsinghua University Scholarships para o qual, em geral, é necessário preencher um personal statement (cujo modelo é fornecido pela universidade) e apresentar o diploma, o histórico escolar e duas cartas de recomendação, entre outros documentos, no caso de graduação. Os candidatos aos programas de pós-graduação devem ter o diploma de bacharel (no caso do mestrado) ou de mestrado (para o doutorado) ou um grau equivalente na China – e precisam enviar um personal statement com uma breve introdução de seu projeto de pesquisa e histórico escolar. Também é necessário enviar duas cartas de recomendação.

Peking: Application para a “Harvard chinesa”

Uma vantagem sobre a igualmente reconhecida Universidade de Pequim – apelidada de “Harvard Chinesa” – para quem deseja estudar na China é que um estudante estrangeiro que queira ingressar na instituição por um semestre ou ano, mas que não pretenda concluir uma formação acadêmica completa pode ser admitido como visitante geral. 

Assim como para a Tsinghua, o processo de candidatura é todo online, começando com o preenchimento do formulário de inscrição – sendo que os candidatos a estudos de língua chinesa devem marcar a opção “escola de chinês como segunda língua” ao preencher o plano de estudo online. A documentação exigida é basicamente a mesma: diploma, histórico acadêmico oficial (ou cópia autenticada), carta de motivação, cartas de recomendação (escritas por professores ou pessoas com titulação acadêmica relevante), certificado de proficiência e documentação pessoal. 

No caso da admissão no semestre de outono, a inscrição começa em 1º de março e termina em 30 de abril. Já para o período da primavera, é necessário se candidatar entre os dias 1º e 30 de novembro.

Leia mais: Conheça 3 brasileiros aprovados para bolsas integrais na China

Application para universidades chinesas x americanas: semelhanças e diferenças

A documentação exigida para ingressar em uma universidade chinesa não difere muito das exigências de uma instituição de ensino superior dos Estados Unidos, exceto por duas razões: o SAT para alunos internacionais e a maneira como a formação di candidato é enxergada nos escritórios de admissão nos diferentes países.

Leia também: Conheça 3 brasileiros aprovados para bolsas integrais na China (e saiba como conseguir também!)

Os EUA se baseiam em uma abordagem holística, em que a pontuação no GPA, SAT e ACT (que são as provas padronizadas das universidades americanas)  é uma parte de todo o processo, que também envolve avaliação acadêmica rigorosa que considera, inclusive, atividades extracurriculares e experiências de trabalho voluntário. O objetivo é selecionar os maiores talentos no contexo mundial – o que se refere não apenas a estudantes notáveis academicamente, como líderes em potencial.

Já no caso da China, o Gaokao/Exame Nacional é prestado por estudantes chineses, sendo a pontuação a única forma de ingresso dos alunos no ensino superior, enquanto os estudantes estrangeiros passam por um processo de seleção que alguns podem até considerar relativamente mais simples. Mas uma coisa é fato: tanto em universidades chinesas quanto nas norte-americanas, uma vez aprovados, os alunos terão uma intensa carga de estudos e formação de excelência. 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia