Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

20.03.15

Vantagens de cursar MBA na China

Vantagens de cursar MBA na China

"Há muita inovação por aqui. Além de típicos modelos de negócios, estudamos empresas que podem ser as maiores do mundo daqui alguns anos", diz Beleza Chang

Muita gente pensa que os Estados Unidos e a Europa, onde estão os clássicos modelos de negócios e inovação e professores com prêmios Nobel, são os únicos lugares do mundo onde valem a pena cursar um MBA.

A China é um excelente lugar para se inspirar, aprender, criar e, quem sabe, até transferir o que você vir aqui de volta ao Brasil

Os rankings não negam a excelência das faculdades norte-americanas e europeias e, apesar da crise dos últimos tempos, a economia desses países está crescendo novamente. Mas também não dá para negar que há revoluções acontecendo em outros lugares do mundo.

A China, por exemplo, prevê crescer 7% em 2015 – e muitos estão assustados porque a previsão era para um crescimento ainda maior. Enquanto isso, o Brasil vai crescer menos de 1%. A China está longe de ser um país perfeito, mas oferece diversas possibilidades de estudo e crescimento. A seguir, destaco algumas vantagens de estudar por aqui:

Novas ideias em todo lugar: a China antiga foi o lugar onde foram inventados desde dinheiro até o ketchup. A China continua produzindo muito para o mundo (seu custo de produção é um dos mais baratos), mas ela tem começado a criar muita coisa, especialmente em termos de apps e tecnologias. Por exemplo, aqui não usamos nem Whatsapp nem Facebook; usamos WeChat, que é uma combinação desses dois aplicativos mais Instagram, Skype e Tinder, com muitas outras funções. Com o WeChat, você pode mandar, ao invés de um simples emoji, um super GIF que expressa muito melhor o que você quer dizer. Também é possível realizar pagamentos de uma forma segura por meio dessa ferramenta e acessá-la através do seu computador. Você também pode assinar algumas contas (quase o equivalente a curtir uma página de uma empresa no Facebook) e receber notícias diárias, semanais ou mensais.

Um dos meus colegas adora receber o menu da semana de um restaurante tailandês perto do apartamento dele. Eu achei isso um marketing excelente! E esta é só uma pequena fatia do que é inovação aqui na China. Aqui é um excelente lugar para se inspirar, aprender, criar e, quem sabe, até transferir o que você vir aqui de volta ao Brasil.

Estar aqui é ver o que o futuro nos guarda!

Cases de estudo um tanto inusitados: além dos típicos modelos de negócios da Apple, Google e Amazon, nas minhas aulas de MBA falamos do Alibaba, Lenovo, Xiaomi, Baidu, novas empresas que estão crescendo muito rápido e que irão influenciar como os negócios são conduzidos no mundo à medida que essas empresas se estabelecem fora da China. Aprendemos e discutimos quem serão as grandes empresas daqui a dez ou vinte anos. Às vezes, eu paro e penso que daqui a alguns anos pode ser que essa empresa chinesa seja uma das mais poderosas do mundo. Estar aqui é ver o que o futuro nos guarda!

Mais diversidade que eu esperava: eu já morei em São Francisco, que é considerado o caldeirão cultural dos EUA, mas aqui em Pequim conheço tantos estrangeiros que dá para quase colorir o mapa mundi inteiro. Só no meu apartamento tem eu que sou brasileira, formada nos EUA, um coreano que cresceu e estuda na Suíça, uma alemã que cresceu e estuda na Inglaterra e uma chinesa. De vizinhos tenho duas americanas, uma inglesa e outra chinesa. De amigos do MBA, tenho um indiano, um francês e um coreano.

Eu moro em um bairro cheio de faculdades e em uma dessas escolas há vários africanos aprendendo mandarim. A minoria são latinos, mas já conheci mexicanos, equadorianos, argentinos. Tem gente que veio para ficar seis meses e já está para completar o terceiro ano aqui, tem gente que começou trabalhando como professor de inglês e hoje quer abrir a pórpia empresa. Do mesmo jeito que existe diversidade nos EUA e na Europa, existe na China.

Estágio em uma empresa que está na China: nesses seis meses em que estou na China, cheguei a conhecer três empresas com modelos de trabalhos diferentes. Uma faculdade, uma startup e uma multinacional. A faculdade tem que lidar com várias questões políticas bem particulares, a startup com adaptação do seu modelo de negócios para conseguir vender internacionalmente, e a multinacional está se moldando para se adaptar ao país, mas sem perder sua cultura corporativa. Ter uma experiência internacional no currículo é sempre positivo, mas em um país tão diferente como a China, isso também mostra que você terá uma perspectiva bem diferente para agregar a qualquer outra empresa que você for trabalhar no futuro.

Como fazer negócios na China: tive duas aulas no meu MBA completamente voltadas a alunos internacionais e nossa necessidade de aprender como fazer negócios na China. Nessas aulas, aprendemos sobre cultura, história e atualidades. Aqui na China, muitos negócios são feitos através da sua rede de relacionamentos, o tal do guanxi, e muitas empresas sofrem para entender o que é isso, o que dificulta seu sucesso na China. A intenção do MBA é permitir que os alunos internacionais tenham conhecimento suficiente para mediar o contato entre a empresa onde estejamos trabalhando no futuro com o contato aqui na China.

Eu vejo a China como um lugar para aprender sobre novos modelos de negócio, se inspirar e inovar. Nas empresas onde estou, às vezes explico como as coisas são feitas no Brasil ou nos EUA e o pessoal fica espantado porque ninguém nunca tinha pensado de tal maneira. Do mesmo jeito podem ficar os outros quando ficam sabendo do jeito chinês de trabalhar. Com o modelo chinês crescendo e se aprimorando, talvez seja uma boa hora para estudar no país.

_____________________________________________________________________

Beleza Chang editadoBeleza Chan (sim, o nome dela é Beleza, mas ela prefere ser chamada de Bel!) é formada em Sociologia pela Universidade da California – Berkeley, e atualmente mora na China. Lá, cursa MBA na Universidade de Pequim, estuda mandarim, e estagia nas áreas de marketing internacional e recrutamento de talentos. Ela já tabalhou na área de educação nos EUA e no Brasil. É paulistana, mas já passou um terço de sua vida fora do país. Sempre que possível, viaja para destinos inusitados como Patagônia (Argentina), Cabo Norte (Noruega) ou Angkor Wat (Camboja). Ao contar sua experiência na China, espera que mais brasileiros considerem o país como opção para seus estudos. Saiba mais sobre o MBA na Universidade de Pequim. Acesse aqui a página do curso no Facebook.

Leia também:
Já pensou em fazer um MBA na China? Comece a considerar a possibilidade!
China domina ranking de melhores universidades em países emergentes
Os 100 melhores MBAs do mundo

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas