Inicio Vale a pena fazer um curso intensivo de inglês nas férias? Confira pontos positivos e negativos

Vale a pena fazer um curso intensivo de inglês nas férias? Confira pontos positivos e negativos

0
Vale a pena fazer um curso intensivo de inglês nas férias? Confira pontos positivos e negativos

Para quem pensa em estudar fora e pretende aproveitar as férias para colocar em dia os estudos, uma opção interessante é fazer um curso intensivo de inglês. A língua, afinal, é  indispensável para quem busca uma graduação ou pós-graduação no exterior. E se você vai fazer exames como IELTS ou TOEFL, o curso pode te ajudar a se preparar!

Embora o curso intensivo de inglês nas férias seja uma boa maneira de aproveitar o tempo, ele também pode ter alguns aspectos negativos. E, por isso, é importante ter em mente as vantagens e desvantagens desse tipo de curso para decidir se ele é a melhor escolha para você.

 

 

Para te ajudar nessa decisão, vamos falar um pouco sobre cursos intensivos de inglês a seguir, e listar alguns dos principais prós e contras de cursos desse tipo. Confira:

O que é um curso intensivo de inglês

Cursos intensivos de qualquer idioma envolvem uma dedicação grande em um período de tempo relativamente curto. Como o estudante consegue se dedicar ao estudo do idioma por mais tempo, por estar de férias, a escola consegue oferecer mais conteúdo em menos tempo.

Em alguns casos, o aluno acaba tendo acesso a toda a matéria de um semestre de estudos regulares em apenas um mês. Isso é possível porque em vez de ir à escola de idiomas duas ou três vezes por semana, ele vai todos os dias — e às vezes fica lá em tempo integral.

Evidentemente, cursos desse tipo permitem que o estudante avance muito mais rapidamente no seu aprendizado da língua. Por outro lado, são também muito mais exigentes com os recursos do aluno, e por isso exigem que ele esteja preparado para arcar com essas demandas.

Pontos positivos de fazer um intensivo de inglês nas férias

Aprendizado rápido

Com um curso intensivo de inglês nas férias, você consegue avançar muito mais rapidamente nos estudos. Em um mês, você acaba concluíndo todos os estudos que seriam feitos ao longo de um semestre inteiro, o que é extremamente interessante para quem quer aprender muito em pouco tempo.

Isso é particularmente relevante quando se pensa no longo prazo. Um aluno que comece a estudar em 2020 e faça cursos intensivos de inglês tanto nas férias de janeiro quanto na de julho concluirá duas vezes mais módulos do estudo do idioma do que um aluno que comece no mesmo ano e não aproveite as férias.

Exposição contínua

Quem já estudou outro idioma deve conhecer a sensação: ao chegar na aula e revisar o conteúdo da aula anterior, parece que faz anos que você viu aquela matérias. Isso em geral acontece porque a distância entre uma aula e outra é grande, mesmo em cursos regulares. E num curso intensivo, no qual o aluno estuda todo dia, isso não acontece.

Para aprender uma língua estrangeira, isso é essencial. O próprio CEO do Duolingo já revelou que o segredo para aprender idiomas estrangeiros é muito mais a dedicação contínua do que estudar por muitas horas apenas de vez em quando. Cursos intensivos, portanto, oferecem um esquema de aprendizado mais interessante nesse sentido.

Ambiente diferente

Quem vai fazer um curso intensivo de inglês sabe que vai precisar se dedicar bastante ao longo de um período de tempo mais curto, e em geral tem algum objetivo claro para fazer esse esforço. Estar em uma sala de aula com outras pessoas que pensam dessa mesma maneira também faz bastante diferença.

Em alguns casos, as turmas também são menores do que nos cursos regulares, o que é muito vantajoso. Assim, o professor consegue dar mais atenção para cada estudante, o que ajuda especialmente na parte de fala e pronúncia. Se você tem dificuldades nessas áreas, essa vantagem pode ser bem importante!

Pontos negativos

Investimento alto

Num curso intensivo de férias, você estuda em um mês a matéria de um semestre inteiro… e você precisa pagar por isso. Você até consegue parcelar o valor do curso e ir pagando ao longo dos meses seguintes, mas se você pretende continuar estudando, então vai acabar pagando a mais nos meses seguintes.

Por isso, é importante se atentar a esse custo adicional antes de se matricular num intensivo de inglês nas férias. Pesquise também sobre outras despesas que você pode ter, como gastos com material didático (que às vezes não estão incluídos nos custos do curso).

Dedicação intensa

Estudar um idioma por várias horas todos os dias é excelente para aprender, mas também pode ser muito desgastante. É essencial ter isso em mente, porque os cursos de férias também costumam ter requisitos mínimos de notas e de presença para aprovação: ou seja, você vai precisar se dedicar bastante.

Nesse ponto, o autoconhecimento é bem importante: conheça os seus limites e respeite-os. Se não estiver disposto a investir boa parte de seu tempo ao aprendizado de um idioma ao longo de algumas semanas ou um mês, essa modalidade de estudos pode não ser a mais indicada para você.

Cadê minhas férias?

Se você costuma usar as férias para descansar e colocar o sono em dia, é importante estar consciente de que você dificilmente conseguirá fazer isso se estiver matriculado em um intensivo de inglês durante esse período. Muito provavelmente você ainda precisará acordar cedo e se esforçar bastante por causa do curso.

Vale a pena, portanto, avaliar como você está se sentindo com relação a isso. Se você sente que consegue investir esse tempo para estudar, vá em frente; se não, pode ser mais vantajoso aproveitar as férias para relaxar e voltar revigorado aos estudos no semestre seguinte.

 

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia