Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

17.12.15

O MBA no exterior além da sala de aula

O MBA no exterior além da sala de aula

Especialistas falam sobre as diversas experiências que fazem do MBA no exterior um período de intensa transformação pessoal e profissional!

Por Francine Zucco e Daiana Stolf, da TOP MBA

O dia começa com um workshop de carreira, seguido de uma aula sobre estratégias de investimento. Às 13h, almoço com colegas de classe e discussão preparatória para a aula de marketing. No final da tarde, aula de finanças corporativas, evento de recrutamento de empresas de consultoria às 18h e, depois, encontro no Clube de Mergulho. Nada mau para mais um dia de estudos, não é? A experiência de um programa de MBA vai muito além da estrutura curricular com os módulos obrigatórios e eletivos. Entenda a seguir como você pode desenvolver suas habilidades de liderança além da sala de aula (e se divertir fazendo isso):

Em uma comunidade multicultural de colegas e professores com uma diversidade de valores, competências e conhecimentos, a experiência do MBA é um período intenso de transformação pessoal e profissional. As escolas são hubs intelectuais em que você tem acesso à pesquisa de altíssima qualidade e aos melhores recursos disponíveis: além das aulas, há inúmeros clubes estudantis, sessões de aprendizagem em grupo, eventos sociais e de carreira. A participação em atividades extracurriculares e o fortalecimento do networking oferecem oportunidades ainda mais inspiradoras para se desenvolver e ganhar uma perspectiva global.

O ambiente acadêmico em uma escola internacional inerentemente apresenta um caráter multicultural, mas a experiência do MBA vai muito além. Em Stanford, por exemplo, é possível participar do Global Management Immersion Experience, um programa de trabalho em outros países com duração de quatro semanas durante as férias de verão para vivenciar culturas e ambientes profissionais diversos. A escola também oferece viagens de estudo para o exterior (Global Study Trips), com acesso a líderes de vários setores, e oportunidades para se conectar à inovação social nas áreas de educação, saúde e sustentabilidade através de projetos de curta duração (Social Innovation Study Trips). Já a INSEAD, na França, com o mote “work hard, play hard”, tem três campi integrados na Europa, Ásia e Oriente Médio, proporcionando uma experiência multicultural ainda mais intensa.

Os famosos clubes estudantis também constituem uma excelente opção para desenvolver competências, praticar hobbies e interesses pessoais, expandir a rede de contatos ou simplesmente se divertir. Os clubes são organizados pelos próprios alunos, e escolas como Stanford e Harvard oferecem mais de 70 opções – desde rugby, gastronomia e aventura outdoor até Venture Capital e Family Business. É possível também participar ativamente das associações estudantis e refinar habilidades de liderança e visão organizacional. Seja qual for a opção, as relações profissionais e amizades feitas tendem a ser duradouras.

Eventos são também excelentes meios de networking e capacitação, desde os sociais como degustação de vinhos e networking drinks, até aqueles mais formais como conferências e palestras com convidados renomados. A Rotman (escola de negócios da Universidade de Toronto), por exemplo, promove competições de cases que permitem aos alunos mostrarem seus talentos a experts da indústria e potenciais empregadores.

Outras iniciativas, como o Leadership Venture de Wharton (escola de negócios da Universidade da Pensilvânia), podem ser naturalmente transformadoras. Neste programa, você é desafiado a encarar expedições para lugares como o Deserto do Atacama ou a escalar uma montanha na Ásia. Experiências em grupo como essas possibilitam que você identifique na prática o seu estilo de liderança, senso de equipe e forma de lidar com adversidades. Neste sentido, maneiras menos ortodoxas de vivenciar um MBA fora da sala de aula podem contribuir fortemente para a sua indispensável jornada de autoconhecimento.

E não se esqueça de citar os seus interesses extracurriculares no application (candidatura)! As escolas certamente querem saber como você pretende se engajar com a comunidade. Elas oferecem todo o apoio e recursos para você buscar e traçar suas próprias experiências. Você será desafiado diariamente a sair de sua zona de conforto, desenvolver suas habilidades e construir uma rede de contatos e amizades para a vida toda. Have fun!

*Foto: Estudantes do INSEAD, na França / Crédito: divulgação

_____________________________________________________________________

Sobre as autoras:

Francine Zucco é bioquímica com mestrado Erasmus Mundus em Inovação, mas verdadeiramente entusiasta da área de educação. Após morar e estudar no Canadá, França, Irlanda e Itália, descobriu a sua paixão por viajar, conhecer diferentes culturas e por auxiliar estudantes a buscarem experiências transformadoras no exterior. Ela mantém estas paixões nutridas na TopMBA, onde atua como coach.

Daiana Stolf é cientista por formação e escritora e coach por paixão. De mestre pela Universidade de Toronto (Canadá) a aluna de Gestão Estratégica na Universidade Harvard (EUA), passando por cientista-doutoranda da EPFL (Suíça), em 2011 descobriu o prazer de guiar brasileiros determinados a fazer pós-graduação nas melhores universidades do mundo. É co-fundadora da TopMBA Coaching. 

Leia também:
O passo a passo do application para o MBA no exterior
Guia online e gratuito de MBA no exterior
Guia online e gratuito de pós-graduação no exterior

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas