Um projeto: Fundação Estudar

Colunistas

Orientação de especialistas e experiências de estudantes para te ajudar a chegar lá

27.10.14

Adolescente luta para transformar a realidade de Serra Leoa

Adolescente luta para transformar a realidade de Serra Leoa

Conheça a história do leonês Kelvin Doe que, aos 13 anos, construiu um rádio com material que encontrou no lixo. Hoje, aos 17 anos, ajuda seu povo a se salvar!

Os números são alarmantes: a cada hora, cinco novos casos de ebola são confirmados em Serra Leoa, de acordo com a ONG Save the Children. O país, junto a Guiné e a Libéria, encabeça a lista dos mais afetados pela epidemia, que já matou mais de 4.500 pessoas só neste ano.

Mas eu acho que a maior lição que ele levou daqui é que não basta saber. Não basta ser bom. É preciso ser bom e generoso. É preciso aprender e depois ensinar. E depois continuar. E não parar nunca

No meio de tanta tragédia lembrei de Kelvin, um adolescente nascido e criado em Serra Leoa. Aos 13 anos, aprendeu sozinho conceitos básicos de eletrônica e decidiu construir um rádio FM. Catando fios, condutores, baterias e outras parafernálias no lixo, ele montou seu radinho, tornou-se DJ, locutor e criou sua própria estação. Em 2012, Kelvin participou de uma competição e ganhou o direito de fazer um curso no MIT (Massachusetts Institute of Technology), aqui em Cambridge, onde moro.

Ele atravessou o oceano, aterrissou em outro continente, viu neve, chorou com saudade de casa e aprendeu. Aprendeu muito. Mas eu acho que a maior lição que ele levou daqui é que não basta saber. Não basta ser bom. É preciso ser bom e generoso. É preciso aprender e depois ensinar. E depois continuar. E não parar nunca.

Kelvin Doe aprendeu sua lição. Com a epidemia de ebola se alastrando feito fogo no vento, ele decidiu usar sua estação de rádio para informar as pessoas sobre tratamentos, primeiros socorros, formas de contágio, número de mortos e outros dados importantes. Serra Leoa, um dos países mais miseráveis da África, tem pouquíssima infraestrutura: a energia só aparece uma vez por semana, as pessoas não tem acesso à TV e o rádio é a melhor forma de comunicação. Aos 17 anos, o garoto que saiu do oeste da África e passou 3 semanas no MIT, agora ajuda seu povo a se salvar.

Eu sempre acreditei na educação. E aqui, todos os dias tenho contato com as maravilhas que ela pode nos oferecer. A educação transforma, empodera. Viver num ambiente tão fértil só me dá a certeza que preciso fazer alguma coisa para contribuir com o mundo. Porque a nossa existência é especial demais para a gente não transformar outras vidas, outras famílias, outras comunidades; um mundo inteiro.

E você, o que está fazendo para transformar a sua realidade e a das pessoas ao seu redor?

Assista no vídeo a seguir a história do Kelvin (em inglês) e inspire-se:

____________________________________________________________________

Carol CamposCarol Campos é advogada por formação e docente por vocação. Fez mestrado em Ciência Política, estudou Direito Empresarial, saúde pública, educação e feminismo. Como advogada, trabalhou em escritórios como TozziniFreire e Dannemann. No serviço público, atuou na ANVISA. Por sete anos, foi também professora de ensino superior. Tornou-se gestora educacional, trabalhou com assuntos regulatórios em educação, coordenou um Núcleo de Prática Jurídica e outro de TCC: ao mesmo tempo! Até que um dia fez as malas, vendeu os móveis, empacotou os livros e foi morar com a família em Cambridge. Atualmente, realiza de diversos cursos na área de educação e é voluntária do MIT Brasil, além de escrever para o Estudar Fora.

Leia as outras colunas da Carolina Campos

Leia também:
Programa de Bolsas 2015 da Fundação Estudar: pré-inscrições abertas

Conecte-se ao Estudar Fora

Prep Course

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas