Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

04.01.16

“Meu mestrado no exterior me abriu portas como um trator”

"Meu mestrado no exterior me abriu portas como um trator"

Jorge Maluf Neto estudou na meca do empreendedorismo, nos EUA. De volta ao Brasil, fundou uma companhia que hoje já tem 750 funcionários

Depoimento de Jorge Maluf Neto a Ana Pinho

“Avançar na carreira foi uma das coisas que me levou a buscar um MBA aos 27 anos, mas eu também tinha a ideia de empreender. Já explicar por que escolhi Stanford levaria horas: sou suspeito e amo a escola no mesmo grau que amo a Fundação Estudar, da qual fui bolsista. Em resumo, no entanto, é porque Stanford te tira da zona de conforto.

9 profissionais falam sobre o impacto do mestrado no exterior na carreira

É o único lugar que te dá a chance genuína de conviver com o empreendedorismo. Imagine, tive aula com Condoleeza Rice, que foi Secretária de Estado dos EUA; com Eric Schmidt, presidente do Google; com os fundadores do YouTube. São coisas que só acontecem no Vale do Silício. Um dia, eu estava tomando café da manhã e encontrei o Steve Jobs.

Quando ingressei em Stanford, em 2009, estava formado há cinco anos e meio e já tinha uma ideia do que eu queria fazer. Lá, consegui refiná-la, mas a implementação veio mesmo três anos depois, quando voltei ao Brasil. Acabei ficando mais dois anos maravilhosos nos Estados Unidos, trabalhando com private equity em Nova York em um dos quatro maiores fundos do mundo, e certamente meu diploma ajudou nisso.

O MBA é uma enorme escola de priorização de tempo. Vai te oferecer inúmeras oportunidades e você não vai dar conta de abraçar todas. Estamos fazendo escolhas o tempo todo: entre uma ótima palestra e uma visita com o clube de finanças, entre estudar para uma prova ou viajar com novos amigos. Minha grande recomendação é sair do Brasil tendo feito uma profunda reflexão do que você quer tirar de lá, seja aprender mais sobre sua área ou mudar de carreira.

Eu sabia que queria empreender e houve dois cursos únicos que me ajudaram muito. O primeiro, Managing Growing Enterprises, era justamente o que eu queria da vida, e meu professor é um dos sócios do fundo que acabou se tornando meu maior investidor no Brasil. O outro, Critical Analytical Thinking, foi uma experiência incrivelmente dura e intensa, que exigia quinze horas de estudo por semana mas que afiou minha mente e me ajudou a pensar melhor.

Com meu MBA, percebi que as pessoas me recebem mais. Stanford me abriu portas como um trator. Tenho certeza que 90% de meus investidores avaliaram isso como algo bem positivo na hora de tomar a decisão de investir em mim.

As coisas que aprendi em Stanford me inspiraram a me aprimoram como ser humano e como administrador. Hoje, aos 33 anos, sou sócio-fundador da minha própria companhia de private equity, a JM Growth Equity Partners, que investiu na rede de restaurantes Si Señor e conta com 750 funcionários.

Embora a volta ao Brasil tenha sido dura, sempre quis devolver meus conhecimentos, mais que qualquer outra coisa. Quero contribuir para um país melhor através da gestão de pequenas e médias empresas e transformá-las em negócios maiores, que atraiam talentos e gerem empregos. É o que tentamos fazer nesse Brasil maluco!”

Sobre Jorge Azer Maluf Neto
Sócio fundador da JM Growth Equity Partners, Jorge Maluf Neto é formado em Administração de Empresas pela FGV-SP e cursou MBA em Stanford, em 2009. É bolsista da Fundação Estudar

Leia também:
9 profissionais falam sobre o impacto do mestrado no exterior na carreira
Leia a redação que ajudou brasileiro a fazer mestrado em Stanford

Jovem conta como é um dia típico de um aluno de MBA nos EUA

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas