Inicio Mestrado em Oxford: brasileiro conta como é estudar na Blavatnik School of Government

Mestrado em Oxford: brasileiro conta como é estudar na Blavatnik School of Government

0
Mestrado em Oxford: brasileiro conta como é estudar na Blavatnik School of Government

Muitos leitores do Estudar Fora pensam em fazer graduação ou pós no exterior em Administração Pública ou áreas relacionadas, para causar um impacto social positivo. Por isso, já falamos por aqui sobre a Kennedy School of Government, a escola de administração pública de Harvard. Hoje, no entanto, vamos mostrar a experiência de um brasileiro que estudou na Blavatnik School of Government, da Universidade de Oxford.

No vídeo abaixo, o brasileiro Vinícius Lindoso, que fez mestrado em Políticas Públicas na Blavatnik, fala sobre como foi sua experiência durante os estudos. Confira:

Vinícius já tinha feito a graduação em Yale, então já tinha experiência em estudar fora. Mas, por lá, focou em estudar resolução de conflitos políticos étnicos, e o mestrado em Oxford representou uma profundamento dos seus estudos nessa área.

Para a candidatura, Vinicius sentiu que era importante focar na sua value proposition, ou “proposta de valor”, em tradução direta. A ideia era deixar claro, a cada etapa do processo, o que ele poderia agregar à universidade em geral, e à sua turma especificamente, caso fosse aprovado. Ele conseguiu fazer isso com a ajuda de seus amigos e parentes, que lhe ajudaram a identifcar quais eram esses pontos.

A estratégia deu certo. Vinícius foi aprovado mesmo tendo realizado toda a sua candidatura enquanto fazia um estágio não-remunerado na UNESCO e trabalhava à noite e em finais de semana para complementar sua renda. “Enquanto eu tava fazendo a minha candidatura, eu tinha ceteza de que não estava fazendo o melhor que eu poderia, mas no final deu tudo certo”, avalia.

Como é o mestrado em Oxford em políticas públicas?

Vinícius usa as palavras de um colega para definir o ambiente da Blavatnik School of Government: “uma disneylândia acadêmica”. A universidade oferece uma enorme variedade de programas, palestras, oportunidades de estudo e pesquisa. “Quase não tinha tempo de dormir”, comenta.

O programa de mestrado da Blavatnik tem também um enfoque em discussões coletivas. Isso significa que há uma carga horária considerável em aulas presenciais com a turma. Um dos pontos positivos disso, na visão de Vinicius, é que permite ver “como diversos países lidam” com os temas discutidos em sala de aula. E também permite criar amizades com pessoas do mundo todo.

Durante o mestrado em Oxford, Vinícius sente que passou de um pesquisador interessado em gestão pública para um gestor público consciente da importância da pesquisa. Sente que aprendeu como as políticas são construídas, passo a passo, desde a investigação científica até a implementação.

Conselhos para brasileiros interessados na Blavatnik School of Government

Para quem também pensa em estudar lá, Vinícius recomenda pesquisar sobre os professores do curso: suas aulas, suas linhas de pesquisa e seus orientandos. A ideia é planejar tanto quanto possível “o que você quer tirar daquele ambiente”, para não cair num problema estilo Netflix.

“Você tá nesse ambiente super efervescente, onde você pode fazer mil coisas, ou você pode passar o dia escolhendo o que você vai fazer e não fazer nada”, comenta. Por isso, ele recomenda entender, antes mesmo da candidatura, o que atrai nessa experiência.

Esse conhecimento é muito importante para a candidatura, pois deixar claro o que se espera do mestrado em Oxford é um dos pontos de uma boa application. Além disso, ele também recomenda entender “o que você traz” como profissional e aluno.

“A gente tem que lembrar que a gente vem de um país muito rico em vivência de desenvolvimento de políticas públicas”, e Vinicius considera que é preciso valorizar tanto o país quanto a nossa experiência de ter vivido nele — algo que outros alunos que estão se candidatando para a Blavatnik School of Government não terão.

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo:

Leia