Intercâmbio na Colômbia: estude em algumas das universidades mais antigas da América Latina

Intercâmbio na Colômbia - Universidad de los Andes

A história da nossa vizinha Colômbia caminha junto com a história de todo o continente latino-americano e o fruto dessa relação é visível para quem faz um intercâmbio na Colômbia. No país estão algumas das construções mais antigas da América Latina, incluindo instituições de ensino com séculos de idade, como a Universidad Nacional de Colômbia, a UNAL (que tem mais de 150 anos), a Potificia Universidad Javeriana (com quase 400) e a Universidad Externado de Colômbia (com quase 150).

Em algumas dessas universidades estudaram escritores, pintores, políticos e personalidades de destaque de diversas áreas do conhecimento. Na UNAL, por exemplo, uma das mais prestigiadas universidades do país, estudaram personalidades como o escritor e jornalista Gabriel Garcia Marquez, autor do livro 100 Anos de Solidão e Amor nos Tempos do Cólera, o pintor e artista plástico Fernando Botero, o também pintor Hernando Osório e o arquiteto Leopold Rother.

Como é fazer intercâmbio na Colômbia

A estudante de administração da FGV, Rafaella Tonelli, fez intercâmbio de 6 meses na Universidad de Los Andes no início de 2019, através de uma parceria entre as universidades. A Los Andes é a universidade colombiana melhor avaliada no QS ranking de melhores universidades do mundo.

Um dos motivos que fizeram Rafaella optar pelo intercâmbio na Colômbia foi a possibilidade de aperfeiçoar uma nova língua. “Da maioria (das opções de países) que vi, a Colômbia era a única em que eu poderia cursar (as disciplinas) em espanhol”, diz. A estudante conta que o intercâmbio na Los Andes permitiu que ela se matriculasse em disciplinas de diferentes cursos e interesses, o que foi muito enriquecedor. Na Los Andes, Rafaella estudou desde economia latino-americana até iniciação ao design e programação.

Os programas para intercambistas na Colômbia oferecem disciplinas em inglês em espanhol. Para quem precisa aperfeiçoar o espanhol antes do início das aulas, as principais universidades colombianas oferecem cursos da língua para estrangeiros.

Foi isso que fez Rafaella, que já conhecia espanhol básico antes do intercâmbio e optou por ir um mês antes do início do semestre letivo e fazer “um intensivão em espanhol que a própria Los Andes oferece de graça”, conta. Para cursar as disciplinas em língua espanhola, a universidade exige que o aluno tenha o nível básico de fluência.

A duração da graduação na Colômbia é parecida com a do Brasil e dura, em média, 4 ou 5 anos. O custo de vida também é um atrativo para brasileiros, o Peso Colombiano, moeda local, vale, atualmente, cerca de R$0,0012. “Em questão de preço, é muito melhor”, conta Rafaella, que chegou a pensar na possibilidade de fazer o intercâmbio na Espanha antes de decidir pela Colômbia. “Saía mais barato o que eu gastava no intercâmbio do que no Brasil, é muito em conta”, explica.

Vida em Bogotá

É em Bogotá, capital da Colômbia e região mais populosa do país, onde estão localizadas a maioria das universidades mais importantes da Colômbia. Bogotá é rica em parques e opções culturais, como o Museu Nacional da Colômbia, fundado em 1823, e a Biblioteca Nacional da Colômbia, fundada em 1777.

Entre as ofertas culturais também estão o Parque Metropolitano Simón Bolívar, com 400 hectares de extensão, o Jardim Botânico José Celestino Mutis, o Museu Quinta de Bolívar, o Observatório Astronômico Nacional e o Planetário de Bogotá. A cidade foi declarada Capital Mundial do Livro em 2007 pela UNESCO, sendo a única do país entre as 100 melhores cidades estudantis no ranking QS.

Foi em Bogotá que Rafaella morou durante o intercâmbio, onde pode aprender a viver sozinha e administrar os próprios horários sem depender de mais ninguém. A estudante conta que morou em um prédio estudantil localizado em frente a faculdade. “Era uma mega estrutura com aluguel barato e tinha salão de jogos, academia, aulas de dança e várias salas e estudo”, conta. O baixo custo de vida de Bogotá permitiu que a estudante aproveitasse melhor o intercâmbio. “Por ser mais barato, consegui ter uma experiência completa de intercâmbio”, como poder conhecer mais lugares e aproveitar melhor a cidade.

Vida de estudante na Colômbia

Rafaella conta que as universidades públicas e privadas possuem perfis bem diferentes de estudantes. Ela sentiu dificuldade para se aproximar dos alunos da graduação da Los Andes, e as pessoas de quem mais se aproximou foram os colegas de classe das aulas de espanhol e as colegas de apartamento. “As meninas com quem estava morando lá eram intercambistas também mas viraram totalmente minha família”, conta.

Apesar da Los Andes oferecer programas para integração de intercambistas, Rafaella conta que a universidade é conhecida na cidade por ser de elite e ter alunos pouco comunicativos, característica bem diferente da população colombiana. “Na Los Andes tem muito estrangeiro, muito intercambista, é uma galera menos receptiva”, conta a estudante. De acordo com ela, esse fato “é muito engraçado porque quando a gente anda na rua, na Colômbia, todo mundo fala com você”.

Em relação ao rítmo das aulas, Rafaella afirma que achou as aulas tão puxadas quanto as aulas na FGV, aqui no Brasil. “Tinha que ler textos enormes todas as aulas… as aulas eram bem puxadas, mesmo”, conclui.

Visto para intercâmbio na Colômbia

Para cidadãos brasileiros, a entrada na Colômbia é permitida apresentando somente o RG ou passaporte, que garante a estadia no país por um período de até 90 dias. Para quem deseja permanecer na Colômbia por um tempo maior, é necessário pedir um visto estudantil, apresentando os seguintes documentos: passaporte, foto 3×4 e comprovante de matrícula. Além do visto, a Colômbia exige a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela para a entrada de brasileiros.

Organizações importantes para intercâmbio na Colômbia

ICETEX

O ICETEX (Instituto Colombiano de Crédito Educativo y Estudios Técnicos en el Exterior) oferece, periodicamente, bolsas de estudo para intercambistas participarem dos programas de pós-graduação na Colômbia.

Na última edição do programa de intercâmbio, lançada em 2019, o ICETEX ofereceu, junto com as bolsas, um subsídio para auxiliar nas despesas durante o curso, plano de saúde, cobertura das despesas do visto e uma ajuda anual para a compra de materiais de estudo.

ICFES

ICFES (Instituto Colombiano para el Fomento de la Educación Superior) é uma instituição que monitora e avalia a qualidade das instituições de ensino superior na Colômbia e aplica uma variedade de testes voltados ao ensino superior.

É o ICFES que desenvolve e aplica o exame unificado, uma espécie de Enem colombiano, para a entrada dos alunos nas faculdades e universidades. O exame é considerado o mais importante para a entrada dos alunos nos programas de ensino superior e serve como vestibular em grande parte das instituições.

Criado em 1966, o teste é oferecido duas vezes por ano e aplicado ao longo de um dia, dividido em duas partes com duração de 4h30 cada. A prova avalia 5 áreas do conhecimento: leitura crítica, matemática, ciências sociais, ciências e inglês.

Melhores Universidades da Colômbia

De acordo com o Ranking QS, as cinco instituições mais bem avaliadas são:

 

Universidad de Los Andes

 

É uma instituição privada e a universidade melhor avaliada no ranking. Os cursos que a Los Andes se destaca são gestão, economia, direito, ciências, ciências sociais, artes e humanidades, design, arquitetura, educação, medicina e desenvolvimento.

Ao todo, a universidade oferece mais de 100 cursos divididos entre graduação e pós-graduação e, semestralmente, recebe cerca de 200 intercambistas.

 

Universidad Nacional de Colômbia (UNAL)

 

Com mais de 150 anos, a Nacional de Colômbia é uma instituição pública criada em 1867. É uma das universidades mais renomadas da América Latina, e possui 8 Campus espalhados por toda o país nas cidades de Bogotá, Medellín, Manizales, Palmira, Amazonas, Caribe, Tumaco and Orinoquía.

Ao contrário da maioria das universidades colombianas, a UNAL não utiliza o ICFES para admissão dos alunos, pois aplica um vestibular próprio. Entretanto, exige que o aluno apresente o resultado no ICFES.

É uma universidade de grande porte e possui cerca de 40 mil estudantes. Ao todo, oferece 450 programas, sendo 95 de graduação, 85 de especialização, 40 especializações médicas, 167 mestrados e 65 doutorados. Ela faz parte do chamado “Triângulo de Ouro” das universidades da Colômbia, junto com a Universidad de Antioquia e a Universidad del Valle. As três instituições são consideradas as mais tradicionais do país.

A UNAL é a universidade colombiana com maior produção acadêmica e seus campus contam com institutos, museus, centros, estações biológicas, reservas naturais e fazendas.

Pontificia Universidad Javeriana

É a universidade mais antiga da Colômbia e uma das mais antigas da América Latina. Prestes a completar 400 anos, a Javeriana foi fundada em 1623. Ela possui dois campus, o principal fica em Bogotá e o segundo na cidade de Cali.

A Javeriana foi fundada pelos jesuítas missionários do grupo católico Sociedade de Jesus, criado na Universidade de París em 1523, e liderado pelo jesuíta Inácio de Loyola. Ao todo, 18 faculdades formam a Javeriana, com 61 departamentos e 181 programas. Ela é uma das 31 universidades criadas pela Companhia de Jesus na América Latina.

O ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodríguez, é um dos ex-alunos da Javeriana, que também formou outros dois ex-presidentes colombianos, Ernesto Samper e Misael Pastrana.

Universidad Externado de Colômbia 

Outra centenária, a Universidad Externado de Colômbia foi fundada em 1886 em Bogotá. A instituição é privada e oferece 18 programas de ensino superior. A UNESCO possui uma cátedra de Direitos Humanos, Violência, Políticas Públicas e Governança na universidade desde 2005

Universidad Pontificia Bolivariana

É uma universidade privada com o campus principal localizado em Medellín, além de outras quatro sedes nas cidades de Bogotá, Bucaramanga, Montería e Palmira. A instituição conta com  81 grupos de pesquisa independentes, principalmente nas áreas de tecnologia e indústria.

A Bolivariana oferece 77 programas de graduação, 24 de mestrado e 7 em nível de doutorado. Ela foi fundada pelo arcebispo católico de Medellin, Monsignor Tiberio de Jesús Salazar y Herrera.

Por Mariane Roccelo

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: