Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

28.02.14

Especialização, MBA ou mestrado acadêmico: o que fazer?

Especialização, MBA ou mestrado acadêmico: o que fazer?

Primeiro passo é saber o que cada pós representa. Brasil e Estados Unidos utilizam terminologias iguais para cursos diferentes. Não se confunda!

Além de lhe proporcionar muitos benefícios pessoais e culturais, realizar uma pós-graduação no exterior irá alçá-lo a outro patamar de sua carreira. Na hora de tomar essa importante decisão, no entanto, vem a dúvida: “O que é melhor para o meu perfil profissional: realizar uma especialização que conceda um certificate, fazer um MBA ou um mestrado acadêmico?”

Segundo Paulo Rodrigues, diretor do escritório da University of Southern California (USC) no Brasil, é preciso, primeiro, fazer a distinção entre os cursos. O Brasil e os Estados Unidos utilizam a mesma terminologia para alguns cursos que, na prática, são bem diferentes. “Aqui, nos últimos 20 anos, MBA virou sinônimo de especialização. Há MBAs em várias áreas, como marketing, finanças, gestão, etc. Já nos Estados Unidos, MBA representa exatamente o que a tradução diz: um mestrado na área de administração (Master of Business Administration)”, diz.

No país, o MBA é considerado um curso de pós-graduação lato sensu e não passa pela avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Ao término dos estudos, os alunos obtêm um certificado de especialista. Nos Estados Unidos, os formados adquirem o título de mestre. Clique aqui e saiba mais sobre as diferenças entre os dois cursos no Brasil e no exterior.

Apesar de ser um mestrado — o que pode nos induzir a pensar que é um curso acadêmico — o MBA nos Estados Unidos é bastante prático, realiza estudos de casos reais e simulações de situações corriqueiras em empresas. É indicado para profissionais que já estão no mercado de trabalho há algum tempo, já passaram por algum cargo de gerência e agora estão em busca de qualificação para assumir postos ainda mais importantes na carreira.

Os cursos de especialização, que concedem os chamados certificates, servem para aprofundar conhecimentos em áreas específicas e são importantes ferramentas para o direcionamento da carreira. Eles também auxiliam profissionais que querer migrar de área.

Diferentemente dos cursos de pós-graduação lato sensu no país, que duram de um ano e meio a dois anos, lá as especializações costumam ser mais rápidas: “São cursos de seis meses a um ano. A nossa pós-graduação é o equivalente ao mestrado profissional nos Estados Unidos”, explica Paulo Rodrigues.

Essa é outra diferença importante entre os dois sistemas de ensino: quem deseja seguir carreira acadêmica não vai apenas fazer mestrado nos Estados Unidos. Neste caso, deve optar pelo mestrado acadêmico ou então seguir direto para doutorado. “Para quem tem perspectiva de seguir carreira acadêmica o melhor é ingressar em um programa de PhD já que, após dois anos, receberá o título de mestre”, sugere Paulo.

“Nos dois primeiros anos, o aluno terá aulas em sala de aula e nos dois últimos, irá dedicar-se à pesquisa”, completa. Independentemente do programa de pós desejado, Paulo ressalta a importância de que a decisão por estudar no exterior não seja feita de forma impulsiva. “É preciso pensar com cautela porque é uma decisão que envolve muitos aspectos: sua expectativa em relação ao curso e ao desenvolvimento de sua carreira, a localização e o prestígio da universidade, entre outras coisas.

Além de pesquisar bastante, sugiro procurar referências com quem já passou por essa experiência e conversar com profissionais que possam te ajudar no direcionamento dessa decisão”, diz.

Leia também:
Saiba a diferença entre os sistemas brasileiro e americano de ensino

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas