Um projeto: Fundação Estudar

Colunistas

Orientação de especialistas e experiências de estudantes para te ajudar a chegar lá

27.02.14

Harvard, vida de calouro: o Mail Box!

Harvard, vida de calouro: o Mail Box!

Conheça as curiosidades da vida no campus com a coluna de Renan Ferreirinha

Por Renan Ferreirinha, calouro de Harvard

Antes de começar a estudar em Harvard eu tinha uma visão, digamos, ilusória sobre os sistemas de correio. Para minha surpresa, quando cheguei aqui, não havia funcionários vestidos de short azul e camisa amarela com uma bolsa só com uma alça andando de cima para baixo num sol de 40 graus. Muito menos um senhor barbudo igual ao Tom Hanks com um envelope do Fedex de baixo do braço gritando I’m sorry, Wilson!. O correio aqui funciona de forma muito menos fictícia e prática. Em vez de a carta ir até nós, nós vamos até a carta.

O Harvard Yard Mail Box é uma sala no térreo de um prédio chamado Science Center com mais de 1500 pequenas caixinhas. Ali ficam os “endereços” de cada estudante do primeiro ano. A partir do segundo ano, quando passamos a morar nas famosas Houses (tópico para uma coluna futura), cada House possui a sua própria sala de correio.

O sistema é bem simples e eficiente: quando me “dá na telha” eu passo na salinha, busco minha caixinha, demoro muito tempo para conseguir acertar minha senha (é uma roleta que tem que dar não sei quantas voltas para a direita e mais tantas para a esquerda antes de parar nos números) e pego o que estiver lá. Se for maior do que um envelope, a universidade manda um e-mail avisando e eu vou lá pegar o que provavelmente é alguma encomenda da minha mãe da Amazon. (: No vídeo dessa semana, eu mostro como é esta salinha!

Ps: Entenda-se “me dar na telha” como email da AT&T (operadora celular daqui) dizendo que falta 48h para eu pagar minha fatura do mês. rs

____________________________________________________________________

Renan Ferreirinha é colunista do Harvard, vida de calouro 

Harvard 13 (1)Sou ex-aluno do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Sou cavalariano. Sou flamenguista roxo. Mas não só isso. Sou um potencial economista e cientista político. Sou professor de inglês no projeto Somar. Sou de São Gonçalo (que não é um bairro de Niterói, muito menos fica na Baixada Fluminense). Sou apaixonado por educação e empreendedorismo. Sou freshman em Harvard. E agora, sou escritor do Estudar Fora e responsável pela coluna Harvard, vida de calouro.

Conecte-se ao Estudar Fora

Prep Course

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas