Um Projeto: Fundação Estudar
Entrevista em Inglês

Entrevistas de admissão em inglês? Saiba como se preparar!

Por Colunista do Estudar Fora
30.10.2018

Frequentemente temida por candidatos, essa fase do processo seletivo busca o "match" entre o aluno e a universidade. Especialista Alberto Costa explica o que fazer diante do avaliador.


Quem quer estudar em uma universidade no exterior sabe que é preciso passar por muitas etapas até, de fato, conquistar uma vaga. Uma dessas fases é a entrevista de admissão, que geralmente é feita por profissionais de seleção das faculdades ou por ex-alunos, de maneira presencial ou por conferência.

Na maioria das vezes realizada em inglês, essa é uma das partes do processo que mais assustam os candidatos, por se tratar de uma combinação entre a desenvoltura no idioma e a necessidade de transmitir as mensagens que contribuirão para o resultado positivo. O principal conselho nesse sentido é estar preparado! Então, separamos algumas dicas que podem ajudar a organizar o discurso para entrevistas de admissão em inglês.

Dica 1 da entrevista em inglês: saber o propósito

A principal função das entrevistas de admissão é entender se o estudante tem o perfil da universidade. Isso é bem diferente do que acontece no Brasil, em que estamos habituados apenas com a ideia de prova vestibular. Entretanto, internacionalmente, isso não é importante só para a instituição, mas também para o aluno, que precisa sentir se os propósitos e objetivos deram match. Ou seja, é preciso ter em mente que o intuito dessa conversa não é testar seus conhecimentos (lembre-se que isso já foi feito durante o application) e sim conhecer você. Então, de início, esqueça as perguntas traiçoeiras ou extremamente difíceis e invista seu tempo de preparo para falar sobre quem você é e quais as suas motivações para escolher aquela opção.

Tenha respostas preparadas para alguns assuntos que podem ser colocados em pauta durante a iniciativa, como:

# Por que você quer ser admitido neste curso?
# Por que a universidade deve lhe admitir?
# Por que você escolheu este curso?
# Por que você escolheu esta universidade?
# Por que você acha que se encaixa nesta universidade?
# De que forma você pode contribuir para este curso?

O conteúdo das respostas será determinante para convencer o profissional de admissão, mas uma possível falha no inglês pode ser fatal na perda de pontos. O exame internacional de proficiência no idioma apresentado durante o processo seletivo é o que guia a comprovação de domínio da língua. Entretanto, se na prática a performance não fluir, a mensagem chave pode não ser transmitida em sua totalidade. E o treino e o real conhecimento do que se quer dizer faz com que você fica mais confiante e seguro em se expressar corretamente na hora da ação.

Dica 2 da entrevista: informar-se

Prepare-se para a possibilidade de precisar responder perguntas específicas a respeito da sua área de estudo escolhida, principalmente se você está aplicando para um curso muito concorrido, como medicina.

É importante se informar a respeito do programa da universidade para o curso desejado. Para se expressar com clareza, possivelmente será necessário recorrer a termos mais técnicos e específicos, relacionados com as disciplinas que compõem o currículo. O melhor lugar para buscar referências úteis é o site da própria instituição, em que geralmente é possível baixar o catálogo do programa, com a proposta do curso. As palavras-chave para a construção da sua resposta estarão exatamente aí!

Outro conselho para enriquecer o discurso é conversar com alunos que cursam a graduação na área de interesse ou até ex-alunos da faculdade pretendida. Isso serve tanto para treinar a conversação como par extrair detalhes que o coloquem à frente da concorrência.

Dica 3 da entrevista: lembrar-se do personal statement

Personal statement é uma espécie de “ensaio pessoal” em que você se apresenta à universidade, fala sobre quem é você, quem quer se tornar, como poderá contribuir para a universidade e por que deve ser aceito na instituição. Trata-se de um conteúdo rico para que os entrevistadores colham informações e formulem questionamentos na tentativa de aprofundar os detalhes.

Por isso, é importante manter a redação fresca na memória e saber justificar o que escreveu. Um exercício que contribui na formulação de respostas para as possíveis perguntas que virão é repassar o conteúdo com amigos e familiares e instigá-los a questionar detalhes que ainda não saibam, na tentativa de simular o que pode encontrar pela frente.

Sobre o Autor

Alberto Costa possui 30 anos de experiência no mercado de educação, tendo atuado como professor de inglês, examinador dos exames de Cambridge English Language Assessment, treinador de professores para as certificações CELTA, ICELT e DELTA. Além disso também esteve à frente de iniciativas de treinamento e formação continuada de professores de inglês e de consultoria acadêmica. Costa possui especialização em treinamento de professores (PRINSELT) do College of St. Mark & St. John em Plymouth, Reino Unido, e é certificado por Cambridge com o diploma Cambridge RSA for Overseas Teachers of English (DOTE). Atualmente ele ocupa a posição de Senior Assessment Manager de Cambridge English no Brasil.

 

Mais dicas, em vídeo, para se sair bem em entrevistas

O Estudar Fora também selecionou três coisas para não fazer durante uma entrevista de application em uma universidade do exterior. Confira o vídeo!

 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d