Um Projeto: Fundação Estudar
rankings universitários

Entenda os rankings universitários internacionais

Por Giana Andonini

Os rankings universitários permitem a comparação da qualidade das melhores instituições de ensino com base em diversos indicadores, como a permanência dos alunos nos cursos, as taxas de graduações concluídas e a excelência do corpo docente. Entretanto, cada ranking se utiliza de critérios diferentes para classificar as universidades, o que pode confundir o aluno na hora de escolher onde estudar. Para que isso não ocorra, é necessário entender quais critérios cada ranking utiliza.

Signa Mahung, estudante em Harvard, consultou vários rankings antes de ingressar na faculdade, e afirma que eles realmente são importantes, tanto para os alunos, quanto para as próprias instituições que buscam aprimorar a atuação. “Consultando estes rankings, os alunos têm a possibilidade de escolher a universidade que mais se aproxima daquilo que ele procura. A maioria dos estudantes em outros países analisam diversos rankings antes de se candidatar à uma vaga em determinada instituição”, afirma.

Veja abaixo alguns dos principais rankings e quais os métodos adotados para classificar as universidades.

Times Higher Education (THE)

O Times Higher Education World University Rankings é reconhecido desde 1994 como uma das fontes mais confiáveis na divulgação de rankings das universidades. As notas dadas às instituições de ensino são baseadas nos seguintes critérios:

Ensino: é analisado o ambiente de aprendizagem, ou seja, número de funcionários em relação ao número de estudantes, corpo docente e quantidade de doutores lecionando na universidade (o que representa 30% da pontuação);

Pesquisa: avalia-se o número de pesquisas desenvolvidas e a importância das mesmas (representando 30% da nota geral);

Citações: é considerada a influência das pesquisas feitas pela universidade (o que também representa 30% da nota);

Impacto na indústria: analisa a capacidade da universidade em ajudar a indústria com inovações, invenções e consultoria (representa 2,5% da pontuação);

Internacionalidade: leva em conta a quantidade de funcionários e alunos estrangeiros, além de acompanhar a quantidade de pesquisas com colaboradores internacionais (equivale a 7,5% da nota).

Academic Ranking of World Universities

Outro ranking muito respeitado é o Academic Ranking of World Universities (ARWU), criado pelo Center for World-Class Universities, que utiliza dentre seus critérios os seguintes indicadores:

Premiações: O número de ex-alunos e funcionários ganhando prêmios Nobel e medalhas Fields;

Citação dos pesquisadores: O número de pesquisadores altamente citados selecionados pela Thomson Scientific;

Publicações em revistas: O número de artigos publicados em revistas da Natureza e da Ciência;

Publicações de artigos: O número de artigos indexados no Science Citation Index – Expanded e Social Sciences Citation Index;

Desempenho per capita: O desempenho per capita em relação ao tamanho de uma instituição.

Mais de mil universidades são realmente classificadas por ARWU a cada ano e os melhores 500 são publicadas na web.

Global MBA Ranking

Já o jornal Financial Times publica seis vezes no ano rankings com as melhores instituições referentes à MBA, MBA Executivo, Mestrado em Finanças e Mestrado em Programas de Gestão. No portal do jornal existe a possibilidade de você escolher os critérios que vão eleger a melhor universidade de acordo com aquilo que você achar mais importante, por exemplo, o percentual médio do aumento de salário do aluno após concluir um MBA em determinada instituição.

QS World University Rankings

O QS World University Rankings classifica as 600 melhores universidades do mundo e é um dos rankings mais respeitados, sendo consultado por futuros estudantes universitários, profissionais e governos ao redor do mundo. Os rankings do QS são baseados em quatro pilares fundamentais: pesquisa, ensino, empregabilidade e internacionalização.

No site do QS há uma ferramenta comparativa para ajudar os estudantes a selecionar a melhor universidade de acordo com o que achar mais importante, como reputação acadêmica, a quantidade de estudantes estrangeiros, citações da universidade em textos científicos, entre outros. Confira AQUI.

E para você que quer Estudar Fora, mas ainda não escolheu a universidade, confira abaixo a classificação das dez melhores do mundo:

rankings 2

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo