Um Projeto: Fundação Estudar
vista aérea do Innovation Park, da École Polytechnique Fédérale de Lausanne

Bolsas de mais de R$ 6.000 por mês em curso curto na Suíça

Por Gustavo Sumares
22.01.2019

O curso, de três meses de duração, é voltado para alunos das áreas de Engenharia e Ciências da Computação, da graduação ou mestrado.


A Escola de Ciências da Computação e Comunicação da École Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL) está oferecendo bolsas para seu curso de verão na Suíça para estudantes estrangeiros. A bolsa é voltada para estudantes de graduação ou mestrado nas áreas de Ciências da Computação, Engenharia da Computação, Telecomunicações ou Engenharia Elétrica. As inscrições vão até 3 de fevereiro.

Serão de dois a três meses de estudo ao longo do verão do hemisfério norte. A ideia do projeto é que os alunos participem das atividades cotidianas dos institutos de pesquis da EPFL. Durante essa experiência, eles têm a oportunidade de “resolver problemas que são parte de grandes esforços de pesquisa” e realizar “tarefas complexas de programação ou design”.

Leia mais: Conheça a EPF Lausanne, a melhor universidade ‘jovem’ do mundo

Os alunos selecionados recebem uma bolsa de 1.600 francos suíços (R$ 6.055 na cotação atual) por mês, proporcional ao período de duração do curso. O valor é voltado para custear a estadia dos estudantes durante o programa. Além desse valor, a EPFL também reembolsará as despesas dos alunos selecionados com seu deslocamento até a Suíça.

Inscrições

Ao realizar sua inscrição, os candidatos às bolsas de verão devem escolher três áreas de pesquisa de seu interesse dentre aquelas oferecidas na EPFL. A lista de áreas de pesquisa que fazem parte do programa pode ser vista neste link.

Para se candidatar, é necessário enviar um CV, documentos como histórico escolar ou certificado de graduação, e opcionalmente uma carta de motivação com, no máximo, uma página (em formato .pdf). O histórico escolar e diploma devem estar em inglês; se não, será necessário enviar o original e uma tradução (que pode ser feita pelo próprio aluno).

Caso o aluno opte por enviar uma carta de motivação carta de motivação, segundo a EPFL, o candidato deve usá-la para “descrever seus interesses científicos e as razões que o fizeram se candidatar”. O processo de inscrição pode ser feito por meio deste link. As inscrições vão até 3 de fevereiro, e os candidatos selecionados serão notificados no começo de março.

 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo

[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d
[CDATA[ function read_cookie(a){var b=a+"=";var c=document.cookie.split(";");for(var d=0;d