Um projeto: Fundação Estudar

Pós Graduação

O que você precisa saber para cursar uma pós-graduação fora do Brasil

21.07.16

Como escolher o programa de MBA ideal para você

MBA em Harvard

É hora de pesquisar o que cada programa oferece e escolher quais deles se encaixam melhor com suas preferências e objetivos pessoais e profissionais.

Por Daiana Stolf e Francine Zucco

Depois de decidir que o MBA faz sentido no momento atual da sua vida e carreira, é hora de pesquisar o que cada programa oferece e escolher quais deles se encaixam melhor com seus objetivos pessoais e profissionais. Mas, por onde começar?

Muitos candidatos iniciam sua procura através de Business School rankings, como o do Financial Times, o da U.S. News, o da Businessweek e o do portal Poets&Quants. É um bom ponto de partida, mas cuidado para não cair na tentação de achar que apenas os programas top 5 ou 10 valem a pena.

Além de serem extremamente competitivos, com taxas de aprovação que giram em torno de 7 a 10%, muita gente acaba colocando a fama na frente de outros fatores importantes, como metodologia, estrutura do currículo e cultura da escola.

Será que você se sentiria confortável com o case method, por exemplo, ou prefere uma mistura de aulas participativas e expositivas? Conseguiria “sobreviver” por dois anos em um ambiente competitivo, com notas expostas em curva forçada, ou escolheria uma cultura colaborativa, com grande número de projetos em grupo? Vale a pena refletir sobre esses pontos e considerar programas que, apesar de não estarem no topo das listas, combinem com seu perfil e proporcionem uma experiência rica em todos os sentidos.

É claro que o período do MBA também pode ser usado para desenvolver novas habilidades, e estar fora de sua zona de conforto na sala de aula pode contribuir muito para isso. Mas sentir-se um completo peixe fora d’água e ter dificuldade de se envolver com a comunidade da escola pode atrapalhar a experiência.

Além do impacto profissional, questões que afetem seu bem-estar pessoal também são importantes. Você se adaptaria a um clima frio ou a uma cidade universitária, ou preferiria estar em um grande centro? Tem interesse pela cultura do país? Como enxerga o enriquecimento pessoal que cada programa oferece? 

Considere as seguintes questões na sua pesquisa de escolas:

#1 Geografia e clima da cidade;
#2 Estilo de vida: cidade grande versus pequena; isolada ou conectada a grandes centros; língua; vida cultural; potencial adaptação da família – esposa(o) e filhos;
#3 Metodologia do curso e estrutura do currículo;
#4 Cultura da escola;
#5 Duração do programa e tamanho da turma;
#6 Média de GMAT e TOEFL;
#7 Média de idade dos alunos;
#8 Oportunidade de especialização versus programa generalista;
#9 Oportunidades de carreira após o MBA – que empresas recrutam no campus? (Consulte o Career Report no site das escolas);
#10 Oportunidade de summer internship (estágio de verão) – ponto importante para pessoas interessadas em mudar de carreira, indústria ou geografia após o MBA;
#11 Possibilidade de aproveitar o departamento de Career Services da escola na escolha do summer internship e da carreira após o curso;
#12 Oportunidade de realizar um semestre em outra universidade;
#13 Nível de dificuldade para permanecer no país após o MBA – ponto importante para quem procura uma experiência de trabalho internacional antes de retornar ao Brasil;
#14 Tamanho da rede de alumni da escola.

Além de seus próprios interesses, vale fazer o exercício empático de pensar o que interessa à escola também. Assim, recomendamos que analise o perfil dos alunos aceitos (por exemplo, histórico profissional e calibre dos empregadores, GMAT médio, histórias pessoais), o que pode ser feito através dos sites das escolas (procurar por Class Profile) e de conversas com quem passou pelos seus programas favoritos.

Não existe uma fórmula para informar se o candidato é perfeito para determinado programa, mas sim uma combinação de fatores tangíveis e intangíveis que sugerem um bom casamento entre o que o candidato busca e o que a escola pode oferecer – não somente a um aluno em particular, mas à experiência coletiva da turma.

Seja proativo: é extremamente importante que você conheça as escolas e entenda para quais delas o seu perfil é mais competitivo. Aposte suas fichas com applications de forma realista, isto pode fazer a diferença!

 

 Sobre os Autores

Daiana Stolf é cientista por formação e escritora e coach por paixão. De mestre pela Universidade de Toronto (Canadá) a aluna de Gestão Estratégica na Universidade de Harvard (EUA), passando por cientista-doutoranda da EPFL (Suíça), em 2011 descobriu o prazer de guiar brasileiros curiosos e determinados a expandir seus horizontes através de cursos de pós-graduação nas melhores universidades do mundo. Ela é co-fundadora da TopMBA Coaching.

Francine Zucco é bioquímica com mestrado Erasmus Mundus em Inovação, mas verdadeiramente entusiasta da área de educação. Após morar e estudar no Canadá, França, Irlanda e Itália, descobriu a sua paixão por viajar, conhecer diferentes culturas e por auxiliar estudantes a buscarem experiências transformadoras no exterior. Ela mantém estas paixões nutridas na TopMBA, onde atua como coach.

Conecte-se ao Estudar Fora

Leia Mais

impacto social
estudar na Asia
tudo sobre o GMAT
estudar idiomas